Wand no Brasil: Relembrando os velhos tempos e se preparando para a guerra no UFC 147

 “Todo mundo vai torcer por mim aqui. Vou dar esta vitória a todos os meus fãs ao redor do mundo.” - Wanderlei Silva
UFC superstar Wanderlei Silva
Ia ser tão bom. Wanderlei Silva vs. Vitor Belfort II. Quase 14 anos não foram suficientes para Wand superar a rápida derrota por nocaute técnico para Belfort no Ultimate Brasil em 1998 e agora ele tinha a chance de vingança em seu país. E é verdade, ele  realmente não gosta de Belfort. Ele deixou isso bem claro com o passar dos anos e fez isto de novo.

A decepção de perder a revanche Wand/Belfort era palpável no mundo da luta. Claro, Rich Franklin é outro ex-campeão e futuro Hall da Fama. Também é verdade que Franklin/Wand também é uma revanche que dá ao brasileiro a chance de empatar o placar com “Ace” (Franklin venceu por decisão com bônus de Luta da Noite no UFC 99), mas Wanderlei teria a mesma fúria contra alguém que ele só tem coisas boas para dizer?
“Eu sou um cara feliz. Porém quando vejo meu oponente, quando ele está na minha frente, estou pronto. Eu levo meu trabalho muito a sério.”

Além dos que reflexos, força física ou versatilidade, a habilidade inata de ficar instantaneamente pronto para a guerra é inestimável para atletas tops. Tem que ser parte da razão pela qual Wand se tornou o campeão até 93kgs no Pride, apesar de ser demasiadamente pequeno.

Wanderlei uma vez ficou quatro anos e 18 lutas sem perder, mas nos últimos seis anos, ele perdeu mais do que ganhou, geralmente por nocaute. Se ele não conseguir uma vitória no Brasil, pode-se imaginar que seria a hora perfeita para Wanderlei então se aposentar. 

Apesar de já ter admitido que começou a planejar o que fará depois que parar de lutar, Wand não está preparado para desistir de sua carreira ainda. “Eu não sei”, ele diz, “eu luto uma luta após a outra, entende? Eu revejo meu desempenho depois da luta. Se eu estiver lutando bem, cara eu não posso (parar). Preciso ver o que vai acontecer. Porém já comecei a pensar no meu próximo passo nesse esporte.”

Ele terá muitos fãs para agradar no UFC 147. O UFC está explodindo no quesito popularidade no Brasil. A última defesa de cinturão de José Aldo foi visto pela televisão por quase 100 milhões de brasileiros, e o TUF Brasil de Wanderlei e Vítor foi visto toda semana por outros milhões de pessoas.
“Me sinto muito bem. Estou no meu país, comendo a comida daqui, treino com os caras daqui. Me lembro dos meus velhos tempos. A qualidade dos caras aqui é muito boa, os caras treinam bem, estou muito feliz,” ele diz. 

Quanto à luta, Wand não especifica muito as previsões sobre como ele irá vencer Franklin, mas ele tem a parte importante já mapeada na sua cabeça para 23 de Junho. Fazem quase 12 anos que ele não luta no Brasil. Naquela época, era sem luvas, na obscuridade.

“Faz muito tempo que não luto aqui. Vou fazer minha platéia muito feliz”, ele diz. “Todo mundo vai torcer por mim aqui. Vou dar esta vitória a todos os meus fãs ao redor do mundo.”

Watch Past Fights

Sábado, Julho 30
19H15
BRST
Atlanta, Geórgia

Midia

Recente
Entre na vida Matt Brown, Jake Ellenberger, Rose Namajunas, Karoline Kowalkiewicz, Tyron Woodley e Robbie Lawler e nos camps de treinamentos do principais lutadores do UFC 201, evento que acontece nesse sábado (30).
26/07/2016
Lutadores ajustam os últimos detalhes na academia antes do evento desse sábado (30), e o campeão dos meio-médios Robbie Lawler revela gosto por um outro tipo de esporte. Confira o primeiro episódio da série Embedded UFC 201.
26/07/2016
Robbie Lawler e Rory MacDonald fizeram duelo épico no UFC 189, que terminou com vitória por nocaute do campeão no quinto round. Lawler defende mais uma vez o cinturão dos meio-médios no próximo sábado (30), contra Tyron Woodley, no UFC 201.
15/07/2016
Rose Namajunas finalizou Paige Vanzant no quinto round do UFC Vegas, em dezembro de 2015, e faturou o bônus de Performance da Noite. A norte-americana volta ao octógono no próximo sábado (30) para enfrentar a polonesa Karolina Kowalkiewicz no UFC 201.
25/07/2016