Gleison Tibau: Esta é a hora

“Depois de sete anos no UFC, estou pronto”, ele disse. “Eu tenho muita experiência, muito foco, e estou faminto. Esta hora é a minha hora.” -Gleison Tibau
Peso leve do UFC - Gleison TibauGleison Tibau pode não ser um nome muito conhecido para os fãs do UFC, mas deveria. Prestes a entrar no Octógono pela vigésima vez em 31 de agosto quando enfrentará Jamie Varner no UFC 164 em Milwaukee, o peso leve brasileiro irá se tornar um dos 13 homens na história do UFC a conquistar este número. E quando você considera alguns nomes desta lista como os membros do Hall da Fama Chuck Liddell, Matt Hughes, Tito Ortiz e Randy Couture, também o campeão Georges St-Pierre, BJ Penn e Rich Franklin, ufa... É um feito e tanto. Mas para Tibau, não houve nenhum segredo para chegar a esta marca.

“Estou pronto sempre”, ele disse. “Quando o UFC chama, estou pronto para lutar e eu gosto disto.”

Ganhar uma chance ao título nos 70 kgs, onde passou a maior parte do seu tempo no UFC, tem sido um pouco mais difícil de conseguir, e isto é algo que ele espera corrigir, começando com a luta contra Varner, que o colocará contra o ex-campeão do WEC que ganhou dois de três compromissos desde que retornou ao Octógono em 2012, com a única derrota para Joe Lauzon resultando em Luta da Noite.  É uma grande luta potiguar, de 29 anos, e ele sabe disto.

Jamie Varner é um cara duro”, disse Tibau. “Ele foi campeão no WEC, e é uma boa luta para mim. Com uma grande vitória sobre Varner, estarei mais perto de uma luta valendo o título.”

Se vitorioso, Tibau terá duas vitórias seguidas em três de suas últimas quatro lutas.  A mais recente foi uma finalização no segundo round sobre John Cholish em maio, que marcou sua segunda luta no Brasil desde 2007.

“Voltar a lutar para o UFC no Brasil foi muito melhor”, disse Tibau, que também venceu Francisco Trinaldo em sua terra no UFC 153 em outubro. “Muitas pessoas estavam torcendo e cantando, e foi muito bom. Sete anos antes, o MMA não era popular, e agora é. Todo mundo assiste as lutas e comenta, então é muito bom.”

Com toda essa quilometragem se acumulando: lutar no Brasil, ficar pronto para sua vigésima luta no UFC, se aproximar dos sete anos na organização, você tem a sensação de que Tibau está chegando em seu melhor momento na hora certa.

E se ele conseguir consistência em suas performances como as que teve em uma série de vitórias seguidas em 2007 onde venceu Kurt Pellegrino, Rafaello “Trator” Oliveira e Rafael dos Anjos em lutas consecutivas, ele pode muito bem estar batendo a porta da chance ao cinturão em 2014. Você não precisa dizer isto para ele duas vezes.

“Depois de sete anos no UFC, estou pronto”, ele disse. “Eu tenho muita experiência, muito foco, e estou faminto. Esta hora é a minha hora.”

Watch Past Fights

Midia

Recente
Mark Hunt se tornou o primeiro lutador a nocautear Roy Nelson no Octógono. O atleta neozelandês analisa a luta e diz que espera lutar em quatro semanas no card em Sidney, Australia. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Miesha Tate derrotou a até então invicta japonesa Rin Nakai, por decisão unânime, e falou na entrevista pós-lutas que sua estratégia era usar a envergadura e ser agressiva. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Melhores momentos da coletiva de imprensa pós-lutas do Fight Night Japão.
20/09/2014
Assista à coletiva de imprensa pós-lutas ao vivo na sequência do evento.
15/09/2014