UFC 133: Belfort retorna com grande KO; Evans detona lenda Ortiz na luta principal

·       Brasileiro Vitor Belfort massacra japonês e dá recado ao mundo do MMA: “Estou de volta”
 
·       Em luta principal da noite, Rashad Evans vence compatriota e lenda do MMA, Tito Ortiz, e segue forte para encarar luta pelo título dos meio-pesados
 
·       Pelo card preliminar, brasiliense Rani Yahya perde para Chad Mendes e mineiro Rafael “Sapo” Natal vence Paul Bradley
Antes mesmo do início da primeira luta da noite, o UFC 133 já estava marcado como evento numerado que antecede ao esperado UFC Rio.  Mas não foi só isso. Com nomes de peso e um total de 11 lutas casadas pela organização, o fã que acompanhou o evento, que foi realizado neste sábado, dia 6, no Wells Fargo Center, na Filadélfia, Estados Unidos, acompanhou boas lutas e lutadores que em breve disputarão os cinturões do maior evento de MMA do planeta. Prova disso foram as excelentes vitórias de Vitor Belfort e Rashad Evans, ex-campeões do evento, que agora retomam caminho para o cinturão das respectivas categorias.
 
Mesmo com torcida contra, Rashad Evans não toma conhecimento de Tito Ortiz
Em luta principal da noite, Rashad Evans demonstrou enorme superioridade técnica e física e arrasou a lenda do MMA Tito Ortiz. No 1º round, Rashad dominou a luta com bons golpes que minaram qualquer estratégia pensada por Ortiz.
 
No início do 2º round, Tito ainda tentou algumas posições no chão, mas não aguentou os potentes golpes de Rashad. E, aos 4 minutos e 48 segundos, o juiz encerrou a luta decretando nocaute para “Suga”, que mandou seu recado: “Me sinto muito bem. Tudo o que passei valeu a pena. Não sei se ficará com Jon Jones ou com Rampage, o que sei é que quero meu cinturão de volta”.
 
O “Fenômeno” está de volta
“Estou de volta”. Após o épico chute que tomou do campeão da categoria Anderson Silva o levando a nocaute no UFC 126, Vitor Belfort deve ter ensaiado essa frase com a mesma motivação com que treinou para encarar o desafio contra o japonês Yoshihiro Akiyama.
 
Mostrando porque é conhecido por suas rápidas e pesadas mãos, Belfort precisou de apenas 1 minuto e 52 segundos para nocautear o japonês. “Estou de volta. Quero agradecer aos meus fãs que me apoiam nos momentos bons e ruins. “Quero agradecer também ao Dana White e ao Lorenzo Fertitta que sempre me incentivaram”, disse extasiado o brasileiro para depois completar com um recado para os fãs brasileiros: “O UFC está chegando no Brasil. Preparem-se”. 
 
Yahya sucumbe a estratégia de Chad Mendes
Em confronto de ex-lutadores do extinto WEC, o brasileiro Rani Yahya, conhecido por seu forte jiu-jitsu, bem que tentou, mas não foi páreo para a maior agressividade e estratégia do americano Chad Mendes, que ainda não conheceu a derrota em toda a sua carreira.
Ao contrário do que os especialistas previram, Chad, grande westler, procurou controlar o confronto com suas quedas e, em luta com pouca ação, saiu do octógono com uma vitória por decisão unânime. Essa foi a décima primeira vitória em 11 lutas na carreira do americano que deve disputar o título dos pesos penas contra o vencedor do confronto entre o brasileiro José Aldo – campeão da categoria – e o americano Kenny Florian, válido pelo UFC 136, no dia 8 de outubro.

O primeiro triunfo de Sapo

Conhecido no mundo do MMA como Sapo, o mineiro Rafael Natal entrou no octógono com um grande peso nas costas, já que havia feito duas lutas no UFC e nunca saiu vitorioso (1 derrota e 1 empate). Apesar da grande pressão, o brasileiro, de 27 anos, que treina nos EUA, estava bem a vontade contra o estreante Paul Bradley.

Abusando dos chutes baixos e controlando bem o raio de ação do americano, Sapo ia pontuando mais e mais a medida que o tempo passava. No ínicio do 2º round, Bradley até que tentou uma reação. Em uma sequência de socos que levou o brasileiro a grade, o americano levantou a torcida ao derrubar Natal em uma plástica queda. Parecia que a luta poderia mudar, mas quando conseguiu sair do ground and pound que Bradley armava, Sapo voltou a dominar o combate. No último round, bastou o mineiro administrar e não se expor demais para ter o braço direito erguido após decisão unânime dos jurados.
 
CARD PRINCIPAL
Rashad Evans venceu Tito Ortiz por nocaute aos 4:48 do 2º round
Vitor Belfort venceu Yoshihiro Akiyama por nocaute aos 1:52 do 1º round
Brian Ebersole venceu Dennis Hallman por nocaute aos 4:28 do 1º round
Constantinos Philippou venceu Jorge Rivera na decisão dividida dos jurados
Rory MacDonald venceu Mike Pyle por nocaute aos 3:54 do 1º round
 
CARD PRELIMINAR
Alexander Gustafsson venceu Matt Hamill por nocaute aos 3:34 do 2º round
Chad Mendes venceu Rani Yahya na decisão unânime dos jurados
Ivan Menjivar venceu Nick Pace na decisão unânime dos jurados
Johny Hendricks venceu Mike Pierce na decisão dividida dos jurados
Mike Brown venceu Nam Phan na decisão unânime dos jurados
Rafael Natal venceu Paul Bradley na decisão unânime dos jurados
Sábado, Outubro 1
20H20
BRST
Portland, Oregon

Midia

Recente
Relembre vitória de Alex Cowboy sobre KJ Noons por finalização no 1º round do UFC Goiânia, em maio de 2015. O brasileiro volta ao octógono no próximo sábado (1) para enfrentar Will Brooks na segunda luta mais importante do UFC Portland.
18/06/2015
Alex "Cowboy" Oliveira emplacou o seu primeiro nocaute no UFC ao derrotar Piotr Hallman em novembro de 2015, no UFC São Paulo. O brasileiro volta ao octógono no próximo sábado (1) para enfrentar Will Brooks na 2ª luta mais importante do UFC Portland.
27/09/2016
Brasileira deu mais um show no octógono ao nocautear a sueca Lina Lansberg no segundo round da luta principal do UFC Brasília, no último sábado (24). Relembre os melhores momentos do duelo.
Relembre vitória por finalização no primeiro round de John Lineker sobre Francisco Rivera no UFC 191, em 2015. O brasileiro encara John Dodson na luta principal do UFC Portland, no próximo sábado (1).
23/09/2016