UFC 141: Overeem aposenta Lesnar e se credencia a disputar o cinturão dos pesos pesados

Após segunda derrota seguida, Brock Lesnar anuncia aposentadoria

Diaz e Cerrone levam bônus de luta da noite por batalha de três rounds

Diego Nunes vence, mas Júnior Assunção é derrotado no card preliminar
Além do fim de 2011, o UFC 141, realizado nesta sexta-feira, dia 30, marcou também o fim de uma carreira: nocauteado em menos de três minutos, Brock Lesnar anunciou sua aposentadoria dos octógonos. Seu algoz, Alistair Overeem, credenciou-se a disputar o cinturão dos pesados contra Júnior Cigano. Correspondendo às expectativas, Nate Diaz e Donald Cerrone embolsaram o bônus de luta da noite por duelo agressivo. No card preliminar, o Brasil teve resultados divididos: Diego Nunes levou a melhor sobre Manny Gamburyan por decisão unânime, mas Júnior Assunção foi derrotado por Ross Pearson. Luís “Beição”, terceiro brasileiro que lutaria no evento, teve sua luta cancelada devido a problemas de saúde do adversário.

Brock Lesnar é derrotado no primeiro round e anuncia aposentadoria


Foi um adeus amargo para Brock Lesnar. Às voltas com problemas de saúde, o ex-campeão dos pesos pesados do UFC não durou sequer três minutos contra o experiente Alistair Overeem, ex-campeão das organizações Strikeforce, DREAM e K-1. Mesmo com um corte acima do olho, Overeem utilizou-se de chutes e joelhadas contra o corpo de Brock para levá-lo ao chão e forçar o fim do nocaute. A derrota selou a aposentadoria de Lesnar, que, após apenas oito lutas profissionais, anunciou oficialmente que não voltaria aos octógonos.

“Tive anos muito difíceis por causa da minha doença. Esta é a última vez que vocês me viram lutar. Prometi à minha mulher que essa seria minha última luta se eu perdesse”, declarou o ex-campeão ao final do embate. A vitória credenciou Overeem, estreante no UFC, a disputar o cinturão dos pesos pesados contra o brasileiro Junior Cigano. Saudando o wrestling de Lesnar, o ex-campeão do Strikeforce convocou: “Cigano é o próximo, posso prometer isso”.

“Nate me fez engolir minhas palavras”, admite Cerrone


Após uma série de provocações antes (e durante) o UFC 141, Nate Diaz e Donald Cerrone fizeram jus às expectativas de uma luta agressiva e franca. Abusando de seu boxe eficiente, Nate Diaz garantiu a decisão unânime dos jurados após uma das performances mais dominantes de sua carreira. “O cara melhor e mais malvado apareceu. Ele me fez engolir minhas palavras. Ele é um guerreiro”, reconheceu Cerrone, que cumprimentou o adversário após a luta mesmo após as desavenças.

Diaz não deu chances no primeiro round. Seus golpes, abundantes e certeiros, deixaram Cerrone completamente desorientado durante os cinco minutos iniciais. O "Cowboy" retornou melhor no segundo, acertando alguns chutes contra as pernas de Diaz - que tentava atrair o adversário para o chão. O combate se manteve de pé, mas ainda assim vantajoso para Diaz. O martírio de Cerrone se repetiu no round final, selando a vitória de Nate por decisão unânime dos juízes.

Jon Fitch é nocauteado em 12 segundos

A grande surpresa da noite foi o desfecho da luta de Jon Fitch, ex-desafiante de Georges St-Pierre, contra o pouco conhecido Johny Hendricks. O duelo, que prometia ser uma batalha de wrestlers, acabou durando apenas 12 segundos – tempo que Johny levou para conseguir o nocaute. O fatídico cruzado de Hendricks interrompeu uma sequência de seis vitórias de Fitch, até então um dos maiores postulantes a disputar (novamente) o cinturão dos meio-médios.

Na segunda luta do card principal, o bielorrusso Vladimir Matyushenko não durou sequer 3 minutos perante Alexander Gustaffson – 16 anos mais novo. Uma sequência de jab e diretos do sueco derrubaram o “Zelador”, que, incapaz de se defender no chão, perdeu por nocaute técnico. Abrindo o card preliminar, Jimmy Hettes passou sem nenhuma dificuldade sobre o ex-TUF Nam Phan, que, apático, acumulou a décima vitória em seu cartel.

Uma vitória e uma derrota para o Brasil no card preliminar

Abrindo o card preliminar, Diego Nunes venceu uma batalha equilibrada contra o armênio Manny Gamburyan, ex-desafiante do cinturão dos pesos penas no WEC. Embora tenha recebido dois golpes fortes no segundo e terceiro rounds, Nunes controlou a luta com chutes altos e contra as pernas do adversário. Gamburyan chegou a aplicar algumas quedas, mas não conseguiu manter Nunes no chão. Todos os juízes marcaram 29 a 28 para o brasileiro.

O outro brasileiro em ação na noite, contudo, não teve tanta sorte. Apesar de uma boa performance contra o britânico Ross Pearson, Junior Assunção levou a pior na decisão unânime dos juízes, acumulando o quinto revés da sua carreira. O Brasil teria três representantes no octógono, mas Luís Beição teve sua luta cancelada de última hora, quando o adversário Matt Riddle não conseguiu se recuperar de uma gripe.

Card principal:
Alistair Overeem nocauteou Brock Lesnar aos 2m26s do R1
Nate Diaz derrotou Donald Cerrone na decisão unânime dos juízes
Johny Hendricks nocauteou Jon Fitch aos 12s do R1
Alexander Gustafsson nocauteou Vladimir Matyushenko aos 2m13s do R1
Jim Hettes derrotou Nam Phan na decisão unânime dos juízes

Card preliminar:
Ross Pearson derrotou Júnior Assunção na decisão unânime dos juízes
Danny Castillo derrotou Anthony Njokuani na decisão dividida dos juízes
Dong Hyun Kim derrotou Sean Pierson na decisão unânime dos juízes
Jacob Volkmann derrotou Efrain Escudero na decisão unânime dos juízes
Diego Nunes derrotou Manny Gamburyan na decisão unânime dos juízes

Sábado, Outubro 25
23h
BRT
Rio de Janeiro, Brazil

Midia

Recente
Os jornalistas Davi Correia (UFC.com.br), Guilherme Cruz (MMAFighting) , e Ivan Raupp (Combate.com), conversam sobre o card principal do UFC 179, no Rio de Janeiro. O brasileiro é favorito, mas precisa tomar cuidado com o jogo de wrestling de Chad Mendes.
23/10/2014
Fotos da pesagem do UFC 179 no Ginásio do Maracanãzinho em 24 de outubro, 2014 no Rio de Janeiro (Fotos de Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
24/10/2014
Confira os melhores momentos dos lutadores na balança. O campeão José Aldo garantiu que vencerá Chad Mendes, nos penas. "Esse cinturão vai continuar no Brasil.
24/10/2014
Enquanto Aldo e Chad treinavam no Rio para o UFC 179, Conor McGregor desembarcava na cidade com a língua afiada. Na saída do aeroporto, pediu se o motorista não o levaria até a favela do José e mandou dizer que irá tomar o cinturão do brasileiro.
24/10/2014