É o mundo de Jon Jones

"Preciso estar no meu melhor para conseguir continuar no plano em que estou.” - Jon Jones
Quando você temCampeao peso meio-pesado - Jon Jones 26 anos, como Jon Jones, o maior oponente não é o que ele enfrenta na noite da luta, mas sim ele mesmo. E neste ponto ele não está deixando o homem no espelho ficar no caminho entre ele e o que quer fazer neste esporte, que não somente inclui despachar Alexander Gustafsson, mas bater o recorde de maior número de defesas de título bem sucedidas no UFC com uma vitória, e deixar ainda mais marcas em seus próximos anos.

“O que me motiva é observar meus oponentes e ver aqueles momentos de grandiosidade que o Alexander possui”, disse Jones. “Isto que me mantém motivado, me mantém aceso, e me mantém treinando muito, percebendo que qualquer coisa pode acontecer e que preciso estar no meu melhor para conseguir continuar no plano em que estou.”

Talvez a derrota chocante de Anderson Silva para Chris Weidman foi um lembrete para Jones de que neste jogo, um segundo em que você perde o foco pode terminar a luta. Ele sabe disto pela sua última ida a Toronto em Setembro de 2012, quando foi pego em um armlock justo por Vitor Belfort no primeiro round. Jones se recusou a bater, escapou e venceu no quarto round, mas foi uma lição a ser aprendida de que neste nível do esporte, qualquer um é perigoso. E Gustafsson não é nenhuma exceção. Jones sabe disto também, mas quando perguntado sobre seus hábitos de rever lutas, ele se refere a pior noite da carreira profissional do sueco.

Phil Davis (que deu a Gustafsson sua única derrota por finalização em 2010) não usou nenhuma técnica devastadora nem nenhum wrestling limpo”, disse Jon Jones. “Ele entrou lá e fez uma briga de cachorro, implementou sua vontade completamente, e roubou a alma de Alexander em cinco minutos. Alexander bateu antes do estrangulamento estar justo, se você ouve o sinal dos 10 segundos, você não bate, não importa o que aconteça. Phil o pressionou por 2 ou 3 segundos e ele bateu. Isto me deixa saber que sua alma foi tirada, e se ele desiste uma vez, não consigo ver como não o faria desistir de novo.”

Então Jones agora está no ramo de roubar almas?

O campeão ri.

“O treinador dele disse que ele vai roubar minha alma”, contra ataca Jones. “Mas Davis tirou a vontade dele. Isto me mostra que eu e ele estamos em níveis diferentes podemos ter a mesma altura, mas mentalmente estamos em níveis completamente diferentes.”

Apesar de desafiantes famintos como Gustafsson e Glover Teixeira batendo a sua porta e Daniel Cormier o assombrando á distância, é uma tarefa dura para dizer o mínimo, especialmente no UFC e especialmente quando – o peso médio no boxe Marvin Hagler uma vez disse ‘é difícil trabalhar em rodovias enquanto ainda está usando pijamas de seda’ Jones nunca fala sobre dinheiro. Sempre sobre seu futuro no esporte.

“Eu acho que é muito importante ter metas que não tem nada a ver com o lado financeiro das coisas”, ele disse. “Agora cheguei a um ponto financeiramente que nunca pensei que estaria, e não acho que mudou quem eu sou de maneira alguma, e isso me diz que talvez eu não faça isso necessariamente pelo dinheiro, eu faço de maneira que me sinto bem, para ser o melhor do mundo em algo e poder ir atrás da excelência e ser uma versão melhor de mim. Coisas assim te fazem se sentir bem e te dão uma razão na vida. É isso que a luta fez por mim – me deu um jeito de ser melhor.”

Com este tipo de foco, talento e habilidade, quem você escolheria para vencê-lo?


Watch Past Fights

Midia

Recente
Mascarados, fantasiados e com os rostos pintados. Os nossos lutadores também têm o seu momento de folião. Relembre algumas das encaradas que podem muito bem servir com inspiração para esse Carnaval.
24/02/2017
Relembre vitória por decisão unânime de Stephen Thompson sobre Rory MacDonald no UFC Ottawa, em 2016. Thompson volta ao octógono em revanche pelo cinturão dos meio-médios contra o campeão Tyron Woodley, no dia 4 de março, no UFC 209.
20/02/2017
Relembre o primeiro duelo entre o campeão Tyron Woodley e Stephen Thompson, que terminou com empate majoritário. Os lutadores fazem revanche pelo cinturão dos meio-médios em 4 de março, no UFC 209.
20/02/2017
Relembre vitória por nocaute do campeão Tyron Woodley sobre Josh Koscheck no UFC 167, em 2013. Woodley defende o cinturão dos meio-médios em revanche contra Stephen Thompson no dia 4 de março, no UFC 209.
24/02/2017