Cruz pronto para seu 1º ato como campeão peso galo do UFC

"Quando eu lutei com ele, achava que poderia vencê-lo e queria vencê-lo. Mas não foi assim que aconteceu, mas estou tendo minha chance de redenção e definitivamente estou animado com isso, sem dúvidas". - Dominick Cruz
Como diz a lenda, toda esta rivalidade Dominick Cruz-Urijah Faber - que será liquidada na luta principal do UFC 132 neste sábado em Las Vegas - não começou no dia 24 de março de 2007, naquela noite Faber defendeu sua coroa pena do WEC com uma finalização de 98 segundos.

Ela realmente começou na semana anterior, quando Cruz assinou seu nome sobre o rosto de Faber no cartaz do evento.
      
Desde então, Faber continuou sua ascensão como estrela no WEC antes de perder seu título, indo para a categoria galo, e voltando ao topo do UFC. Cruz também desceu para 61 quilos, se tornou uma estrela no WEC e ganhou título galo da organização antes de ser nomeado primeiro campeão até 61 kg do UFC em dezembro do ano passado.  
    
Muita água passou por debaixo da ponte em quatro anos, mas os sentimentos dos lutadores não diminuíram. Então Dominick Cruz, campeão galo do UFC, antes de você ter sua chance de revanche contra Faber, você vai assinar seu nome sobre o rosto dele de novo, só pelos velhos tempos?
    
"Eles fizeram uma regra que você não está mais autorizado a fazer isso", ele ri. "Eles dizem isso antes de você assinar o cartaz. Eu atribuo essa regra a mim mesmo, então não vou assinar no seu rosto. Eu não odeio o cara, eu só acho que ele é imbecil, isso é tudo. Eu não desejo que ele morra, não desejo que fique doente, só quero vencê-lo e provar que sou melhor, puro e simples".
      
O enredo é Cruz buscando vingar sua única derrota na carreira (17-1) e acabar com o fantasma do 'The California Kid' sobre a sua cabeça. Ele admite que, por quatro anos, ponderou sobre a derrota e sobre o homem o derrotou.    
    
"Eu venho pensando sobre essa luta há quatro anos. Quando eu lutei com ele, achava que poderia vencê-lo e queria vencê-lo. Mas não foi assim que aconteceu, mas estou tendo minha chance de redenção e definitivamente estou animado com isso, sem dúvidas".
      
O que torna isso melhor é que ele fará sua defesa na luta principal do talvez maior evento do verão americano.  
   
"Eu nunca tive expectativas sobre nada, mas estava realmente esperando por isso", disse ele sobre sua luta no UFC em primeiro lugar. "Eu estava esperando que fosse a luta principal do evento ou se estaríamos como treinadores no TUF, e temos a luta principal, então eu sou um homem feliz."
     
Porém, com um lugar tão elevado no card vem uma grande responsabilidade, e Cruz e Faber foram colocados no meio de toda a pressão da mídia nas semanas que antecederam o embate. 'The Dominator' não se queixa de tal fato, embora ele tenha encarado tudo isso dizendo simplesmente: "Eu aceito o desafio e eu adoro isso".
       
Talvez seja porque esta é a sua festa de debutante no cenário mundial. Claro, ele teve muita exposição em seus combates no WEC, três dos quais tiveram um título em disputa, mas este é o UFC, então as coisas são elevadas consideravelmente, e Cruz está enfrentando Faber, o indiscutível rei das classes mais leves por anos, e talvez o ainda lutador mais reconhecido das categorias abaixo de 66 kg. Então agora é a chance de Cruz se apresentar para as massas, e quando eles o verem, provavelmente ficarão cativados imediatamente por seu estilo pouco ortodoxo, mas muito eficaz no trabalho com os pés e na trocação.    
    
"É definitivamente algo que tem sido desenvolvido ao longo dos anos", disse o atleta de San Diego de 26 anos. "Se você voltar a assistir minha luta contra o Charlie Valencia, foi minha primeira luta como galo depois da derrota diante de Urijah, pode ver o quanto melhorei desde então. Meu estilo de luta mudou ao longo dos anos. Eu me concentro muito em evoluir em cada luta e tento ser um lutador diferente. E isso é exatamente o que está impressionando as pessoas, eu nunca pareço exatamente o mesmo nas lutas".
      
