Jon Jones – Ele vai sacudir o mundo?

"Basicamente, tudo que ele pode fazer, posso fazer melhor. Sou jovem, faminto e Shogun é um grande lutador, mas eu sinto que não há nada que ele faça que eu não possa fazer". - Jon Jones
Quinto Round. É hora de liberar a fera!      
      
Na academia de Greg Jackson em Albuquerque, Novo México, isso significa chamar Tyler 'The Beast' East.  O meio-pesado Jon Jones tinha acabado as suas quatro horas de treino em preparação para a luta do UFC 128 contra Mauricio 'Shogun' Rua e o seu prêmio para o quinto round era a poderosa promessa da categoria pesado.      
      
"O menino é bom. Ele dispara chutes fortes de direita direto na cabeça e nas pernas, e quando ele soca, é como se eu lutasse contra o Golias. Ele realmente me faz sentir como se eu tivesse que sobreviver".      
      
É, Jones tem sido forçado a sobreviver. Apesar de ter passado com tranquilidade por todos os seus oponentes e ter feito bons lutadores parecerem normais, na academia, o lutador é colocado no seu limite diariamente.      
      
"Essa sensação que o East me dá, ninguém nunca me deu em uma luta de MMA, com a exceção do Stephan Bonnar, quando eu realmente me cansei e não sabia mais o que fazer. Mas a minha equipe é muito forte e quando eu treino é um nível completamente diferente de tudo que já experimentei em uma luta".      
      
Por mais que pareça difícil, essa é uma boa notícia para Jones, de 23 anos. A má notícia é que Shogun é um oponente diferente de todos que ele já enfrentou. É por isso que ele é o campeão do meio-pesado do UFC e é visto como um dos melhores do mundo. Mas Shogun não é um estranho para Jones. Na verdade, nos seus primeiros dias no esporte, ele se acostumou a ver o brasileiro.      
      
"Existia uma garota, a Michelle, que treinava MMA há mais tempo do que eu e era fanática pelo Shogun. Então todo dia que eu a encontrava no mercado, ela me dava um DVD diferente dele para assistir.      
      
"Assista esses", ela dizia, "eles são uma ótima forma para você aprender a lutar".      
      
"Ele foi o primeiro cara que assisti e pensei que gostaria de lutar com ele um dia, mas nunca me inspirei nele. Ele era apenas o lutador que eu vi pela primeira vez quando entrei no esporte. Depois veio o Anderson Silva e eu logo esqueci do Shogun. Mas eu lembro de falar que era impressionante ele ter apenas 23 anos e já ser campeão do PRIDE. Isso me motivou e mostrou que tudo era possível".      
      
E Jones comprovou isso. Ele talvez seja um talento único da sua geração. Venceu Bonnar apenas na sua segunda luta pelo UFC e mesmo na única derrota, para Matt Hamill, ele foi desqualificado 15 segundos depois de onde a luta deveria ter sido encerrada, com um nocaute a seu favor.      
      
Mas a luta que convenceu até os mais céticos foi a sua vitória sobre Ryan Bader em fevereiro. É uma conquista que muitos comentam por conta do que veio depois, com Jones tendo a chance de entrar no lugar de Rashad Evans, lesionado, para tentar o título contra Shogun.      
      
E agora Jones pode mostrar ao mundo do MMA toda a sua competitividade, misturada com o seu estilo dinâmico e sagacidade. Ele tem sido chamado de 'A Próxima Grande Coisa' desde a sua estreia no UFC contra André Gusmão em 2008 e nada que aconteceu depois dessa luta diminuiu o seu status.      
      
E se Jones vencer no sábado à noite, ele pode muito bem se tornar a figura mais importante do esporte no momento. Mas ainda há um lutador a ser batido. Shogun, apesar do que os apostadores pensam, não é um azarão. Ele é um veterano que já conquistou o que Jones ainda está tentando. Ele também já lutou contra os melhores do esporte e se os nocautes sobre Chuck Liddell e Lyoto Machida não foram convincentes, considere que ele está entrando em uma luta 100% saudável pela primeira vez em um bom tempo.      
      
Mas a grande questão para Jones é como ele irá reagir se for atacado pelo artista dos nocautes que Shogun é. Ele fará aquela dancinha engraçada? Será capaz de se levantar e se recuperar? Essas respostas são todas desconhecidas para nós, mas não para Jones.       
      
"Minha resposta para isso é que eu tive o privilégio de nunca mostrar isso pra ninguém. Para todos que dizem que nunca me viram apanhar e imaginam como irei reagir, a razão de nunca ter sido batido é porque sou obcecado com o que faço e estou na academia diariamente, seis horas diárias e três vezes ao dia. Mas para quem ainda imagina como irei reagir, posso dizer que já fui nocauteado e reagi bem. Eu estou preparado e isso que importa".      
      
É a voz da juventude, da confiança e possivelmente do futuro das Artes Marciais Mistas. Mas ele não está sendo pretensioso, ele apenas acredita que o que é construído pode ser conquistado. Ele pensa nessa luta todos dias há seis semanas e agora falta apenas um dia.      
      
"Eu me imagino chegando lá, lutando a minha luta, mantendo minha guarda, trocando socos, levando chutes e chutando de volta. Eu consigo me ver derrubando-o, ainda pior do que fiz com Stephan Bonnar. Consigo me ver finalizando no chão. Basicamente, tudo que ele pode fazer, posso fazer melhor. Sou jovem, faminto e Shogun é um grande lutador, mas eu sinto que não há nada que ele faça que eu não possa fazer".      
      
Bones para por um momento e continua...      
      
"Eu vejo essa luta indo para o meu lado no chão, em pé e no wrestling".      
      
Essa é a hora de Jones mostrar que pode sacudir o mundo.    

Watch Past Fights

Sábado, Outubro 25
23h
BRT
Rio de Janeiro, Brazil

Midia

Recente
Last night on BT Sport's Beyond the Octagon featherweights Conor McGregor and Chad Mendes exchanged trash talk. Watch Conor's Checklist of featherweights on UFC FIGHT PASS: http://www.ufc.tv/category/conors-checklist
22/10/2014
A Contagem Regressiva mostra as preparações e as vidas de José Aldo, Chad Mendes, Glover Teixeira, Phil Davis, Diego Ferreira e Beneil Dariush antes de suas lutas no UFC 179, em 25 de outubro.
18/10/2014
Norte-americano diz que melhorou muito desde a última vez que eles se encontraram, em 2012. “Se você acha que será como da primeira vez, terá um choque brutal”. *Garanta seu ingressos em - on.ufc.com/ufcingressoscrio
20/10/2014
Norte-americano acredita que seu companheiro de treino vencerá José Aldo com um ground and pound nos últimos rounds. *Garanta seu ingressos em - on.ufc.com/ufcingressoscrio