UFC 168: Anderson lesionado, Weidman ainda campeão

Chris Weidman mantém cinturão num desfecho triste

Willian Patolino é o único brasileiro vitorioso numa noite terrível para a torcida tupiniquim
A última edição do UFC de 2013, neste sábado, trouxe grandes desafios à MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas. Mas não foi uma noite feliz para a torcida brasileira que, com cinco representantes no Octógono, só pode festejar a vitória de Willian Patolino. Na principal luta da noite, novamente um desfecho inesperado manteve o cinturão com Chris Weidman. Um desfecho ainda pior para Anderson Silva.

A luta principal da noite, a disputa do cinturão peso médio entre Chris Weidman e Anderson Silva, era o confronto mais aguardado do ano. Após a surpreendente derrota em julho deste ano, quando o Spider abusou das provocações e foi brutalmente nocauteado, a grande dúvida era se Weidman conseguiria repetir o feito. E o americano foi com tudo no início. Encurralou Silva nas grades e conseguiu levá-lo para o chão após um soco no clinche. No ground and pound, aplicou bons socos e cotoveladas, mas terminou a parcial com o rosto sangrando. No segundo assalto, Anderson tentou manter a luta em pé e passou a desferir seus chutes. No entanto, após um chute baixo defendido por Chris, Anderson se contundiu gravemente, uma fratura na canela esquerda que obrigou a desistência imediata. Uma cena chocante que conteve até a comemoração do atual campeão, que teve postura irretocável.

“Não importa o que aconteceu hoje, ele ainda é o melhor lutador de todos os tempos. Defender os chutes dele foi a primeira coisa que trabalhei após a minha última luta”, declarou Weidman.    

Agora Weidman tem encontro marcado contra outro brasileiro, Vitor Belfort.      

A rivalidade era a grande tônica da co-principal da noite, a disputa do cinturão peso galo feminino entre Ronda Rousey e Miesha Tate. A rixa entre ambas vinha desde o Strikeforce, quando ronda tomou o cinturão de Miesha, mas se intensificou ainda mais durante as gravações do reality show do UFC, o The Ultimate Fighter 18. Nos primeiros instantes, a atual campeã partiu para cima, tendo aplicado boas quedas em Tate. Miesha conseguiu derrubar a judoca na sequência e resistiu bravamente aos ataques da oponente. Pela primeira vez na carreira, Ronda teve que lutar mais que um round, mas isso não a impediu de manter a mesma pressão e explosão, tendo aplicado novamente boas quedas. Miesha escapava de cada golpe bravamente, mas, apesar de conectar alguns bons socos, acabava dominada no solo. Na terceira parcial, Rousey conseguiu encaixar novamente seu golpe fatal e, pela nona vez como profissional, definiu com o um justo armlock, aos 58s. Entretanto, pela postura polêmica, a campeã foi muito vaiada.

“Dou parabéns pela luta dela, mas por tudo o que aconteceu entre a gente, não poderia cumprimentá-la depois do combate. Me senti desrespeitada por ela e prometi à minha família que não faria isso”, se justificou a campeã.

Na luta entre pesos pesados, Josh Barnett não deu nem para o cafezinho contra Travis Browne. O havaiano logo despejou seus potentes socos contra Barnett, que tentou encurtar para derrubar. Browne usou a joelhada e depois, como nas luta contra Gabriel Napão, uma série de cotoveladas para nocautear a 1min do primeiro assalto. Foi a terceira vitória seguida de Travis por nocaute e ele agora deve encarar o brasileiro Fabrício Werdum.

Após um ano afastado por conta de uma lesão no joelho, Fabrício Camões, o Morango, tinha uma parada duríssima diante do americano Jim Miller. E o faixa-preta de jiu-jitsu acabou provando do próprio veneno. Bem na trocação, Morango conseguiu quedar e passou a trabalhar no ground and pound. Miller esboçou atacar o braço e acabou encaixando um justo armlock. Fabrício pareceu que defenderia, mas acabou tendo o braço esticado e teve que dar os três tapinhas da desistência aos 3min42s. Foi a 13ª vitória de Jim Miller por finalização.  

