Como nos velhos tempos: Wand nocauteia Stann no Japão

Abaixo voce confere o review do UFC Silva x Stann
SAITAMA SUPER ARENA, Japão – A madrugada de sábado para domingo será repleta de pessoas que não tiveram mais como dormir devido aos níveis elevados de adrenalina em consequência da luta principal do UFC Silva x Stann. O ex-campeão médio do PRIDE Wanderlei Silva e o ex-campeão meio-pesado do WEC Brian Stann o fizeram o possível para tentar exterminar um ao outro durante os 9:08 (dois rounds) que a luta durou. Melhor para Wand, que iniciou seu 2013 com um nocaute avassalador sobre o “All American”.

Já no princípio do duelo, ficou claro que não veríamos uma disputa de cinco assaltos como estava programada a luta principal. Stann tentou perseguir Wand e pressioná-lo, mas Wand lançou seus socos que balançaram Stann. O thai clinch foi utilizado pelo brasileiro que conectou uma boa joelhada antes de receber o troco com socos curtos e também sentir.

Os dois partiram para mais trocação franca e insana e ambos tiveram seus momentos de vantagem e desvantagem, deixando suas torcidas em pânico. Um golpe ilegal interrompeu a ação por alguns instantes. Na volta Brian conectou dois bons leg kicks e Wanderlei tentava seus jabs. A luta voltou a ficar frenética com a trocação fazendo os dois dobrarem as pernas em momentos distintos, e Wand acabou caindo por baixo com Stann dentro de sua guarda.

Um corte sobre o nariz do americano, e o rosto ferido de Wand davam uma pequena amostra do que tinha sido o primeiro assalto, mas foi no segundo, apesar do começo mais estudado, onde tudo se definiu. Um novo chute abaixo da linha de cintura de Wand paralisou a luta novamente, antes disso, mais socos e chutes para todos os lados que indicavam que a qualquer momento alguém iria “dormir”. E a tarde no Japão, madrugada o Brasil, foi concluída com uma combinação de Wand com cruzado de direita seguido de um gancho de esquerda que levou Stann ao solo, lá Wand aplicou mais direitas até ser decretado o nocaute aos 4:08 do segundo assalto.

“Estou muito orgulhoso. Obrigado Dana White e UFC por me darem essa oportunidade de lutar aqui no Japão”, disse Wand que levou os bônus de Luta e Nocaute da Noite. “Estou orgulhoso de dar isso a vocês, meus irmãos japoneses. Meu córner me disse o que eu precisava fazer. Estou feliz por fazer o meu trabalho e voltar a vencer aqui.” Finalizou o brasileiro.

Na co-luta principal do UFC, Mark Hunt se arriscou no solo, conseguiu superar a enorme desvantagem na envergadura e nocautear Stefan Struve, que ocupava a nona posição no ranking do UFC, no terceiro round. O gigante holandês dava indícios que conseguira manter Hunt a distância com seus jabs e no momento certo levaria a luta para seu habitat, o solo. Não saiu exatamente como ele queria, mas Struve puxou para a guarda e raspou, no que parecia ser uma questão de melhor posicionamento chegar até finalização sobre o ex-campeão do K-1. Hunt se esquivou das finalizações como pôde, e até arriscou um ground and Pound e uma chegada nos “cem quilos” do gigantesco adversário. No solo Struve alcançou a montada em cena desesperadora para Hunt, que devido à envergadura muito menor, não tinha como evitar o castigo. Mas Hunt não é considerado casca-grossa por acaso, e depois de se desvencilhar de tentativas de finalizações e de um chute na cabeça que não pegou e cheio, ele puxou o último gás no assalto final para acabar com Struve com um com um ganchão de esquerda que decretou o nocaute na marca de 1:44 do round número #3. Mais tarde no twitter, Struve publicou que o gancho quebrou seu maxilar.

Em luta que anteveio a co-principal, Takanori Gomi não esteve nos seus melhores dias na trocação e acabou indo para baixo com quedas em momentos capitais aplicadas por Diego Sanchez. A luta não teve aquela ação em alta velocidade como era de se esperar, o que resultou na decisão dividida dos jurados a favor do vencedor do TUF 1, Sanchez.

