Shane Carwin - Devastar e destruir

"Eu acho que o Cigano tem essa atitude. Ele tem muita confiança e está destruindo as pessoas. Quando eu vejo Cigano e sua atitude, eu acho que ele vai para a trocação com qualquer um".  - Shane Carwin
Não há nenhuma dúvida sobre quem Shane Carwin é quando ele entra no octógono. Não tem armlocks voadores, nem amarração para levar uma vitória por decisão dos jurados. Em honra ao grande peso médio de boxe Marvin Hagler, vamos apenas dizer que o único objetivo de Carwin é devastar e destruir.  
  
Em 12 combates profissionais de MMA, ninguém fez isso melhor do que o nativo de Greeley, Colorado, uma verdadeira força da natureza com marretas nos punhos. Então, quando ele balançou Brock Lesnar no primeiro round de sua luta pelo título dos pesados do UFC em julho passado, não havia nenhum pensamento de restrição, paciência e moderação.  
  
Devastar e destruir.  
  
"O tipo de lutador que sou, não vou para ganhar por pontos, vou para tentar destruir esse cara", disse Carwin, que viu o cinturão de campeão peso-pesado absoluto piscar diante dos seus olhos quando Lesnar cambaleou e tentou evitar o maior castigo caído, junto as grades.  
  
O que se seguiu foi o Carwin habitual, que já tinha dizimado Frank Mir, Gabriel 'Napão' Gonzaga, Neil Wain e Christian Wellisch em lutas no UFC. Socos após socos choveram sobre Lesnar, e quando você pensa que acabou, Brock fazia apenas o suficiente para manter o árbitro Josh Rosenthal longe de interferir.  
  
"Eu já tinha feito isso anteriormente em todas as minhas lutas, ir para matar", disse Carwin. "E foi isso que fiz. Rosenthal disse várias vezes, 'Brock, você tem que me mostrar alguma coisa ou vou parar a luta'. Quando você ouve isso, estando por cima, você tenta manter o ritmo para fazer o árbitro interromper, e o ritmo estava frenético. Eu só não consegui a paralisação".   
  
É disso que Carwin é feito e foi o que o levou ao topo da categoria pesado. Ele não chegou lá esperando para ver o que acontece quando machucava o adversário. Mas Lesnar aguentou a pressão e fez o suficiente entre para ouvir o sino ao final do primeiro round. Ele não sabia que a luta já havia terminado.  
  
"Quando vim para o segundo round, não havia nada lá", disse Carwin, e aos 2:19 do assalto numero dois, Lesnar encaixou um katagatame e manteve seu título. Na luta seguinte de Lesnar, ele sofreu um nocaute técnico no primeiro round diante de Cain Velasquez.  
  
Carwin passou por cirurgias a seguir e por muitas críticas em relação ao seu gás. Os questionamentos eram tantos que todas as suas lutas anteriores não importavam muito, mas sim sua única derrota, em um combate que passou dos cinco primeiros minutos. A situação gerou ainda mais desconfianças sobre seus métodos de treinamento.  
  
"É de se esperar", disse Carwin. "Eu acho que o Caim (Velasquez) tirou uma cópia daquela luta, e acertou melhor seus socos para terminá-la. Isso é provavelmente o que eu preciso aprender. Mas refiz algumas coisas e você sempre quer ser um lutador melhor. Caso contrário, os outros vão te superar".  
  
Mas Carwin precisa de reparos? Qualquer um na divisão dos pesados, que balança um adversário e, em seguida, vai em busca do nocaute deveria ser elogiado, não ridicularizado. E quais com outros pesados da divisão, talvez com a exceção de Velasquez, teriam voltado bem para o segundo assalto depois de um ritmo tão forte?  
  
Essa é uma pergunta que só pode ser respondida no octógono, mas por agora, Carwin está mais enxuto, mais ágil e saudável para o seu retorno neste sábado, contra Junior Cigano. E saudável é o elemento chave que ele trás para Vancouver graças a um procedimento cirurgico nas costas. 
  
