UFC 162: Brincadeira em excesso custa caro a Anderson Silva

Brasileiro provoca, se expõe e acaba nocauteado por Chris Weidman
O KO chocante!Pode-se dizer, o UFC 162 não foi feliz para a torcida brasileira. A noite na MGM Grand Garden Arena, neste sábado, foi triste, principalmente pelo fim surpreendente. Sim, Anderson Silva perder o cinturão peso médio para Chris Weidman é espantoso, um oponente que tinha menos lutas na carreira que o Spider tinha somente em defesas de cinturão (9 contra 10). Mas as atitudes do agora ex-campeão potencializam o sentimento sobre o que ocorreu no Octógono. Um ditado diz que o que acontece em Las Vegas fica em Las Vegas. Para Anderson, pelo menos, o cinturão ficou por lá.  

No primeiro round Weidman logo derrubou o brasileiro, que se defendeu no chão até conseguir se levantar. Daí para frente, Anderson passou a provocar o desafiante, abusando das esquivas, deixando a face amostra e aplicando alguns chutes. No segundo round, Silva voltou com a mesma postura provocativa e displicente. Recebeu um soco e brincou, fazendo de conta que não sentiu o golpe. Mas foi neste momento que Wedman conectou um potente soco no brasileiro, que caiu ao chão. Após mais alguns golpes, só restou ao árbitro Herb Dean fazer a intervenção, a 1min18s.

“Me sinto incrível por isso. Imaginei acontecendo, mas ainda é surreal para mim. Acho que ele não deveria brincar, estava preparado e sabia que poderia acontecer. Respeito o Anderson e quero uma revanche”, declarou Weidman, que se mantém invicto no MMA, com dez lutas.

Silva, que teve uma série de 16 triunfos no UFC quebrada, elogiou o novo campeão, mas disse não querer mais o cinturão: “Trabalhei duro para esta luta. Respeito a todos no UFC, agradeço a todos. Hoje Weidman foi melhor, agora ele é o melhor do mundo, é o campeão. Não quero revanche, não quero mais lutar pelo cinturão. Quero relaxar agora”, disse ele, que garante que não vai se aposentar, apesar de “não desejar mais luta pelo título”.

Os outros combates no card principal também não foram bons para os lutadores brazucas. Charles “do Bronx” Oliveira fez uma luta eletrizante contra Frankie Edgar, ex-campeão peso leve do UFC. Edgar fez valer seu bom boxe e conectou os melhores golpes durante os três rounds, além de Lutão da noite 2sempre cair por cima no solo. Bronx arriscou bons ataques no chão, elem de botar pressão e levar perigo na trocação com socos em linha e joelhadas. Mas não foi o suficiente, a vitória foi para Frankie por unanimidade. Já Roger Gracie, estreante em UFCs, não teve uma boa apresentação, batido por Tim Kennedy. Apesar de derrubar e conseguir pegar as costas na primeira parcial, aparentou estar bem cansado e foi anulado no restante da luta. Também perdeu em decisão unânime.

Mark Munoz voltou com tudo após às lesões que o afastaram do Octógono desde julho de 2012, quando foi nocauteado por Chris Weidman e perdeu a provável chance de disputar o título contra Anderson Silva. Diante de Tim Boetsch, sempre justo, aplicou boas quedas e golpeou durante os três assaltos, o que lhe valeu a decisão unânime dos jurados. Na primeira luta do card principal, Cub Swanson x Denis Siver atendeu as expectativas, um dos grandes confrontos da noite. No segundo assalto, Swanson passou a impor o ritmo e abriu vantagem com uma bela queda de quadril, que seria um ipon no judô, seguida por uma montada. Na última parcial, o americano aplicou bons socos. Siver caiu, de onde Cub seguiu socando para conseguir o nocaute, aos 2min24s. Foi a quinta vitória seguida do lutador, bem cotado para uma chance pelo cinturão peso pena, hoje sob poder do brasileiro José Aldo.