Com 3-0 até 61 kg quando derrotou o parceiro de treinos de Faber, Joseph Benavidez em 2009, Cruz entrou definitivamente nas primeiras páginas em 2010 quando impôs um TKO sobre Brian Bowles pelo título do WEC, e uma vitória por decisão após cinco rounds sobre Benavidez na revanche, e outra contra Scott Jorgensen. As duas últimas lutas foram grandes, e não apenas porque Cruz defendeu seu título, mas porque ele provou que podia lutar por duros 25 minutos. Faber, um veterano de lutas pelo cinturão, passou por essa em três oportunidades, mas pegando uma estatística importante, ele perdeu duas dessas três (para Mike Brown e José Aldo).  
    
"Eu sei que posso fazer isso (lutar cinco rounds), e sei que posso fazer em ritmo muito rápido e quase sem precedentes", disse Cruz. "Sinto que é uma grande razão pela qual essa luta vai ser minha, porque antes da minha primeira luta com ele, eu não tinha o fator experiência, e nem mesmo em grandes lutas. Agora já estive em várias dessas lutas, fiz a luta principal e já passei por guerras de cinco rounds várias vezes. Já sei como me portar e acho que vai ser uma diferença enorme no combate".
       
Mas o que realmente faz esta revanche intrigante é que não existe nenhuma rachadura na confiança dos dois protagonistas da luta principal do UFC 132. Olhe para qualquer um de seus compromissos anteriores e você vai perceber. No caso de Cruz, a sua confiança vem de seu trabalho com a Team Alliance em San Diego. Só não o chame de arrogante.  
   
"O que me dá a confiança é saber pelo que passo nas minhas sessões de treinamento", explica ele. "Minha preparação é dura e sei, do fundo do meu coração, que todos que enfrento não tiveram treinamento mais difíceis do que os meus. Eles podem estar treinando duro, mas não há como treinar da mesma maneira que eu, e isso me dá muita confiança. E o fato de saber que não me canso em uma luta de cinco rounds me dá ainda mais confiança, porque na minha opinião, se não me canso, não posso ser batido. Não tem nada a ver com ser arrogante. Eu sei do conjunto de habilidades do oponente que eu estou enfrentando, sei o que eles trazem, mas o que faço durante minha preparação me deixa apto a encarar cada conjunto de habilidades e tudo o que eles têm para me mostrar. E estou confiante nisso, e definitivamente longe de ser arrogante".
       
Quando pressionado, ele saber do valor de Faber. Ele sabe que na noite de sábado não será fácil, mas existe alguma coisa no mundo das lutas que valha a pena e fique cada vez mais fácil? Não para Dominick Cruz.  
    
"Ele (Faber) teve muitas lutas como, ele é uma ameaça", disse o campeão. "Ele está no escalão de cima da classe de peso, e as coisas que ele fez ao longo dos anos no MMA lhe dão o direito de ter uma luta pelo título. E, acima de tudo, eu estou animado em lutar contra alguém que está no topo da divisão, porque quero lutar contra os melhores do mundo. E ainda matar dois pássaros com uma pedra, batendo o único cara que me venceu. Existem muitas pessoas que só poderiam rezar pela situação em que me encontro. Eu estou empolgado para provar o que eu posso fazer".     

Watch Past Fights

Midia

Recente
Campeão dos leves fala da relação que tinha com o seu pai. "Tenho orgulho de manter a memória dele viva". Pettis enfrenta Gilbert Melendez no UFC 181, em 6 de dezembro. Veja o card completo - http://bit.ly/1yY8zv4
27/11/2014
UFC Minute host Lisa Foiles recaps this weekend's action in Austin and looks ahead to the highly-anticipated rematch between Johny Hendricks and Robbie Lawler at UFC 181 on December 6!
24/11/2014
O campeão Johny Hendricks enfrenta Robbie Lawaler, nos meio-médios, e Anthony Pettis coloca seu cinturão dos leves em jogo contra Gilbert Melendez. Confira os confrontos que definiram essas disputas, que acontecem em 6 de dezembro.
26/11/2014
Perdeu a joelhada de Fabrício Werdum em Mark Hunt? Confira alguns dos golpes mais bonitos do evento que deu o cinturão interinos dos pesados ao brasileiro. Assine o canal Combate: http://on.ufc.com/assinecombate
26/11/2014