GSP e a luta que tanto esperou

"Ele vai trazer o melhor de mim nesta luta." - Georges St-Pierre
UFC welterweight champion Georges St-Pierre
Rosto ensanguentado, cabeça inchada, forçado a lutar 25 minutos com um lutador faminto procurando tirar o seu título. Para um atleta menor, é uma boa lembrança do porque ele pratica outro esporte, mas não luta. Para Georges St-Pierre porém, a única coisa que ele tirou de seu retorno ao Octógono em novembro último contra Carlos Condit depois de uma séria lesão no joelho que o manteve fora do jogo por 18 meses, foi que ele ainda era GSP.   

"Eu sabia durante meu treinamento que aguentaria a luta sem problemas", disse GSP de sua vitória por decisão unânime de 5 rounds, que também levou o prêmio de luta da noite. "Estava muito confiante e me senti muito forte."   

Foi quase a luta perfeita para o chefe dos 77 kgs voltar. Foi uma luta dura, uma em que ele levou um knockdown com um chute na cabeça no terceiro round, foi golpeado e ferido, e deixou o Bell Centro naquela noite sem dúvidas de que ele ainda era o mesmo lutador que domina a divisão desde 2008. Você não consegue esse tipo de validação em uma vitória de 30 segundos, mesmo que ele discorde.  
  
Então com a ordem nos meio-médios restaurada, GSP agora se prepara para um desafio diferente na forma de seu rival de longa data Nick Diaz. Não houve nenhuma ilusão de cordialidade entre os dois antes de seu encontro neste sábado no UFC 158, não há dúvidas de que são dois atletas exercendo seu ofício durante 25 minutos ou menos na noite da luta. GSP, sempre o cavalheiro, tentou, mas começando com uma conferência telefônica incendiária semana passada e continuando com uma igualmente aquecida coletiva de imprensa em Montreal na quinta, fica claro que estes dois não sairão amigos desta luta. Mas GSP não ficou surpreso com a explosão de Diaz na conferência, onde falou que o campeão era paparicado, enquanto GSP contra atacou chamando seu oponente de "tolo mal educado".  
  
"Não, não estou surpreso", ele disse. "Não estava esperando nada, mas não me foco nisto porque não posso controlar."  
  
O que ele pode controlar é como ele reage as farpas do lutador de Stockton, Califórnia, e enquanto aqueles ao redor dele dizem nunca ter visto "Rush" tão bravo, e havia dicas de que GSP estava prestes a perder a paciência durantes os dois encontros com Diaz, porém ele está tentando manter as coisas estritamente como negócios, pelo menos até o gongo soar.  

A ironia entre os dois meio-médios deixou a luta ainda maior, com a ansiedade crescendo a cada minuto. Isto deixou GSP perplexo.  
  
"Se mais pessoas ouvem que a luta está ficando mais emocional, acho que é meio louco", ele disse. "É uma boa luta porque Nick Diaz é muito bom e muito habilidoso. Por isso as pessoas deviam ouvir a respeito, não por causa de emoções. Se ele gosta de mim ou não, ou se eu gosto dele ou não, ainda assim bateremos o mais forte que pudermos um no outro."   
  
Então como ele deixa a emoção de lado em uma situação bastante emocional?  

"Não é a primeira vez para mim", ele disse. "Tenho experiência e é muito fácil lidar com isto."  
  
Pelo menos ele acha que sim. Ao contrário de seus dois antagonistas anteriores, Josh Koscheck e BJ Penn, as provocações e olhares raivosos acabaram quando o gongo soou. Aí é hora de lutar. Com Diaz, nada está resolvido até a luta acabar, e como Joe Riggs atestaria, as vezes, nem depois. Haverá insultos, palavras raivosas, e haverá Diaz fazendo tudo que puder para provocar GSP a lutar a sua luta. Estranhamente, esta pode ser a razão pela qual GSP pediu ao presidente do UFC Dana White pela luta com Diaz.  
  
"Ele vai trazer o melhor de mim nesta luta", disse o campeão. "É a luta que todos querem, que o UFC quer, e também a luta que mais vende."  
  
Também é a luta em que GSP pode silenciar os críticos de uma vez por todas.  Diaz é o herói 'cult', o homem que todos dizem ter o estilo para bater GSP, e aquele que acreditam poder tirar o canadense de sua zona de conforto.  
  
Sábado à noite, muitas perguntas serão respondidas, mas se histórias passadas são um indicador, Georges St-Pierre provavelmente sairá do Octógono sabendo que ele ainda é GSP.  


 

Watch Past Fights

Midia

Recente
Mark Hunt se tornou o primeiro lutador a nocautear Roy Nelson no Octógono. O atleta neozelandês analisa a luta e diz que espera lutar em quatro semanas no card em Sidney, Australia. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Miesha Tate derrotou a até então invicta japonesa Rin Nakai, por decisão unânime, e falou na entrevista pós-lutas que sua estratégia era usar a envergadura e ser agressiva. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Melhores momentos da coletiva de imprensa pós-lutas do Fight Night Japão.
20/09/2014
Assista à coletiva de imprensa pós-lutas ao vivo na sequência do evento.
15/09/2014