Renan Barão: Um salve ao rei

"Preciso manter meu foco no meu próximo objetivo, e seu nome não é Cruz, o nome dele é Eddie Wineland." - Renan Barão
Campeão peso galo interino - Renan BaraoExistem duas perguntas que permaneceram praticamente intactas desde quando o título interino peso galo do UFC foi conquistado por Renan Barão contra Urijah Faber em 21 de julho de 2012.

A primeira é, quando será a luta de unificação contra Dominick Cruz?

A segunda é, ele se considera o campeão absoluto da divisão até 61 quilos antes de sua segunda defesa neste sábado contra o ex-dono do cinturão do WEC Eddie Wineland na luta co-principal do UFC 165 em Toronto?

"O ponto principal é que estou feliz em mostrar o que sou capaz de fazer", diz o produto Nova União, evitando respostas diretas para as duas perguntas. "Se os fãs e especialistas, que me fazem essas perguntas o tempo todo, soubessem um pouco mais a meu respeito, eles perceberiam que realizei um sonho com esse cinturão interino. Eu já sou um vencedor em representar o que represento no maior palco do esporte."

O “representar” que Barão está falando é relacionado a sua ética profissional, dedicação e lealdade às suas raízes, que começou quando o homem com um cartel de 32v-1d, 1 NC tornou-se um lutador profissional há oito anos. Ser nomeado “campeão interino” é apenas um rótulo para o lutador brasileiro, mesmo que, em contraste com outras oito categorias de peso do UFC, existam dois lutadores no topo da divisão galo: o próprio Renan e Cruz.

"O destino está nas mãos de Deus, e quando a unificação do título vier, eu vou saber lidar com isso", disse Barão. "As coisas aconteceram naturalmente na minha carreira, e a parte mais importante de tudo isso é que estou muito tranquilo em relação a esta questão do título peso galo. Eu me empenho e o reflexo disso é o nível que alcancei, a conquista do cinturão, a defesa bem sucedida e a ajuda que pude dar para minha família."

Relembrando a defesa de cinturão comentada por Barão, contra Michael McDonald, no UFC de 16 de fevereiro, em Londres, na Inglaterra, ela foi bem sucedida, mas não foi fácil para o campeão interino. A disputa foi decidida no quarto assalto por finalização, antes disso, Barão teve que lidar com um desafiante escorregadio no chão e encardido em pé, que deu ao campeão momentos difíceis antes dos 3m57s do quarto round.

"Eu tinha um plano para essa luta, levá-lo para as rounds finais", disse ele. "É claro que precisamos considerar que ele não era um desafiante por acaso, ele estava ali para tomar o cinturão. Ele fez o seu trabalho e eu fiz meu. McDonald é um striker forte, ele nocauteou alguns bons competidores e era explosivo no início da luta, por isso, minha estratégia era drenar seu gás, reduzindo seu poder e lutando até conseguir aquela finalização [katagatame] no penúltimo round."

Eddie Wineland, o primeiro campeão peso galo do WEC, tem semelhanças com o último adversário de Barão. Também conhecido por seu poder na trocação, Wineland nocauteou Scott Jorgensen e bateu o casca-grossa Brad Pickett por decisão, antes de ser nomeado o desafiante na luta deste fim de semana. Daquele tempo no WEC para o seu atual no UFC, Wineland está como um bom vinho – quanto mais velho (experiente) melhor - e ele diz ser mais rápido e mais forte do que o brasileiro. O campeão está de acordo com a primeira frase, porém discorda da segunda sutilmente.

"Comparando sua passagem WEC com a do UFC, ele evoluiu", diz Barão. "O cara é duro, vem pra cima e tem as mãos pesadas. Mas quem tem boca fala o que quer. Eu treinei muito em todas as partes do jogo, e sei que o meu jiu -jitsu será a diferença entre nós. Assim que chegar no chão as chances são enormes dele ser finalizado."

Podemos ver que o homem está focado em sua próxima defesa, mas a inevitável pergunta surge novamente, há alguma maneira de não pensar em Cruz antes de enfrentar o Wineland?

"Respondo esta pergunta, mas não penso nisso. Não estou vivendo esse dilema de 'o que se'", disse Barão. "Uma coisa depende da outra, como todo mundo sabe, e preciso manter meu foco no meu próximo objetivo, e seu nome não é Cruz, o nome é Eddie Wineland."

Watch Past Fights

Sábado, Julho 30
19H15
BRST
Atlanta, Geórgia

Midia

Recente
Em duelo emocionante de cinco rounds, Robbie Lawler derrotou Matt Brown por decisão unânime, em 2014, antes de assumir o cinturão da categoria. O campeão volta ao octógono nesse sábado (30) para enfrentar Tyron Woodley na luta principal do UFC 201.
17/11/2014
Os lutadores começam a chegar a cidade de Atlanta para a Fight Week do UFC 201, evento que acontece no próximo sábado (30).
27/07/2016
A série Embedded UFC 201 acompanha os bastidores das estrelas nos dias que antecedem o evento do próximo sábado (30).
27/07/2016
Entre na vida Matt Brown, Jake Ellenberger, Rose Namajunas, Karoline Kowalkiewicz, Tyron Woodley e Robbie Lawler e nos camps de treinamentos do principais lutadores do UFC 201, evento que acontece nesse sábado (30).
26/07/2016