Renan Barão: Um salve ao rei

"Preciso manter meu foco no meu próximo objetivo, e seu nome não é Cruz, o nome dele é Eddie Wineland." - Renan Barão
Campeão peso galo interino - Renan BaraoExistem duas perguntas que permaneceram praticamente intactas desde quando o título interino peso galo do UFC foi conquistado por Renan Barão contra Urijah Faber em 21 de julho de 2012.

A primeira é, quando será a luta de unificação contra Dominick Cruz?

A segunda é, ele se considera o campeão absoluto da divisão até 61 quilos antes de sua segunda defesa neste sábado contra o ex-dono do cinturão do WEC Eddie Wineland na luta co-principal do UFC 165 em Toronto?

"O ponto principal é que estou feliz em mostrar o que sou capaz de fazer", diz o produto Nova União, evitando respostas diretas para as duas perguntas. "Se os fãs e especialistas, que me fazem essas perguntas o tempo todo, soubessem um pouco mais a meu respeito, eles perceberiam que realizei um sonho com esse cinturão interino. Eu já sou um vencedor em representar o que represento no maior palco do esporte."

O “representar” que Barão está falando é relacionado a sua ética profissional, dedicação e lealdade às suas raízes, que começou quando o homem com um cartel de 32v-1d, 1 NC tornou-se um lutador profissional há oito anos. Ser nomeado “campeão interino” é apenas um rótulo para o lutador brasileiro, mesmo que, em contraste com outras oito categorias de peso do UFC, existam dois lutadores no topo da divisão galo: o próprio Renan e Cruz.

"O destino está nas mãos de Deus, e quando a unificação do título vier, eu vou saber lidar com isso", disse Barão. "As coisas aconteceram naturalmente na minha carreira, e a parte mais importante de tudo isso é que estou muito tranquilo em relação a esta questão do título peso galo. Eu me empenho e o reflexo disso é o nível que alcancei, a conquista do cinturão, a defesa bem sucedida e a ajuda que pude dar para minha família."

Relembrando a defesa de cinturão comentada por Barão, contra Michael McDonald, no UFC de 16 de fevereiro, em Londres, na Inglaterra, ela foi bem sucedida, mas não foi fácil para o campeão interino. A disputa foi decidida no quarto assalto por finalização, antes disso, Barão teve que lidar com um desafiante escorregadio no chão e encardido em pé, que deu ao campeão momentos difíceis antes dos 3m57s do quarto round.

"Eu tinha um plano para essa luta, levá-lo para as rounds finais", disse ele. "É claro que precisamos considerar que ele não era um desafiante por acaso, ele estava ali para tomar o cinturão. Ele fez o seu trabalho e eu fiz meu. McDonald é um striker forte, ele nocauteou alguns bons competidores e era explosivo no início da luta, por isso, minha estratégia era drenar seu gás, reduzindo seu poder e lutando até conseguir aquela finalização [katagatame] no penúltimo round."

Eddie Wineland, o primeiro campeão peso galo do WEC, tem semelhanças com o último adversário de Barão. Também conhecido por seu poder na trocação, Wineland nocauteou Scott Jorgensen e bateu o casca-grossa Brad Pickett por decisão, antes de ser nomeado o desafiante na luta deste fim de semana. Daquele tempo no WEC para o seu atual no UFC, Wineland está como um bom vinho – quanto mais velho (experiente) melhor - e ele diz ser mais rápido e mais forte do que o brasileiro. O campeão está de acordo com a primeira frase, porém discorda da segunda sutilmente.

"Comparando sua passagem WEC com a do UFC, ele evoluiu", diz Barão. "O cara é duro, vem pra cima e tem as mãos pesadas. Mas quem tem boca fala o que quer. Eu treinei muito em todas as partes do jogo, e sei que o meu jiu -jitsu será a diferença entre nós. Assim que chegar no chão as chances são enormes dele ser finalizado."

Podemos ver que o homem está focado em sua próxima defesa, mas a inevitável pergunta surge novamente, há alguma maneira de não pensar em Cruz antes de enfrentar o Wineland?

"Respondo esta pergunta, mas não penso nisso. Não estou vivendo esse dilema de 'o que se'", disse Barão. "Uma coisa depende da outra, como todo mundo sabe, e preciso manter meu foco no meu próximo objetivo, e seu nome não é Cruz, o nome é Eddie Wineland."

Watch Past Fights

Midia

Recente
UFC Fight Night weigh-in event on September 19, 2014 in Saitama, Japan. (Photos by Mitch Viquez/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
19/09/2014
Em entrevista ao UFC, lutadora americana afirma querer ser a primeira pessoa a derrotar a japonesa Rin Nakai e colocar a marca 'Miesha Tate' na rival. Veja o vídeo.
19/09/2014
Assista à pesagem oficial do UFC Fight Night: Hunt vs. Nelson ao vivo na sexta, dia 19 de setembro, às 4 da madrugada.
15/09/2014
Em entrevista exclusiva para o UFC, a campeã afirma que adoraria enfrentar Bethe Correia no Brasil e diz não ter medo das vaias. 'Já fui vaiada em mais de 30 diferentes línguas. Não sei como se organizam para isso'. Confira a entrevista
18/10/2014