Napão selando o TKONo card preliminar, Gabriel “Napão” Gonzaga brilhou no único confronto da noite entre pesos pesados. Quem sofreu nas pesadas mãos do brasileiro foi Dave Herman, que não durou muito no Octógono, nocauteado em apenas 17s. Nos primeiros instantes, Herman arriscou alguns golpes, mas foi duramente atingido por uma “pedrada” de direita disparada por Napão. O golpe foi determinante para a consolidação do nocaute, alguns segundos depois. Desde o retorno ao UFC, esta foi a terceira vitória em quatro lutas do faixa-preta de jiu-jitsu, que se recuperou do revés para Travis Browne na última apresentação. Já Dave Herman fica em situação delicada após acumular o quarto resultado negativo seguido.

“Todo o time me ajudou bastante, além de Renzo Gracie, uma lenda do jiu-jitsu. Treinei muito este golpe, mas também estava mais que preparado se a luta fosse para o chão. Meu jogo estava pronto”, declarou Napão.

Edson Barboza fez o confronto 100% brasileiro contra Rafaello “Trator” Oliveira. E o especialista em muay thay não fugiu das raízes para frear o ímpeto de Trator. Contra um oponente especialista na luta de chão, Edson controlou a distância, evitou as quedas e conectou duros chutes nas pernas. No fim do primeiro round, mancando e com as coxas avariadas, Rafaello já demonstrava que não aguentaria aqueles golpes por muito mais tempo. Na segunda parcial, Barboza seguiu com a mesma estratégia até Trator cair, sem condições. Só restou ao árbitro Herb Dean separar tudo, a 1min44s.

“Não estava achando as minhas mãos boas hoje e foquei nos chutes. Esse é o meu jogo. Na minha primeira luta pelo UFC (Mike Lullo UFC 123) nocauteei dessa mesma forma”, disse Edson, que chegou à sexta vitória em sete lutas pelo UFC e segue como uma das grandes apostas brasileiras na categoria de leves.

Na última preliminar, Chris Leben começou bem contra Andrew Craig, mas viu seu oponente crescer ao decorrer dos rounds. No terceiro assalto, Craig conectou bons socos e joelhadas. Conseguiu um knockdown e pareceu que iria definir no ground and pound. Leben mostrou raça e sobreviveu ao castigo, levantando o público em Las Vegas. Porém, por decisão dividida dos juízes, acabou amargando a terceira derrota consecutiva. Já Andrew se recuperou do único revés da carreira, na apresentação anterior, contra o brasileiro Ronny Markes.

Também empolgaram entre as preliminares os nocautes de Mike Pierce contra David Mitchell e do estreante em UFCs Brian Melancon diante do favorito Seth Baczynski, este com uma bomba no ground and pound, a um segundo do final do primeiro round.

 

Confira todos os resultados:
Lutas principais
Chris Weidman venceu Anderson Silva por TKO a 1min18s do R2
Frankie Edgar venceu Charles do Bronx por decisão unânime
Tim Kennedy venceu Roger Gracie por decisão unânime
Mark Munoz venceu Tim Boetsch por decisão unânime
Cub Swanson venceu Denis Siver por TKO aos 2min24s do R3

Preliminares
Andrew Craig venceu Chris Leben por decisão dividida 
Norman Parke venceu Kazuki Tokodome por decisão unânime
Gabriel “Napão” Gonzaga venceu Dave Herman por KO a 17s do R1
Edson Barboza venceu Rafaello “Trator” Oliveira por TKO a 1min44s do R1
Brian Melancon venceu Seth Baczynski por KO a 4min59s do R1
Mike Pierce venceu David Mitchell por TKO a 2min55s do R2

 

Midia

Recente
John Gooden and Dan Hardy take an in-depth look at UFC Fight Night Stockholm this Saturday. Watch on UFC FIGHT PASS.
30/09/2014
Assista à coletiva de imprensa pós-lutas, ao vivo, na sequência do evento.
29/09/2014
Assista ao P&R do UFC Fight Club com o peso pesado Travis "Hapa" Browne, ao vivo na sexta-feira, dia 3 de outubro, às 15h.
29/09/2014
Assista à pesagem oficial do UFC Fight Night: MacDonald vs. Saffiedine, ao vivo na sexta-feira, dia 3 de outubro, às 16h.
29/09/2014