Anthony Pettis: Uma Presença que Garante o Show

"Vai ser uma luta dura para mim e estou me preparando para o que será uma das lutas mais difíceis de minha carreira. Mas todas são. Neste nível, toda luta é dura."   - Anthony Pettis
UFC lightweight Anthony Pettis
Antes da aparentemente inevitável revanche com o campeão até 70 kgs, "Bendo" Henderson, Anthony Pettis terá que se encontrar com um guerreiro diferente do WEC com fixação em prêmio de luta da noite, Donald "Cowboy" Cerrone.

Este sábado no canal Combate, estes assustadores strikers farão a casa cair no United Center em Chi-Town, Illinois. Aos 29 anos, com um cartel de 19-4-1NC, Cerrone obteve seis vitórias impressionantes em sete lutas dentro do Octógono, e o produto da Jackson-Winklejohn fará seu aniversário de dois anos no UFC depois disto. Enquanto seu kickboxing havia sido altamente considerado, a trocação de Cerrone se tornou impressionantemente letal com dois prêmios de Nocaute da Noite, e não esqueçamos, a Finalização da Noite em cima de Denis Silver que começou com um chute na cabeça que levou o alemão a lona.  
  
"Ele é um cara muito perigoso", admite Pettis. "Muito bom, casca grossa. Ele é um daqueles caras que não tem um buraco em seu jogo. Ele é muito ativo, sempre vem para lutar, e sempre está pronto. Ele não vai aparecer fora de forma, ou aparecer sem estar preparado. Ele vem para lutar. Vai ser uma luta dura para mim e estou me preparando para o que será uma das lutas mais difíceis de minha carreira. Mas todas são. Neste nível, toda luta é dura."  
  
Enquanto este card está repleto de grandes lutas, sem dúvidas, somente o mero pensamento de "Shotime" vs. "Cowboy" deve dar calafrios aos fãs do Octógono. No papel, 25 de suas 39 lutas acabaram via interrupção do árbitro, que é o porque destes jovens pesos leves serem tão amados pelos fãs no WEC e no UFC. Além das sempre persistentes implicações ao título, Cerrone tem um talento especial em fazer todas as suas lutas parecerem pessoais, sejam elas pessoais ou não. Aquelas provocações antes da luta podem ser simplesmente puro marketing para valorizar, ser um jogo mental contra seu oponente, e/ou para se manter irritado dentro da jaula, mas não afetará o plano de Pettis de deixar seus punhos e pernas falarem por ele na jaula.  
  
"Não vou deixar isto mudar o meu jeito de lutar contra ele", afirma Pettis. "Não sou aquele cara que precisa odiar seu oponente ou me visualizar batendo nele o tempo todo. Venho competindo minha vida toda, venho lutando contra caras diferentes a minha toda - não preciso dessa motivação extra. Só porque o cara está falando besteira e não gosto dele, não preciso disso como motivação nos meus treinos. Eu estou me motivando. Não preciso dessa motivação para lutar com ninguém. Quando você assina o seu nome no contrato, toda motivação que preciso está lá. Você aceitou lutar comigo, e esta foi a pior decisão da sua vida."  

Neste sábado na "The Mad House on Madison" em Chicago, dois astros em ascensão da divisão dos pesos leves colidirão com garantia de show. "Você coloca um cara como Cerrone e um cara como eu, o "Showtime" na jaula, e os fãs já sabem o que esperar", afirma Pettis, que sabe que o pavio foi aceso, e está queimando há algum tempo, e o barril de pólvora está pronto e esperando dentro do Octógono na noite da luta. "Ele é um cara muito talentoso, e eu sou um cara muito talentoso. Ninguém espera nada além de uma ótima luta."  



Watch Past Fights

Midia

Recente
Não foi apenas um saldo positivo para os lutadores brasileiros no UFC 177, mas também atuações sólidas, com Diego Ferreira e Bethe Pitbull aplicando dois nocautes. Amanda Salvato conversou com os dois após as grandes vitórias no card principal.
30/08/2014
UFC 177 no Sleep Train Arena em 30 de agosto, 2014 em Sacramento, Califórnia. (Foto de Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
30/08/2014
Com ausência de Renan Barão, Bethe Correia e Diego Ferreira foram os brasileiros na pesagem. 'Estou muito confiante', garantiu Bethe. Já Ferreira acredita em vitória por causa dos treinamentos, feitos em Manaus e nos EUA.
29/08/2014
O campeão peso galo T.J. Dillashaw e o novo desafiante Joe Soto sobem na balança antes de comentarem as grandes mudanças no UFC 177. Ouça também o presidente do UFC Dana White e o matchmaker Sean Shelby.
29/08/2014