Tático, Yushin Okami impõe 2ª derrota em três lutas de Lombard no UFC
Hector Lombard da ATT começou a luta a todo vapor, tentando dar um calor no ex-desafiante ao cinturão médio Yushin Okami. Vários socos potentes do cubano passaram no vazio, e Okami usou a frieza asiática para atacar o single leg e derrubar seu adversário, passando a desferir golpes no solo. Os dois primeiros rounds foram parecidos, com Okami usando a estratégia de diminuir o ímpeto de Lombard com as quedas e com um melhor jogo de solo, chegando até a montar. O round três foi ligeiramente mais complicado para o japonês, que viu Lombard tentando nocauteá-lo de todas as maneiras. Nesse momento era Okami que estava por baixo em alguns momentos de luta de solo, tentando a todo custo travar Lombard e não permitir que o cubano causasse maiores danos, ou pior coseguisse o nocaute. Apesar dos sustos, Okami levou por decisão dividida.

Rani mostra exímio jogo de chão e bate atleta local

Foi um passeio nos dois primeiros assaltos! O brasiliense Rani Yahya melhorou bastante seu jogo de quedas e dominou o ex-campeão do Deep (tradicional evento japonês) e ex-atleta do Strikeforce, Mizuto Hirota, que fazia sua estreia nos penas. Rani impôs seu jogo de chão com maestria, e chegou perto de finalizar com um katagatame justo que Hirota usou sua experiência para resistir. No último round, uma pequena mudança no panorama da luta pelo cansaço do brasileiro, Hirota buscou uma chave de braço incomum, mas Rani saiu dela e conseguiu se manter longe de maiores perigos até o fim da luta. No score final, Rani faturou por decisão unânime (29-28/29-28/29-28).

Kim expõe brechas no jogo de Baharduzada e "passa o carro"
Siyar Baharduzada e Dong Hyun Kim abriram o card principal em combate onde o afegão foi completamente dominado no solo. Ciente da potência dos socos de Siyar, Kim buscou levar a luta para o solo durante os três rounds, sendo bem sucedido na maioria das tentativas. Quando a luta estava no chão, Stun Gun dava amostrar de seu grappling classe A ao montar e contra Baharduzada com facilidade. No terceiro e último assalto, Kim montou e provocou o afegão que nada podia fazer a não ser sofrer os socos de todas as maneiras lançados pelo sul-coreano. No fim do passeio, Dong Hyun Kim venceu por decisão (mais do que) unânime com um triplo 30-27.

Asiáticos superam Cristiano Marcello e Marcelo Magrão nas preliminares
Cristiano Marcello bem que conseguiu acertar o rosto de Kazuki Tokudome com potentes socos, balançando o japonês que tentava responder. Entretanto, um knock down no round #2 e a luta no solo onde o brasileiro não teve muitas oportunidades de finalizar, sofrendo ground and Pound de Tokudome, deram o panorama do embate que os jurados apontaram Tokudome como vencedor por unanimidade.

A programação não começou boa para os brasileiros, telegrafando demais suas quedas e ainda por cima de forma lenta, Marcelo Guimarães, o Magrão, ficou refém de seus overhands e uma ou outra queda em tentativas de joelhadas do estreando da Coréia do Sul, Hyun Gyu Lim. O estilo até que funcionou em algumas vezes, mas Lim marcou um entrada do brasileiro e aplicou um joelhada de esquerda certeira que apagou Marcelo aos 4:00 do segundo assalto.

Outros resultados
Alex Caceres bateu Kyung Ho Kang por decisão dividida
Takeya Mizugaki bateu Brian Caraway por decisão dividida
Brad Tavares bateu Riki Fukuda por decisão unânime

Midia

Recente
Pesagem do UFC Fight Night no dia 19 de setembro, 2014 em Saitama, Japão. (Fotos de Mitch Viquez/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
19/09/2014
Em entrevista ao UFC, lutadora americana afirma querer ser a primeira pessoa a derrotar a japonesa Rin Nakai e colocar a marca 'Miesha Tate' na rival. Veja o vídeo.
19/09/2014
Assista à pesagem oficial do UFC Fight Night: Hunt vs. Nelson ao vivo na sexta, dia 19 de setembro, às 4 da madrugada.
15/09/2014
Em entrevista exclusiva para o UFC, a campeã afirma que adoraria enfrentar Bethe Correia no Brasil e diz não ter medo das vaias. 'Já fui vaiada em mais de 30 diferentes línguas. Não sei como se organizam para isso'. Confira a entrevista
18/10/2014