Membro do Hall da Fama do UFC, Dan Severn se aposenta

"The Beast" se aposenta aos 54 anos
<a href='../event/UFC-Silva-vs-Irvin'>UFC </a>Hall of Famer <a href='../fighter/Dan-Severn'>Dan Severn</a>
Sua última viagem pelo Octógono como lutador foi contra Pedro Rizzo, em setembro de 2000, mas o membro do Hall da Fama do UFC Dan Severn não estava acabado para as competições ainda. Na verdade, "The Beast" lutou por mais 12 anos, e depois de anunciou sua aposentadoria do esporte no ano novo, aos 54 anos, com um recorde notável de 101-19-7.  
  
"O objetivo número um que estabeleci para mim em 2012 era finalizar minha carreira nas competições de artes marciais mistas", escreveu Severn em um comunicado divulgado à imprensa na terça-feira. "Eu estava tentando fazer minha própria turnê de aposentadoria nos últimos anos dirigida a apenas três pessoas... Mark Coleman, Ken Shamrock e Royce Gracie. Falei com dois deles diretamente (Mark e Ken), e através de um representante (MGR) para Royce. Parece que estes combates não acontecerão por algum motivo e minha vida agora vai para o próximo capítulo."    

Introduzido no Hall da Fama do UFC em 2005, Severn foi um dos primeiros wrestlers de classe mundial a invadir o Octógono, e ele abriu a porta para que vários de seus companheiros viessem para artes marciais mistas. 9-4 no UFC, Severn venceu dois torneios e foi campeão da Super Luta antes de competir ao redor do mundo em outras associações, tais como PRIDE, RINGS, WEC, e King of the Cage. Em 2011, ele lutou cinco vezes, ficando com 3-2, e em sua luta final em 28 de abril de 2012, ele derrotou Alex Rozman por decisão.  
  
Severn promete continuar envolvido com o esporte, uma boa notícia para sua legião de fãs.    
 "Eu ainda vou estar envolvido com o MMA, trabalhando com várias empresas para apoiar a indústria e ajudar a levá-lo para o próximo nível em funções como comentarista, comissário, embaixador da boa vontade, fazendo aparições, etc, apenas não mais como competidor."    
 ***      
Abaixo está um perfil da Enciclopédia do UFC, que inclui uma entrevista realizada com Severn em 2011 sobre sua ilustre carreira no esporte que ele foi um pioneiro...    
     
Se você perguntar a Dan "The Beast" Severn qual foi sua primeira impressão sobre o Ultimate Fighting Championship, ele não hesita em sua resposta.    
    
"'Nossa' pode ser uma das melhores palavras para resumir", disse ele. "Fazer este tipo de competição nos Estados Unidos, eu fiquei quase espantado. Eu sabia que se sobrevivesse, atrairia muita atenção."    
    
E enquanto Coldwater, Michigan não tinha Pay-Per-View em meados de 1993, um amigo de Severn, em Detroit tinha, e quando ele trouxe a fita de VHS, a sorte estava lançada.    
    
"Ele mostrou para mim e disse: 'Você já pensou em fazer isso?' O resto é história."    
    
Na época, Severn, era duas vezes All-American wrestler pela Universidade Estadual do Arizona e um competidor, em 1984 e 1988, das Olimpíadas, tinha 35 anos de idade, e, até onde ele estava preocupado, seus melhores dias já tinham passado.    
    
"Se alguém quer me chamar de "The Beast" agora, não seria nada tão impressionante", disse ele. "Se eles quisessem ver The Beast real, eles deveriam ter me visto 1984-1986 porque eu dominava o mundo."

Porém ele queria dar uma chance a essa coisa de artes marciais mistas, assim sua estreia foi marcada para o UFC 4 em 16 de dezembro de 1994, em Tulsa, Oklahoma. Havia apenas um probleminha - devido aos seus compromissos anteriores, ele só tinha cinco dias para treinar.    
    
"Durante cinco dias treinei uma hora e meia por dia, e entrei no mundo do Vale Tudo", disse ele. "Eu nunca tinha dado um soco num semelhante meu, e até hoje nunca estive em uma briga em toda a minha vida. Mas eu sei do que uma competição é feita e sei como explorar as regras."    
    
Em seu primeiro duelo contra Anthony Macias, ele aplicou suplexes em seu adversário como se fosse uma boneca de pano antes de finalizar Macias com um mata-leão aos 1:45. Marcus Bossett não chegou tão longe, com apenas 52 segundos de duração. Em seguida, ele iria enfrentar o astro indiscutível do UFC, Royce Gracie, na fase final da noite. E logo no início, as coisas correram conforme o planejado quando ele levou o especialista em jiu-jitsu para o solo e manteve-o lá.    
  
"Se você assistir ao combate do meu ponto de vista, ele estava indo do meu jeito", disse Severn. "Eu levei o homem para baixo, e não precisou de vários minutos de luta até perceber, você sabe, que eu podia golpear esse cara. Mas eu tinha que pensar sobre isso porque não estava no meu repertório, eu nunca havia praticado isso antes, e estava indo contra 26 anos de regras, regulamentos e conduta desportiva. Então isso foi difícil para mim. Lutei mais com a minha consciência do que já fiz com um adversário. Eu estou lá como um esportista, não tenho que criar quaisquer problemas de raiva ou coisas dessa natureza. Eu vou apertar sua mão antes, vou apertar depois, não há ressentimentos."    

