Jake Shields - Pronto para iniciar seu legado

"Eu vou dar tudo no chão e eu não vou ficar preocupado em ser finalizado". - Jake Shields
Quando chegou ao conhecimento do mundo que o ex-desafiante ao cinturão dos médios e mestre das provocações Chael Sonnen tinha sido requisitado por Jake Shields para ajudá-lo a se preparar para seu desafio pelo título meio-médio de Georges St-Pierre no UFC 129, muitos comentários surgiram.      
       
É claro que a perspicácia de Sonnen no wrestling ia ser um recurso valioso contra GSP, mas poderia também trazer algumas dicas úteis sobre como o californiano poderia usar as palavras para desestabilizar mentalmente o campeão.      
       
"Nós nem sequer falamos sobre isso", riu Shields, derrubando milhares de expectativas sobre provocações antes do maior evento da história do UFC. "Eu já estou mentalmente forte, penso em ir lá e tomar o cinturão. Não é realmente uma preocupação essa batalha mental, acho que o GSP já sabe o que terá, e eu não sou realmente um grande provocador. Não é meu estilo".     
       
Ela nunca foi e provavelmente nunca será. Não é necessário. Muitas vezes, uma guerra travada verbalmente resulta no que James Brown cantou uma vez: 'falando alto e dizendo nada'. Shields, como St-Pierre, prefere deixar a obra falar por si, e no caso do adversário, é um resumo ao contrário da maioria dos que o campeão encarou.      
       
Vencedor de 15 lutas consecutivas, Shields não sabe o que é derrota desde foi batido por decisão por Akira Kikuchi, em 2004. E se você acha que 14 dessas vitórias fora do UFC são enganadoras, pense novamente. Entre as vítimas de Shields estão lutadores atuais do UFC como Yushin Okami, Carlos Condit, Mike Pyle e Jason 'Mayhem' Miller e beteranos do octógono como Steve Berger, Dave Menne, Renato 'Charuto' Verissimo, Nick Thompson, Paul Daley e Robbie Lawler. Mas sem dúvida a maior vitória de sua carreira foi uma decisão de cinco rounds sobre o ex-campeão do PRIDE em divisões campeão Dan Henderson em abril de 2010.      
       
"Ela (a vitória  sobre Henderson) que ajudou muito com a minha confiança", disse ele. "Eu acreditava em mim antes, mas para ir lá e mostrar que eu posso derrubar um wrestler de nível olímpico, que também é um grande cara, provou que eu posso derrubar qualquer um, e eu pretendo fazer o mesmo com o GSP. As pessoas dizem que eu não vou ser capaz de derrubá-lo, mas eu estou acostumado a ser subestimado pelas pessoas".      
       
Deve ser a altura de loucura para olhar Shields passado ou diminuir qualquer coisa que ele fez ao longo dos anos. Talvez ele deveria ter falado mais, mas com toda a seriedade, se você não considera Shields entre os lutadores no jogo, você apenas não está prestando atenção. Pelo menos é St-Pierre, e ele é realmente o único que conta neste momento.      
       
E se e quando a luta chega ao solo, será o começo da diversão. St-Pierre tem sido capaz de dominar seus oponentes com seu wrestling no solo há vários anos. Shields é um especialista em finalizações que tem uma incrível capacidade de transições. Vai ser uma batalha de vontade e habilidade no chão, mas há uma coisa Shields pode quase garantir, e isso é que ele não vai ser finalizado      
       
"Nada é impossível, mas é muito, muito improvável", disse Shields, dono de 10 vitórias por finalização. "Eu nunca fui finalizado em uma luta e eu não pretendo ser".      
       
É uma afirmação suprema da confiança, mas não de arrogância, e caminhar assim pode fazer a diferença. No sábado, a meta de Shields é ser agressivo, mas não irresponsável.      
       
"Eu vou dar tudo no chão e eu não vou ficar preocupado em ser finalizado", disse ele. "Claro que posso cometer um erro e ser pego, mas eu não pretendo que isso aconteça".     
    
Georges St-Pierre tem dito que Jake Shields será o maior teste de sua carreira, o adversário mais difícil que já enfrentou. Ele pode estar certo. Shields não é Josh Koscheck, Jon Fitch, Dan Hardy ou Thiago Alves, todos os lutadores de qualidade, mas lutadores sem experiência em lutas pelo título. Shields já passou por isso com louvor, e tudo pelo que St-Pierre já passou, o desafiante pode provavelmente ter passado também.     
       
"Eu acho que isso me dá uma enorme vantagem", disse ele. "Eu provavelmente tive quase tantas lutas pelo título como ele, e lutei cinco lotes rounds algumas vezes. Claro que o UFC é o maior show, por isso é um pouco diferente, mas no geral, é um lugar onde estive antes, então ele me dá uma vantagem".      
       
Mais de 55 mil fãs estarão torcendo contra Shields no sábado à noite, mas o lutador de 32 anos de idade está indiferente quanto a isso. Ele sabe o que é ganhar um título, defender, e lutar com tudo o que tem para mantê-lo. E como seu adversário, seu objetivo não é apenas o cinturão, mas algo muito mais importante.      
       
"Quero ser lembrado como um dos melhores que já viveu", disse Shields. "Fiz um bom nome, mas eu não estou feliz ainda. Quero que as pessoas olhem para o passado daqui a 20 anos e se lembrem de mim".       

Watch Past Fights

Midia

Recente
Não foi apenas um saldo positivo para os lutadores brasileiros no UFC 177, mas também atuações sólidas, com Diego Ferreira e Bethe Pitbull aplicando dois nocautes. Amanda Salvato conversou com os dois após as grandes vitórias no card principal.
30/08/2014
Ouça Danny Castillo e Tony Ferguson após a batalha no UFC 177 que terminou com uma decisão dividida.
30/08/2014
O campeão peso galo T.J. Dillashaw e o desafiante Joe Soto comentam seus desempenhos na luta principal do UFC 177 com o comentarista Joe Rogan.
30/08/2014
T.J. Dillashaw fala de sua primeira defesa de cinturão UFC, Bethe Correia expressa seu desejo de lutar pelo título, e o que Dana achou de Joe Soto.
30/08/2014