Cristiano Marcello: A ponte

"Os desafios na minha vida me mantém inspirado." - Cristiano Marcello
Peso leve do UFC - Cristiano MarcelloVocê já ouviu as histórias sobre o auge do Academia Chute Boxe em Curitiba. Elas quase se tornaram míticas, neste ponto, os contos de sessões de sparring que você poderia ter colocado em Pay-Per-View eram tão bons, a idéia de que o quanto mais forte fosse para cima um do outro na academia, quando você entrava pelas portas, você tinha uma família que ficava ao seu lado.

The Axe Murderer. Shogun. Ninja. The Spider. Rafael Cordeiro. Pelé. E depois de tudo isso foi Cristiano Marcello, e não apenas um membro da equipe de combate, mas o seu treinador de grappling. E Marcello diz que as histórias Chute Boxe não eram apenas contos.

"Deixe-me colocar desta forma", disse ele, "sem exagero, tínhamos provavelmente cinco ou seis lutas reais todos os dias no treinamento. As sessões eram muito intensas, pois cada lutador queria mostrar o seu potencial para lutar e participar de grandes shows. Mas não havia  muitos grandes shows na época, só UFC e PRIDE, então você realmente tinha que mostrar o seu potencial, se é que você me entende.”

Compre ingressos para o UFC Fight Night COMBATE: Machida x Mousasi

Naquela época, apesar de ser o cabeça na parte de lutas de solo, Marcello era um novato. Hoje, aos 35 anos, ele está amadurecido, a intensidade ainda está lá - para lutar, para competir e ganhar. Isso, provavelmente, nunca mudará porque está em seu sangue.

"Os desafios na minha vida me mantém inspirado", disse o peso leve do UFC. "Comecei a treinar aos oito anos de idade. É tudo o que sei, e me deu uma vida rica e feliz. Eu realmente não consigo me ver fazendo outra coisa. E, enquanto os desafios estiverem lá, eu estarei lá para enfrentá-los com um sorriso. Contanto que eu possa continuar a concorrer de forma competitiva com os meus atletas na CM System, e continuar a evoluir tecnicamente como um lutador, eu não me vejo distante da competição."

“Essa é a diferença entre lutadores e do resto de nós. Não há realmente nenhum jogo final para um lutador se ele provar que ainda pode lutar quando seu nome é chamado. Olhe para Bernard Hopkins no boxe. Por que ele deveria se aposentar aos 49 anos, especialmente desde que ninguém foi capaz de ultrapassá-lo e mostrar-lhe que ele não faz mais parte daquilo?

É aí que Marcello está hoje, no topo da organização e ansioso para mostrar que não vai a lugar nenhum.

"Tem sido uma grande experiência", disse ele de seu período no UFC, onde fez sua estreia em 2012, após passagem no The Ultimate Fighter 15. "Eu sinto que é um sonho virando realidade lutar no Pride, TUF, e também no UFC. Eu fiz e vi um muita coisa, e pretendo me aposentar no UFC, mas este não será o último capítulo da minha história. Eu quero lutar no UFC por muitos anos. Depois disso, pretendo passar a tocha e preparar muitos lutadores da minha academia, CM System, para entrar no UFC e lutar depois que me aposentar."

Por enquanto é hora de Marcello, e uma semana a partir de hoje em 15 de fevereiro, ele estará de volta no Octógono para encarar um rosto familiar em seu ex-companheiro de TUF, Joe Proctor.

"Ele é um cara habilidoso e é completo", disse Marcello do homem que ele vai enfrentar, no UFC Fight Night, em Jaraguá do Sul. "Cada lutador do UFC é um adversário em potencial e treinei muito duro. Nós dois conhecemos o jogo um do outro, porque nós treinamos muito juntos, mas acho que isso me ajudou porque ele me obrigou a mudar algumas coisas no meu jogo, a fim de surpreendê-lo na luta. Portanto, sinto que  evolui como lutador neste treinamento, e pretendo usar alguns truques novos muito bons nesta próxima luta."

Atravessando a ponte entre a velha guarda e a nova geração, Cristiano Marcello tem um lugar único no mundo do MMA. Mas ele sente que esta história ainda não acabou.

"Eu não venho apenas para ganhar quando eu luto", disse ele. "Eu sempre quero liquidar as lutas e fazer batalhas emocionantes na jaula. Estou sempre lutando para ganhar Nocaute, Finalização ou Luta da Noite. Nem sempre acontece, mas essa é a minha meta cada vez que eu piso no Octógono. A meta para o ano é continuar minha evolução como lutador, desfrutar da experiência de estar no UFC, e continuar a lutar com o melhor que o esporte tem para oferecer."

Watch Past Fights

Sábado, Outubro 25
23h
BRT
Rio de Janeiro, Brazil

Midia

Recente
No segundo episódio do UFC Embedded, os lutadores começam a chegar no Rio para o UFC179. Entre um treino e outro, Chad Mendes e José Aldo continuam se provocando. 'Ele precisa estar motivado, porque vou dar uma surra nele!', disse o americano.
23/10/2014
Treinos abertos do UFC 179, no dia 23 de outubro, 2014 no Rio de Janeiro, Brasil. (Fotos de Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
23/10/2014
José Aldo e Glover Teixeira conversaram com a equipe do UFC sobre as expectativas para o UFC179, neste sábado (25), e também sobre o lançamento do filme sobre a vida de Aldo e o documentário 'Nascidos para Lutar', que narra a trajetória de Glover.
24/10/2014
Lutadores recebem a equipe do UFC em seus quartos e mostram o que não deixam de levar na mala para a semana da luta. Confira!
23/10/2014