Eventualmente, Severn começou a disparar alguns golpes, e quando a luta foi de cinco minutos, para 10, para cerca de 15, parecia apenas uma questão de tempo até que Royce fosse forçado a desistir.

"Dizem que os olhos são uma janela para a alma de um homem, e eu estou olhando através da alma deste homem", disse Severn. "E ele está olhando para seu pai (Hélio Gracie) fora da gaiola, e eu podia ler exatamente o que se passava em sua mente. É meio como 'pai, eu estou preso, mas se você jogar a toalha, eu não iria ficar contra você. "Então, meus olhos vão de Royce para o velho, e ele tem a toalha na mão, e ele levanta a toalha e cruza os braços e balança a cabeça negativamente. Em minha mente eu estou pensando, 'você não vai me deixar matar seu filho aqui pelo Gracie Jiu-Jitsu, não é?'"    
    
Na marca de 15:49, Royce encontrou sua abertura e forçou Severn a bater a um triângulo.      
"Eu gostaria de encontrar outro ser humano, vivo ou falecido, que pudesse ter feito o que fiz com a quantidade limitada de tempo de preparação que tive, e sem nunca treinar um único golpe ou finalização", disse Severn, e ele está certo quando se trata da natureza incrível de sua façanha.    
Hoje, ele admite com uma risada que, "Quando eu entrei lá em 1994, eu estava buscando apenas um evento."    

Mas depois de perder para Royce, o competidor nele não iria deixá-lo parar. Ele assinou contrato para o UFC 5, mas desta vez ele não iria treinar por apenas cinco dias.  
  
"Eu tirei de 32 a 35 dias e realmente treinei Vale Tudo", disse ele. "As duas únicas regras que eu tinha que estar preocupado era não morder, e não enfiar os dedos nos olhos. E eu sou uma pessoa muito criativa, mesmo no meu camp de treinamento."    
    
Quando ele voltou, em abril de 1995, não havia como parar, ele detonou Joe Charles, Oleg Taktarov, e Dave Beneteau para ganhar o torneio do UFC 5. Depois de uma derrota por finalização para o Ken Shamrock na Super Luta do UFC 6, mais três vitórias contra Paul Varelans, Tank Abbott, e Taktarov lhe renderam o torneio do Ultimate Ultimate 95, e cinco meses mais tarde, ele vingou a derrota para Shamrock com uma decisão dividida em 30 terríveis minutos de assistir, mas que adicionou o cinturão da Super Luta na sua sala de troféus.    
    
Após a luta Shamrock, Severn só lutou mais duas vezes no Octógono, perdendo uma disputa pelo título dos pesos pesados com Mark Coleman em 1997 e, em seguida, desistiu verbalmente diante dos chutes de Pedro Rizzo no UFC 27, em 2000.    
    
Antes e depois da luta Rizzo, Severn permaneceu ativo, lutando contra toda e qualquer pessoa sempre que solicitado. Seu recorde inclui os nomes Cal Worsham, Victor Valimaki, James Thompson, Seth Petruzelli, Forrest Griffin, Marcus Silveira, Josh Barnett, Kimo Leopoldo, Paul Buentello, Jeremy Horn, e Pat Miletich.    
    
Além de sua carreira de lutador, ele dirige o seu centro de treinamento, em Michigan e também trabalha com as escolas locais como um forte defensor da educação. Para o esporte MMA, ele não pensa muito em sua influência, mas ele aprecia quando é lembrado como o atleta que fez os wrestlers migrarem para o esporte.    
    
"Isso faz você se sentir bem, isso de ser reconhecido como um cara que abriu as portas para todos esses wrestlers", disse ele. "E o que muitas pessoas podem não perceber é que, para o wrestling amador, não há verdadeira profissão para os wrestlers amadores prosseguirem. O MMA virou uma nova profissão para seguirem adiante."    
    
Eles podem agradecer a Dan Severn por isso.    
    
Severn foi introduzido no Hall da Fama do UFC em 16 de abril de 2005.     

 

Midia

Recente
A apresentadora do Minuto UFC Lisa Foiles traz o resumo desta sexta-feira (01/08).
01/08/2014
Subindo no ranking, o meio-pesado Ovince Saint Preux mostrou a força de seus golpes com um ground and pound fortíssimo sobre Cody Donovan. Veja OSP encarar Ryan Bader na luta principal do UFC Fight Night Bangor.
01/08/2014
Thiago Tavares queria provar seu valor na segunda apresentação no UFC, e colocou seu jogo de chão para funcionar contra o veterano Jason Black. Veja Thiago enfrentar Robbie Peralta no UFC Fight Night Bangor.
01/08/2014
A apresentadora do Minuto UFC Lisa Foiles traz o resumo desta quinta-feira (31/07).
31/07/2014