Chris Weidman – Impaciência é uma virtude

“Isto é ótimo, mas não estou satisfeito onde estou. Eu tenho que continuar ganhando e tenho que conseguir aquele cinturão." - Chris Weidman
UFC middleweight Chris Weidman
Paciência é uma virtude. Porém, é uma virtude  que o peso médio do UFC Chris Weidman não possui. Nem agora. Nem nunca. Nem quando era criança.

“Eu sempre era pego quando brincava de pega-pega, sempre chegava bem perto de encostar neles e dizer: 'Te peguei',  e eu só tentava sacanear eles”, ele ri. “Eu assumia riscos para deixar tudo divertido, mas era sempre o primeiro a ser pego.” 

Ninguém realmente conseguiu chegar perto dele desde então, especialmente no MMA, onde ele mantém um cartel perfeito de 8-0 que inclui 4 vitórias no UFC. Mas esta impaciente seqüência de vitórias continua para o ex-All American wrestler, e isso não é necessariamente uma coisa ruim, como seu desejo de competir contra os melhores e ser o melhor, é algo que você sempre quer ver dos seus heróis do esporte.

“É sempre uma luta por vez, mas sempre estou querendo avançar para a melhor competição”, disse Weidman. “Meus empresários, queriam que eu desse tempo ao tempo, mas eu estava sempre olhando para o  topo e tentando chegar lá. Então eu não queria lutar com os caras que estavam no mesmo nível que eu naquele momento. Eu estava tentando dar um passo a frente para me desafiar, e fazendo isso, acho que as coisas vieram mais rápido.”

Depois de apenas 4 lutas, o formando de Hofstra chamou bastante atenção na área de New York e New Jersey como um dos candidatos tops nos médios nas redondezas. Mas até seus maiores defensores devem ter segurado a respiração quando ele aceitou (em cima da hora) uma luta no UFC contra o veterano Alessio Sakara, em Março de 2011. Uma costela fraturada também não o ajudaria, mas assim que a luta começou, Weidman lutou como um velho profissional, e nos fim de três rounds, ele teve sua primeira vitoria no Octógono. 
 
Então se você está imagina que entrar na luta principal do UFC de hoje a noite no Combate, contra o candidato top Mark Munoz é um grande salto para Weidman, talvez seja, talvez não, mas o nativo de Long Island mal consegue esperar para descobrir.
 
“Vou entrar lá e competir, competir contra mim mesmo, tentando me testar e ver até onde posso agüentar e fazer tudo que acho que posso fazer”, disse o homem de 28 anos. “Tenho que fazer o melhor que posso, e é só isso. Ganhando ou perdendo, estarei feliz.”

Chris Weidman diz que, desde que dê seu melhor, estará feliz, não importando o resultado no final da luta. Pode, ou não ser uma afirmação precisa, mas os fãs devem ficar felizes com o que quer que aconteça hoje a noite em San Jose, porque tendo sua mão levantada ou não, Weidman está aqui para ficar, e ele tem toda a intenção de lutar contra qualquer um que precisar para chegar ao topo. E neste caso, impaciência é a sua virtude.

“Isto é ótimo, mas não estou satisfeito onde estou”, ele disse. “Eu tenho que continuar ganhando e tenho que conseguir aquele cinturão, então não tive tempo ainda de sentar e refletir sobre o que venho fazendo. É só mais pressão adicional para continuar seguindo em frente e continuar ganhando. É isso.”



Watch Past Fights

Sábado, Junho 23
Kallang, Singapura

Midia

Recente
Antonina Shevchenko treina com a irmã Valetina Shevchenko no UFC Performance Institute em Las Vegas para sua estreia no Dana White's Tuesday Night Contender Series.
11/06/2018
Lutadores travaram uma verdadeira guerra na luta principal do evento, realizado no último sábado (09), que terminou com o australiano saindo vencedor por decisão dividida após cinco rounds.
10/06/2018
O novo campeão interino dos meio-médios fala sobre a conquista do cinturão na vitória sobre Rafael dos Anjos na luta co-principal do UFC 225.
10/06/2018
Confira o que disse o peso-pesado australiano após conquistar a maior vitória de sua carreira sobre o ex-campeão Andrei Arlovski no UFC 225.
10/06/2018