Os melhores de uma nação - Japão

Leia sobre os melhores dos melhores do Japão...
UFC lightweight Takanori Gomi
Com uma distância de mais de 2.574 km entre Macau e Tóquio, os países de China e Japão não são exatamente vizinhos, mas no dia 10 de novembro o MMA japonês será representado no primeiro evento realizado na China. Onde destaques como Takanori Gomi, Yasuhiro Urushitani, Riki Fukuda, e Takeya Mizugaki entram no Octógono para o que promete ser um evento histórico, não só para a Ásia, mas para o mundo inteiro. 
   
Então com uma história tão rica no esporte, quem são os melhores lutadores japoneses a dar sua graça no Octógono? Aqui estão os melhores da Terra do Sol Nascente...    
    
TOP 10 (Em ordem alfabética)
    
Yoshihiro Akiyama - Osaka    
Estreia no UFC - UFC 100 - Vitória sobre Alan Belcher por decisão.
Um habilidoso faixa preta de judô que não teme em ir para a trocação, Yoshihiro Akiyama fez sua estreia no UFC com muita festa em 2009, e não decepcionou quando venceu Alan Belcher por decisão após três emocionantes rounds. O desempenho rendeu à Akiyama a Luta da Noite, e prêmio recebido também em suas duas próximas lutas, derrotas duras contra Chris Leben e Michael Bisping. Depois de uma derrota por nocaute de Vitor Belfort, Akiyama desceu de peso (meio-médio), e perdeu uma acirrada disputada por decisão contra Jake Shields no UFC 144.    
    
Takanori Gomi - Kanagawa    
Estreia no UFC - UFN 21 - Derrota por finalização contra Kenny Florian.    
O único homem a deter o título peso leve do PRIDE, Takanori Gomi dominou a organização japonesa com punhos de aço, com 13-1 (1 NC) de 2004 a 2007. Em 2010, ele chegou ao Octógono, e perdeu para  Kenny Florian, Clay Guida e Nate Diaz, porém mostrou o estilo "Fireball Kid" com nocautes impressionantes contra Tyson Griffin e Eiji Mitsuoka, e o confronto em 10 de novembro contra Mac Danzig  é essencial para o ícone japonês.        
    
Hatsu Hioki - Nagoya   
Estreia no UFC  - UFC 137 - vitória no R3 sobre George Roop.    
Ex-campeão do Shooto e do Sengoku, Hatsu Hioki dominou a cena japonesa de 2007 a 2011, indo a 12-1 enquanto se estabelecia como um dos top dos penas no esporte. Mas no fim de 2011, ele decidiu que estava na hora de procurar um estágio maior, e em outubro daquele ano, ele fez sua estreia no UFC com uma vitória em cima do casca grossa George Roop. Não foi sua performance mais impressionante, mas Hioki compensou uma vitória sobre Bart Palaszewski. Uma derrota surpreendente para Ricardo Lamas em junho foi um revés, mas esperem ele retornar mais forte o quanto antes.     
    
Yuki Kondo - Niigata   
Estreia no UFC - UFC 27 - TKO no R3 sobre Alexandre "Café" Dantas.    
Um cartel de 1-2 não conta toda a história quando se trata da carreira de 16 anos de Yuki Kondo. De fato, sua vitória sobre Alexandre "Café" Dantas e derrotas no Octógono para Tito Ortiz e Vladmir Matyushenko mal tocam a superfície quando se fala de um dos lutadores mais subestimados de seu tempo. Um Rei do Pancrase que derrotou Frank Shamrock, Semmy Schilt, e Guy Mezger, entre outros, Kondo também foi estrela no PRIDE, onde seu cartel inclui lutas com Wanderlei Silva, Dan Henderson, e Igor Vovchanchyn. Ainda ativo com 37 anos, o impacto de Kondo sempre será sentido em casa, mesmo que não tenha conseguido emplacar no cenário do UFC.    
    
Tsuyoshi Kosaka - Kusatsu  
Estreia no UFC - UFC 16 - Vitória por decisão sobre Kimo.   
Uma figura carimbada na divisão dos pesos pesados do UFC na década de 90, Tsuyoshi  "TK" Kosaka - como seu conterrâneo Yuki Kondo - sofreu por estar no Octógono em sua "Era Sombria", quase garantindo que ele não conseguiria o respeito que merecia de futuras gerações de fãs. Mas para aqueles que nunca o viram, tenham certeza que ele era o cara, um lutador corajoso com habilidades legítimas que nunca desistia. O primeiro homem a vencer Fedor Emilianenko (embora de forma controversa), Kosaka foi por muito tempo parceiro de treino de Maurice Smith e Frank Shamrock, e seu cartel inclui vitórias sobre Kimo Leopoldo, Pete Williams e Tim Lacjik. Na sua última luta no Octógono em 2002, ele foi parado por Ricco Rodriguez, um dos sete campeões do PRIDE ou do UFC que ele já enfrentou em sua carreira.    
    
