UFC 144 - Após batalha empolgante, Henderson supera Edgar e se torna o novo campeão dos leves

Ben Henderson e Frankie Edgar fazem Luta da Noite na Saitama Super Arena; “Bendo” vence na decisão unânime dos jurados  

Apesar de apoio da torcida japonesa, Rampage é dominado por Ryan Bader e perde por decisão  
 
Anthony Pettis leva bônus de nocaute da noite por chute certeiro contra Joe Lauzon; Boetsch surpreende com virada sobre Yushin Okami  
A Terra do Sol Nascente recebeu sua primeira edição do UFC em 12 anos este sábado, 26, de braços abertos. E, em retorno, ganhou um card com lutas memoráveis. No evento principal da Saitama Super Arena, Ben Henderson e Frankie Edgar batalharam em ritmo intenso por cinco rounds, em uma luta que culminou com a troca do cinturão dos pesos leves de mãos. Sofrendo com uma lesão no joelho, Quinton “Rampage” Jackson não conseguiu a vitória em sua “segunda casa”, levando a pior para Ryan Bader após três rounds. Na batalha de pesos pesados da noite, Mark Hunt não deu chances a Cheick Kongo, nocauteando o francês no primeiro round.  

Ainda no card principal, Yoshihiro Akiyama e Yushin Okami não conseguiram garantir as vitórias em casa; já Hatsu Haoki, após sobrar em uma luta de três rounds contra o polonês Bart Palaczwesky, colocou-se como um dos mais fortes nomes da categoria dos pesos penas. O prêmio de finalização da noite ficou para Vaughan Lee, que levou a melhor sobre Kid Yamamoto no card preliminar.  
Henderson prevalece em batalha acirrada.     
                        
“Você quer que todas as semanas, meses e anos de preparação levem a uma grande performance em uma noite. Preciso que esta seja a noite, contra Frankie Edgar”, declarou Ben Henderson antes de subir ao octógono para tomar o cinturão do campeão dos pesos leves do UFC. Este sábado, na Saitama Super Arena, seu desejo foi atendido. Após cinco rounds de uma emparelhada batalha de nervos e resistência física, todos os jurados deram a vitória para o ex-campeão peso leve do WEC e, agora, campeão do Ultimate Fighting Championship.
 
O primeiro round, como esperado, foi de muita movimentação. Henderson investiu nos chutes, enquanto Edgar, muito ativo, levou o adversário ao chão duas vezes. Igualmente ativo no segundo round, Frankie continuou investindo nas quedas e movimentação pelo octógono, conectando um bom número de golpes. Henderson, contudo, encaixou golpes mais potentes – inclusive uma pedalada que deixou danos visíveis contra o rosto do rival.  

O ritmo não caiu no terceiro assalto, quando foi a vez de Henderson derrubar o campeão, que passou alguns segundos contra a grade. A queda, contudo, não ficou sem resposta: nos 30 segundos finais, Edgar colocou “Bendo” no chão mais duas vezes. Henderson teve seu momento de ouro no quarto round, quando quase encaixou sua conhecida guilhotina. Cientes do equilíbrio da luta, os atletas voltaram com tudo para o quinto assalto. Frankie viveu um bom momento quando Henderson, caído, apenas aguardou sua chegada. A luta, contudo, retornou de pé – onde Henderson, novamente, capitalizou em sua vantagem de tamanho.  

“Vim pelos fãs japoneses”, declara Rampage após derrota para Bader  
Embalado pela torcida, e entrando ao saudoso som da música-tema do extinto PRIDE, Rampage não conseguiu corresponder ao carinho da torcida este sábado. Aparentando problemas físicos – evidenciados na pesagem da noite anterior, quando o atleta falhou em bater o peso -, Quinton foi dominado durante três rounds por Ryan Bader. Com a vitória, “Darth” Bader se recoloca entre no topo dos meio-pesados – após um desvio que começou com uma derrota para o atual campeão, Jon Jones.  

O melhor momento de Rampage foi durante o segundo round, quando aplicou uma cinematográfica queda em Bader e levou a plateia à loucura. O adversário, contudo, logo se recuperou e retomou o domínio. Ao fim da peleja, Bader trabalhava o ground and pound contra Rampage que, inerte,  ainda sofreu duas tentativas de finalização. Comemorando a vitória, Bader diz ter sido capaz de “desligar” a pressão de enfrentar um ídolo da torcida japonesa em sua “segunda casa”. “Você desliga, você se prepara tanto para aquilo que não se preocupa com o que está acontecendo com o adversário”, declarou.  

