BJ Penn - Ainda cheio de surpresas

 "Não há nada como andar até a jaula e lutar com alguém tão preparado quanto você. Poucas coisas vão deixa-lo empolgado depois que você fizer isto algumas vezes. Todo o resto é tedioso." - BJ Penn
UFC welterweight BJ Penn
A vida em casa não caiu bem para BJ Penn. Apesar de viver em um paraíso havaiano onde aposentados adorariam ter como retiro quando seus dias de trabalho tivessem acabado, aos 33 anos, o ex-campeão de duas divisões do UFC ainda tinha a luta dentro dele.  
  
"Estava somente passeando, e estar na academia é melhor do que estar no sofá", ele riu. "É como se eu tivesse mais medo de não lutar do que de lutar. Eu não sabia o que fazer, estava vagando por aí. Lutar é o que eu fiz nos últimos 12 anos, então posso muito bem fazer isto de novo."  
  
Então ele está de volta desde sua derrota para Nick Diaz em Las Vegas, pegando o astro em ascensão Rory McDonald no card do UFC deste sábado, Henderson vs. Diaz em Seattle, e a verdade seja dita, poucos acharam que sua aposentadoria depois da luta contra Diaz ia colar. Não é como você gostaria que Penn deixasse o esporte, e lembrando que suas duas últimas performances foram um nocaute sobre Matt Hughes e um empate em uma luta de três rounds contra Jon Fitch, ainda havia trabalho a ser feito.  
  
"Fico surpreso que alguém goste de fazer isso por um longo tempo, mas não há nada que se compare a isto", disse Penn. "Não há nada como andar até a jaula e lutar com alguém tão preparado quanto você. Poucas coisas vão deixa-lo empolgado depois que você fizer isto algumas vezes. Todo o resto é tedioso."  
  
O objeto em foco de Penn para este fim de semana? MacDonald, o fenômeno canadense que Penn decidiu encarar quando na sua volta à ativa. E enquanto uma vitória sobre "Ares" colocará Penn de volta à lista de concorrentes nos 77 kgs, ele também tem um motivo para querer MacDonald no Octógono.    
  
"Rory é um ótimo lutador", disse Penn. "Ele tem muito talento e as coisas estão dando certo para ele, e quero competir contra ele, número um, e do outro lado, eu quero competir contra a [academia] TriStar de novo. De um modo amigável, não existe ressentimentos, mas acredito que posso fazer melhor. Eles podem botar a cabeça para funcionar, vou colocar a minha também, colocar minhas luvas e poderemos ver como isto acabará."  
  
Porque a Tristar, academia que MacDonald chama de lar? Bem, se existe uma luta que Penn, nativo de Hilo nunca engoliu, foi sua revanche em 2009 contra St-Pierre. GSP é um membro da TriStar, como MacDonald, então tudo faz sentido.  
  
"Eu os vi ajudando a construir seu nome (MacDonald) e pensei que seria uma ótima luta - um lutador novo contra um cara que já está aqui por algum tempo, e por outro lado é muito motivador para mim, competir com a TriStar", disse Penn, que tem ficado cada vez mais empolgado para a batalha enquanto os meses viraram semanas e as semanas se tornaram dias.  
  
"No começo eu ia lá, ficava no melhor fisicamente possível, lutava e fazia o meu melhor, mas depois do camp que tive, eu treinei e tenho algumas ideias que quero executar quando chegar ao Octógono, e estou muito confiante do jeito que este camp aconteceu. Esta será uma ótima luta com certeza."   

Watch Past Fights

Midia

Recente
UFC Fight Night event at The Frank Erwin Center on November 22, 2014 in Austin, Texas.
20/11/2014
Mostrando enorme respeito por Cub Swanson, seu adversário no UFC Austin deste sábado (22/11), Frankie Edgar comenta que ama seu trabalho, e o que seria se não fosse um lutador, fala de sua luta favorita e muito mais.
21/11/2014
Protagonista do UFC Austin deste sábado (20/11), Cub Swanson fala de seu oponente, Frank Edgar, analisa a categoria peso pena e deixa claro o que acha do irlandês Conor McGregor. Assine o canal Combate: http://on.ufc.com/assinecombate
21/11/2014