Na primeira luta do card principal, muita rivalidade entre Diego Brandão e o americano Dustin Poirier. Os dois se estranharam antes da luta. Mas quem começou melhor foi o brasileiro, campeão do TUF 14. Diego conectou bons socos de direita, que Poirier sentiu, além de ter conseguido duas quedas. No seguimento, Brandão aparentou sentir o fôlego, vale lembrar que ele sofreu um duro acidente de carro semanas antes e sequer bateu o peso necessário na pesagem. Poirier passou a ir para cima e conectou duros golpes. Com o oponente ao chão, seguiu socando até a interrupção, quando faltavam apenas seis segundos para o gongo.

Numa das lutas mais aguardadas do card preliminar, o “Homem Ambulância” Uriah Hall não tomou conhecimento do veterano Chris Leben. Nos primeiros instantes, já mostrou a que veio com uma potente joelhada. Depois não teve trabalho para dominar o centro e neutralizar o jogo de Leben. Parecia que o ruivo iria ser salvo pelo gongo após uma saraivada de golpes no final do primeiro round, mas não deu para Chris seguir adiante. Depois de fazer barulho na participação pelo TUF 17, finalmente Hall conseguiu uma vitória no UFC, tendo sido derrotado nas duas primeiras tentativas. Tirou um peso das costas, enquanto Leben perdeu a quarta em sequência. 

Segundo brasileiro a entrar no Octógono, Gleison Tibau não foi bem contra Michael Johnson. O peso leve brasileiro começou bem, mas Johnson logo encontrou a distância, além de ter impedido as tentativas de queda do brazuca. No segundo round, o americano encaixou um soco de esquerda que derrubou Tibau. Precisou desferir mais alguns golpes apenas para o árbitro separar, a 1min32s. Com o resultado, Johnson consegue a segunda vitória seguida.

Depois de perder na final do TUF Brasil 2, Willian Patolino buscou o primeiro triunfo contra um Bobby Voelker desesperado, vindo de duas derrotas. E, apesar da maior experiência do adversário, o brasileiro sobrou. Nos três assaltos, mostrou um repertório impressionante, com sequências de socos certeiras e muitas cotoveladas, joelhadas e quedas. Voelker foi duramente castigado, enquanto Patolino não sofreu perigo para conseguir a vitória por decisão unânime, a sua sétima em oito lutas profissionais. Sua calma nos 15 minutos de combate foi impressionante e ele foi quem salvou a noite para os fãs brasileiros.

Confira todos os resultados:

 

Disputa do Título dos Pesos Médios

Chris Weidman venceu Anderson Silva por TKO (contusão) a 1min16s do R2  

Disputa do Título dos Pesos Galos Feminino

Ronda Rousey finalizou Miesha Tate comum armlock aos 58s do R3

Travis Browne  venceu Josh Barnett a 1min do R1  

Jim Miller finalizou Fabricio Morango com um armlock aos 3min42s do R1

Dustin Poirier venceu Diego Brandão por TKO aos 4min54s do R1   

Uriah Hall venceu Chris Leben por TKO aos 5min do R1

Michael Johnson venceu Gleison Tibau por TKO a 1min32s do R2  

Dennis Siver venceu Manny Gamburyan por decisão unânime

John Howard venceu Siyar Bahadurzada por decisão unânime   

William Patolino venceu Bobby Voelker por decisão unânime

Robbie Peralta venceu Estevan Payan por TKO aos 12s do R3

Midia

Recente
UFC Minute host Lisa Foiles recaps this weekend's action in Austin and looks ahead to the highly-anticipated rematch between Johny Hendricks and Robbie Lawler at UFC 181 on December 6!
24/11/2014
O campeão Johny Hendricks enfrenta Robbie Lawaler, nos meio-médios, e Anthony Pettis coloca seu cinturão dos leves em jogo contra Gilbert Melendez. Confira os confrontos que definiram essas disputas, que acontecem em 6 de dezembro.
26/11/2014
Perdeu a joelhada de Fabrício Werdum em Mark Hunt? Confira alguns dos golpes mais bonitos do evento que deu o cinturão interinos dos pesados ao brasileiro. Assine o canal Combate: http://on.ufc.com/assinecombate
26/11/2014
O repórter Matt Parrino, do UFC.com, e o ex-lutador Forrest Griffin falam sobre a colocação do brasileiro no ranking, comentam a vitória de Frankie Edgar e respondem os fãs. Confira o Ranking Completo - www.ufc.com.br/rankings
25/11/2014