Rampage, por sua vez, reiterou seu amor pelos fãs japoneses, declarando que decidiu lutar apesar de uma lesão no joelho apenas para não desapontá-los. “Não estou surpreso (com a derrota). Eu quase não consegui vir à luta, mas quis vir pelos fãs japoneses. Meu médico pediu que eu não lutasse, eu decidi lutar de qualquer jeito. Foi ladeira abaixo a partir do dia em que machuquei meu joelho na academia”, lamentou.
 
Pettis, Boetsch e Hunt nocauteiam  
Anthony Pettis abriu o card principal em alto estilo, com um chute alto que levou Joe Lauzon à lona ainda no primeiro round. Conhecido justamente pelas técnicas criativas ao lutar de pé – particularmente seus chutes inventivos, como o que derrubou Ben Henderson no último encontro dos dois pesos leves no WEC -, “Showtime” levou o prêmio de nocaute da noite.  
Yushin Okami, mais conhecido pelo público brasileiro pela derrota para Anderson Silva no UFC Rio (134), não teve mais sorte em seu país de origem. Após dominar Tim Boestch por dois rounds, mostrando boas habilidades de pé e derrubando o adversário, o japonês acabou nocauteado por uma série de potentes socos no início do terceiro round. A derrota, “de virada”, foi a segunda consecutiva do japonês.  

Na quinta batalha do card principal, Mark Hunt precisou de pouco mais de dois minutos para derrubar Cheick Kongo. O lutador de 37 anos, que vinha de duas vitórias, derrubou o adversário com uma série de socos, forçando o árbitro a declarar o fim do embate ali mesmo.
  
Shields domina Akiyama; Hioki é forte nome entre os penas  
Em sua estreia como meio-médio, Yoshihiro Akiyama também não conseguiu animar o público local. Apesar de ter aplicado algumas quedas plásticas sobre o adversário, Akiyama sofreu com os certeiros jabs de Shields, que acabou a luta dominando as costas do lutador da casa. Perdendo por decisão unânime, Akiyama amarga a quarta derrota consecutiva na organização.  

Na batalha de pesos penas entre o japonês Hatsu Hioki e o polonês Bart Palaszewski, foi o lutador da casa que levou a melhor. Dando um show de técnica no primeiro e terceiro rounds, o lutador foi declarado vencedor na decisão unânime dos jurados e se colocou como um dos mais fortes candidatos a enfrentar o campeão José Aldo no futuro.
 
Confira os resultados completos:  

Card principal:  
Ben Henderson venceu Frankie Edgar na decisão unânime dos jurados  
Ryan Bader venceu Rampage Jackson na decisão unânime dos jurados  
Mark Hunt venceu Cheick Kongo por nocaute técnico aos 2m11s do R1  
Jake Shields venceu Yoshihiro Akiyama na decisão unânime dos jurados  
Tim Boetsch venceu Yushin Okami por nocaute técnico aos 54s do R3  
Hatsu Hioki venceu Bart Palaszewski na decisão unânime dos jurados  
Anthony Pettis venceu Joe Lauzon por nocaute a 1m21s do R1  
   
Card preliminar:  
Takanori Gomi venceu Eiji Mitsuoka por nocaute técnico aos 2m21s do R2  
Vaughan Lee venceu Kid Yamamoto por finalização aos 4m29s do R1  
Riki Fukuda venceu Steve Cantwell na decisão unânime dos jurados  
Chris Cariaso venceu Takeya Mizugaki na decisão unânime dos jurados  
Issei Tamura venceu Tiequan Zhang por nocaute aos 32s do R2
Sábado, Março 3
Las Vegas, Nevada

Midia

Recente
A brasileira Jessica Andrade fez história no UFC Orlando, venceu Tecia Torres na segunda luta principal e quebrou o recorde de vitória entre as mulheres na organização.
25/02/2018
A partir das 19h50, assista Ao Vivo à cerimonia de pesagem de todos os lutadores do UFC Orlando. Evento acontece nesse sábado (24), com transmissão exclusiva do Canal Combate.
23/02/2018
Perto de fazer a sua 13ª luta no octógono, Jéssica Andrade faz um balanço de sua carreira, analisa o duelo contra Tecia Torres no UFC Orlando e garante que ainda não desistiu do sonho de conquistar o cinturão do peso-palha.
22/02/2018
Jogadora da seleção brasileira fez uma visita no Treino Aberto do UFC Orlando e conversou com a lutadora, que é fã de futebol. Jessica enfrenta Tecia Torres neste sábado (24).
22/02/2018