Mousasi: O inabalável competidor está pronto para sacudir a Suécia

"Eu acredito que sou um lutador top, e se isso é verdade, devo ser capaz de lutar contra qualquer um e vencer. " - Gegard Mousasi
UFC light heavyweight Gegard Mousasi
Aos 27 anos, Gegard Mousasi já competiu em alguns dos maiores palcos dos esportes de combate. O lutador holandês-armênio conquistou títulos em várias organizações e em várias disciplinas ao redor do globo, e com tanto sucesso em seu currículo, é difícil imaginar que o maior desafio de sua carreira de uma década ainda está por vir. Mas quando ele fizer sua tão esperada estreia no UFC neste sábado no show da Suécia, ele vai finalmente começar a testar suas habilidades no campo de provas mais proeminente do MMA.    

É uma oportunidade que Mousasi vem aguardando, mas que foi alterada e cercada ameaças antes de sábado.    

O próximo capítulo da carreira de Mousasi foi originalmente criado para bater de frente com o meio-pesado local Alexander Gustafsson na luta principal, em Estocolmo, Suécia. Era um confronto muito aguardado que teria colocado dois dos mais habilidosos atletas até 93kg do planeta frente a frente, entretanto não acontecerá mais.  

Infelizmente, Gustafsson sofreu um corte acima do olho esquerdo na semana final de preparação. Quando a notícia da lesão de "The Mauler" foi divulgada, ela desencadeou uma tempestade caótica de especulações relacionadas a participação do lutador da Team Alliance, ou se o UFC ia encontrar um substituto.    

Dana White twittou esperança para os fãs. Wanderlei Silva fez uma piada inoportuna sobre o 1º de abril. E, sem se abalar, Mousasi aguardava uma palavra a respeito de quem seria seu adversário.    

Na tarde de terça-feira, Gustafsson foi inspecionado pela Federação Sueca de MMA e os médicos da organização se recusaram a dar-lhe uma autorização médica para ele lutar. Com Mousasi agora sem um oponente para a luta principal, a organização confirmou o parceiro de treinos de Gustafsson, Ilir Latifi, como protagonista da do duelo que encabeça o UFC Suécia.  

Mesmo com o obstáculo em seu caminho modificado, Mousasi está indo com tudo para a luta.  
 
Apesar de ser um ex-campeão do extinto Strikeforce, para uma grande parte dos fãs do UFC, as únicas lutas que importam são aquelas que acontecem dentro do Octógono. É uma condição do esporte que ele compreendeu, e as circunstâncias em torno do combate não são suficientes para amenizar os acontecimentos durante os 15 minutos ou menos de luta principal.   

Na mente de Mousasi, os fatores externos não afetam a luta. Não importa se irá competir diante de uma multidão sueca apaixonada. Não importa se está enfrentando um novo desafiante com quatro dias de aviso. Simplificando: a única coisa que importa para Mousasi na noite da luta é o que acontece quando fecha a porta da gaiola.    

"Eu tenho uma luta. Fora isso, não me importo muito com qualquer outra coisa", Mousasi disse. "Eu vou lutar e me certificar que todo o trabalho duro não foi em vão. Mudar o adversário não me incomoda porque treinei para uma luta. Isso não é ciência espacial. Eu já tinha um compromisso com outro adversário, mas este é o adversário e tenho que aceitar. Eu não escolhi o meu primeiro adversário. O UFC quer essa luta e vou lutar."  

Ao longo de sua carreira, Mousasi nunca se esquivou de testar a si mesmo. Atuou no Strikeforce em várias categorias de peso e testou suas habilidades em uma variedade de diferentes profissões, sob a bandeira dos esportes de combate. Sua experiência e sucesso no boxe e kickboxing fizeram Mousasi um dos strikers mais temidos de todo o MMA. Sua noção de distância e trabalho de pernas lhe dá uma capacidade única de encurtar e explorar isso de forma eficaz.  

Enquanto a trocação e o jiu-jitsu de Mousasi são perigosos, seu wrestling não anda no mesmo compasso. Na verdade, sua última derrota veio através da incapacidade para neutralizar o wrestling de Muhammed "King Mo" Lawal, quando os dois disputaram o título dos meio-pesados do Strikeforce.
    
É um conjunto de habilidades que Mousasi tem trabalhado arduamente para melhorar, e essa progressão vai ser testada no sábado, contra Latifi. "The Sledgehammer" utiliza um estilo forte no wrestling e o atleta de 29 anos vai buscar utilizar essas ferramentas em sua estreia no UFC.    

"Latifi é muito mais baixo do que Gustafsson e é um wrestler", disse Mousasi. "Alexander era um striker alto e Latifi será um adversário muito diferente. Mas eu treino todos os aspectos da luta. Não é como se eu só treinasse boxe e kickboxing. Vai ser uma luta boa. Seu wrestling não vai ser um problema.
  
"Eu sempre vou para acabar com meus adversários e sempre luto para frente. Ele é um bom oponente e nós vamos ter uma luta emocionante."  

Mousasi estava cotado originalmente como azarão no UFC Suécia, mas com a mudança de adversário, ele agora se encontra no lado oposto do fator de risco. Mousasi está em uma missão para se tornar o melhor lutador dos meio-pesados no mundo, e falhar contra um desconhecido Latifi seria dificultar muito esse processo. No entanto, Mousasi acredita que se ele merece ser rotulado como um lutador top, então deve ser capaz de despachar o que vier pela frente.  
  
"Não existe pressão", Mousasi disse. "É uma luta de alto risco. Eu tenho muito a perder e ele não tem nada a perder. Mas acredito nas minhas habilidades como lutador e se eu não conseguir executar, a culpa é minha. Eu acredito que sou um lutador top, e se isso é verdade, devo ser capaz de lutar contra qualquer um e vencer. "  






Watch Past Fights

Midia

Recente
Mascarados, fantasiados e com os rostos pintados. Os nossos lutadores também têm o seu momento de folião. Relembre algumas das encaradas que podem muito bem servir com inspiração para esse Carnaval.
24/02/2017
Relembre vitória por decisão unânime de Stephen Thompson sobre Rory MacDonald no UFC Ottawa, em 2016. Thompson volta ao octógono em revanche pelo cinturão dos meio-médios contra o campeão Tyron Woodley, no dia 4 de março, no UFC 209.
20/02/2017
Relembre o primeiro duelo entre o campeão Tyron Woodley e Stephen Thompson, que terminou com empate majoritário. Os lutadores fazem revanche pelo cinturão dos meio-médios em 4 de março, no UFC 209.
20/02/2017
Relembre vitória por nocaute do campeão Tyron Woodley sobre Josh Koscheck no UFC 167, em 2013. Woodley defende o cinturão dos meio-médios em revanche contra Stephen Thompson no dia 4 de março, no UFC 209.
24/02/2017