Henderson - Calibrando a 'H-Bomb'

"Eu bato forte, sou um bom wrestler, e sou bom em greco também. Ele saberá que nunca lutou ninguém como eu." - Dan Henderson
UFC light heavyweight Dan Henderson
O atleta Dan Henderson passou os últimos 15 anos vencendo uma lista de quem é quem em rota para vencer cinturões e torneios no Rings, UFC, Strikeforce e PRIDE, enquanto desenvolvia uma aura quase mítica ao redor de sua arma mais infame: sua mão direita. Apesar de todos os pesos mei- pesados do UFC terem poder de nocaute em potencial, existe apenas um H-Bomb, e somente um Hendo.  
  
"É difícil para qualquer um comparar qualquer luta que já tenha tido com minha luta com Lyoto Machida", afirma Henderson sobre a co-luta principal do UFC 157 do próximo sábado. "Eu bato forte, sou um bom wrestler, e sou bom em greco também. Ele saberá que nunca lutou ninguém como eu."  
  
Aos 42 anos, o californiano uma vez conhecido como "Hollywood" e "Dangerous Dan" está se preparando para entrar em mais uma grande luta que envolve uma chance ao título, e é contra outro oponente quase impossível de copiar: Lyoto "The Dragon" Machida. Enquanto muitos irão atribuir à forma única e a forte influência do ataque do karatê de Machida, a mistura de Henderson de lutador olímpico de wrestling, mãos pesadas, queixo de granito e experiência incomparável, é rara. E ainda mais, Hendo tem dominado esse conjunto de poder, durabilidade e uma consciência global de como machucar seu oponente em qualquer situação.  
  
"Tipicamente, o que faço, é que gosto de controlar", explica Henderson. "Eu gosto de misturar meu wrestling com meus golpes fortes. É mais sobre condicionamento e posicionamento. É sobre estar na posição certa para poder atacar e montar uma ofensiva. Sinto que tenho um estilo completo e que fiquei melhor nele. Em algumas lutas quero passar mais tempo no chão e em outras quero passar mais tempo em pé, tudo depende de quem estou enfrentando."  
  
Seu próximo desafio é sábado dia 23 de fevereiro na co-luta principal do UFC 157 em Anaheim contra "The Dragon". O homem de 34 anos faixa preta em jiu jitsu e karatê shotokan está voltando de um nocaute com um soco de contra ataque sobre Ryan Bader no UFC Shogun x Vera em agosto. Com 18-3, Machida é conhecido por entrar e sair como um esgrimista, evitando o ataque de seus oponentes enquanto termina as lutas com seus socos.  
  
O distinto timing de Machida, junto com seu jeito pouco ortodoxo para a trocação no MMA, renderam-lhe três prêmios de Nocaute da Noite.  
  
"Ele é um pouco estranho, o que faz a luta ser divertida para mim", revela Henderson. "Estou tentando achar um jeito de bater seu estilo. Ele é muito perigoso e o estou levando muito a sério. Ele é casca grossa, completo, duro no chão, e duro em pé. Acho que vai ser divertido para os fãs. Porém não vou mudar todo meu estilo por causa de um oponente. Preciso usar o que tenho de melhor e fazer dar certo. Quando você faz isso com cada um dos seus oponentes você melhora em certos aspectos do seu jogo com o tempo e essa é a evolução de cada lutador ficando melhor. Eles treinam em áreas específicas e agora são melhores. Sinto-me bem e confiante para esta luta."  
  
   


Watch Past Fights

Midia

Recente
Não foi apenas um saldo positivo para os lutadores brasileiros no UFC 177, mas também atuações sólidas, com Diego Ferreira e Bethe Pitbull aplicando dois nocautes. Amanda Salvato conversou com os dois após as grandes vitórias no card principal.
30/08/2014
Ouça Danny Castillo e Tony Ferguson após a batalha no UFC 177 que terminou com uma decisão dividida.
30/08/2014
O campeão peso galo T.J. Dillashaw e o desafiante Joe Soto comentam seus desempenhos na luta principal do UFC 177 com o comentarista Joe Rogan.
30/08/2014
T.J. Dillashaw fala de sua primeira defesa de cinturão UFC, Bethe Correia expressa seu desejo de lutar pelo título, e o que Dana achou de Joe Soto.
30/08/2014