"Em termos de funcionalidade do lado direito do meu corpo, eu continuo recebendo tratamento, estávamos tentando trabalhar com alguns problemas musculares no lado direito, mas eles eram na verdade problemas nos nervos dos músculos", explica ele. "Há uma dor muito menor desse lado, tenho força plena no meu braço direito. Eu não diria que era super limitado, mas quando você tem dormência, e você pode sente formigamento nos dedos o tempo todo, você sabe que algo não está certo".   
  
Carwin, 36 anos de idade, estará de volta ao octógono neste fim de semana, mas Cigano não era o seu oponente original, então ele não deveria estar lutando por uma vaga para desafiar Velasquez. Inicialmente, o novato Jon-Olav Einemo estava programado para lutar com ele, até Lesnar ser forçado a se retirar do duelo contra Cigano, devido a um outro ataque de diverticulite.  
  
"Nós tivemos que buscar informações sobre ele (Einemo), mas é claro que o treinador (Amal) Easton sabia quem ele era", disse Carwin de Einemo, que agora vai enfrentar o também estreante no UFC Dave Herman. "Ele é um campeão de Abu Dhabi. Ele esteve no topo por um tempo, e acho que ele teve algumas lesões que o afastaram das competições, então eu acho que ele era um oponente formidável, e estou animado para ver o que o Einemo pode fazer no UFC ".   
  
Porém Carwin ficou mais animado ainda quando recebeu um telefonema para enfrentar Cigano. Não era só pela chance de lutar pelo cinturão novamente (em caso de vitória). Pelos problemas nas costas, você quer se preocupar com alguém tentando dar um socos no seu  rosto durante toda a noite (Cigano), ou você gostaria de enfrentar um especialista em finalizações tentando estalar suas articulações na direção oposta. Sim, Cigano é a resposta.  
  
"Eu sei que nós não temos oportunidades assim aos montes na vida, e esta é grande", disse Carwin. "Isso me dá uma chance de ir lá e desempenhar algo que eu amo. Cigano é um dos dez melhores do mundo, e eu acho que esse é o quarto top dez seguido que enfrento".  
  
É verdade! E depois de mostrar que poderia vencê-los (Mir, Napão) e encarar um (Lesnar), Carwin tem que estar confiante em suas chances contra o Cigano. Adicione o fato que Cigano não conseguiu derrubar  Roy Nelson agosto do ano passado, e este é outro ponto a favor de Carwin, certo? Bem, ele ainda não é capaz de julgar o poder de seu oponente e o resto de seu jogo.
 
"Nelson tem um queixo de ferro, e o Cigano não é de brincadeira", disse Carwin. "Eu acho que ele é completo, muito difícil de derrubar, e ninguém nunca realmente viu seu Jiu-jitsu. Ele treinou com o (Minotauro) Nogueira, então você sabe que ele tem habilidades e sua trocação e velocidade estão no topo da divisão dos pesos pesados".   
  
Porém ele vai tornar o desejo de Carwin uma realidade partindo para a trocação franca?  
  
"Eu acho que o Cigano tem essa atitude", disse ele. "Ele tem muita confiança e está destruindo as pessoas. Quando eu vejo Cigano e sua atitude, eu acho que ele vai para a trocação com qualquer um".  
  
Cigano + Carwin = Devastar + Destruir  
  
Esse é o tipo de matemática que esse engenheiro do Colorado faz melhor.   


Watch Past Fights

Midia

Recente
UFC Ultimate Media Day no Hilton Tóquio no dia 17 de setembro, 2014 em Tóquio, Japão. (Fotos de Keith Tsuji/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
17/09/2014
Treinos abertos do UFC Fight Night no Hilton Tóquio no dia 16 de setembro, 2014 em Tóquio, Japão. (Fotos de Keith Tsuji/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
16/09/2014
Watch the post-fight press conference live following the event.
15/09/2014
Assista à pesagem oficial do UFC Fight Night: Hunt vs. Nelson ao vivo na sexta, dia 19 de setembro, às 4 da madrugada.
15/09/2014