Wand + Japão = A perfeita combinação

"Este país me dá uma energia boa, os fãs aqui são ótimos, e estou tão feliz de voltar ao país que me deu os melhores momentos da minha vida." - Wanderlei Silva
Wanderlei Silva
É incrível ver (e ouvir) um lutador ser ovacionado na arena de sua casa. Georges St-Pierre no Canadá, Anderson Silva no Brasil, Wanderlei Silva no Japão.    
    
Wanderlei Silva no Japão?    
    
Sim, apesar de ser natural de Curitiba, a segunda casa de Wanderlei e mais provável sua primeira casa de lutas, sempre será na terra do sol nascente, o lugar onde ele lutou 28 de suas 48 lutas profissionais. É um relacionamento único, no mínimo, os fãs reservados no Japão e o emocional "Axe Murderer", mas é um pelo qual ele sempre teve muito apreço.    
    
"Este país me dá uma energia boa, os fãs aqui são ótimos, e estou tão feliz de voltar ao país que me deu os melhores momentos da minha vida", disse Wanderlei, que neste sábado luta no Japão pela primeira vez desde 2006 contra Brian Stann na atração principal do UFC.    
    
Faz muito tempo para Wanderlei e seus fãs, mas mesmo competindo no UFC desde 2007, ele sabia que este dia viria.    
     
"O UFC está indo para todo o mundo, e eu sabia que um dia teria a oportunidade de lutar aqui de novo, e esta oportunidade está de volta", ele disse. "Estou tão feliz por estar na luta principal contra um bom oponente em uma boa arena. Estou feliz por este momento na minha carreira."    
    
Entrando na luta de sábado, o cartel de Wanderlei é somente 3-5, mas este cartel inclui quatro prêmios de Luta da Noite e um de Nocaute da Noite. Contra Stann, que não evita trocar com seus oponentes, Wanderlei talvez queira guardar espaço em sua carteira para mais um cheque de bônus pós luta.    
    
"Ele tem uma estilo como o meu", disse Wanderlei sobre Stann. "Ele não corre no Octógono, e é este tipo de cara que gosto de enfrentar. Não gosto de correr. Ele é o oponente perfeito para este momento."  
    
Este momento também verá o brasileiro lutar no peso que sempre lutou, - 93 kgs. Esta é uma adição bem vinda para Wanderlei.    
    
"Algumas vezes tive que perder quase 15 quilos em 4 meses e é muito", ele disse. "Isto é difícil para mim e difícil para minha família. Eu fico triste em casa, não sorrio (risadas) e agora estou bem. Tive que fazer dieta, mas não muito. Me sinto forte, posso comer e me sinto bem, 93 para mim no momento está bem."     
Mas quando perguntado se ele continuará nesta categoria após esta luta, ele não se compromete.    
    
"Eu não sei", ele disse. "Somente verei o que acontecerá agora, e o futuro é depois da luta."    
    
Então nenhuma decisão sobre sua carreira no futuro?    
    
"Não posso dizer", ele ri. "Sem decisões até o último minuto."     
    
E é deste jeito que deve ser. A lenda de 36 anos mereceu esta luta. Até agora, não existe conversa sobre a próxima semana, o próximo mês, ou o próximo ano. Somente sobre Brian Stann e sua luta neste fim de semana na sua segunda casa.    
    
"Tenho que me controlar porque voltar aqui é algo muito emocional para mim", disse Wanderlei. "Então preciso saber o que vim fazer aqui, me concentrar no meu oponente, no meu plano de jogo, e ir lá e ganhar a luta."    

Watch Past Fights

Midia

Recente
Mark Hunt se tornou o primeiro lutador a nocautear Roy Nelson no Octógono. O atleta neozelandês analisa a luta e diz que espera lutar em quatro semanas no card em Sidney, Australia. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Miesha Tate derrotou a até então invicta japonesa Rin Nakai, por decisão unânime, e falou na entrevista pós-lutas que sua estratégia era usar a envergadura e ser agressiva. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Melhores momentos da coletiva de imprensa pós-lutas do Fight Night Japão.
20/09/2014
Assista à coletiva de imprensa pós-lutas ao vivo na sequência do evento.
15/09/2014