Yushin Okami - Kanagawa   
Estreia no UFC - UFC 62 - Vitória sobre Alan Belcher.   
O mais bem sucedido lutador japonês na história do UFC, Yushin Okami é uma potência no Octógono e uma parada dura para qualquer um até 84kgs. Vencedor de 11 de suas 15 lutas no UFC, incluindo vitórias sobre Nate Marquardt, Mark Munoz, Mike Swick e Evan Tanner, Okami foi o último homem a vencer Anderson Silva (por desqualificação em uma luta fora do UFC), e em dezembro ele encontrará Alan Belcher pela segunda vez depois de vencer "The Talent" na primeira luta em 2006.     
    
Kazushi Sakuraba - Akita  
Estreia no UFC - UFC Japão - No Contest no R1 com Marcus "Conan" Silveira.    
A carreira de Kazushi Sakuraba no UFC durou o total de uma noite, mas ele saiu imbatível com uma vitória e um NC naquela noite, fazendo Saku merecer o título do torneio dos pesados Ultimate Japan. Porém foi o resto da carreira de Sakuraba que o fez merecer um lugar aqui, quando se tornou um astro apelidado de "The Gracie Hunter" pelas suas vitórias sobre quatro membros da primeira família do MMA, e uma verdadeira lenda do esporte.        
    
Hayato Sakurai - Ibaraki   
Estreia no UFC - UFC 36 - Derrota por TKO para Matt Hughes.    
Como Sakuraba, uma noite no UFC não foi o bastante para mostrar o quanto Hayato "Mach" Sakurai era bom. Mas considere isto: a luta para qual ele foi trazido do exterior, contra Matt Hughes no seu auge, foi uma em que muitos achavam que ele venceria. Não venceu, mas sua única aparição no UFC não representou tanto assim se compararmos com a carreira que "Mach" teve competindo no PRIDE, DEEP, Shooto e Dream contra nomes como Anderson Silva, Nick Diaz, Shinya Aoki, Takanori Gomi, Jens Pulver, Dave Menne, Jake Shields, Frank Trigg, e Caol Uno.     
    
Caol Uno - Kanagawa   
Estreia no UFC - UFC 30 - Derrota por decisão para Jens Pulver. 
Duas vezes desafiante no UFC, Caol Uno deu trabalho a Jens Pulver e BJ Penn, mas não conseguiu garantir a vitória e se tornar o primeiro campeão do UFC vindo do Japão. Sobre o resto de suas duas lutas, ele foi capaz de vencer sólidos competidores como Yves Edwards e Din Thomas, mas aquela grande vitória, o marco na carreira no Octógono, nunca aconteceu.       
    
Norifumi "KID" Yamamoto - Kanagawa  
Estreia no UFC - UFC 126 - Derrota por decisão para Demetrious Johnson.    
Uma estrela de longa data no circuito japonês, Norifumi "KID" Yamamoto foi uma força pioneira para as classes leves, e a muito se falava que iria para os Estados Unidos para enfrentar Urijah Faber e Miguel Torres em super lutas. Em 2011, o sonho se tornou realidade quando assinou com o UFC, mas "KID" pareceu um tanto vazio em três lutas contra Demetrious "Mighty Mouse" Johnson, Darren Uyenoyama, e Vaughan Lee.    

    
OUTRAS PARTICIPAÇÕES  
Yoji Anjo - Tóquio  
Apesar de Yoji Anjo ser lembrado como um lutador que nunca sentiu o gosto da vitória no UFC, o nativo de Suginami foi importante no mundo do wrestling profissional, onde ele fazia o papel de "bandido". Essa notoriedade o levou para o MMA, e depois de estrear contra Sean Alvarez em casa em uma luta de 34 minutos em 1996, ele mostrou toda sua garra, apesar da derrota por decisão, contra Tank Abbott na primeira visita do UFC ao Japão em 1996. Finalizado por Murilo Bustamante e Matt Lindland em lutas subsequentes no Octógono, Anjo fez em 2004 sua última apresentação diante Ryan Gracie no PRIDE.    
    
Ryo Chonan - Yamagata City  
Andando pelas ruas de Tóquio você não teria como saber, mas muitos dos prédios construídos na cidade japonesa têm as digitais do ex-operário Ryo Chonan. Da mesma forma, você não teria como saber o quanto ele é bom somente olhando para o seu cartel, mas os fãs que o acompanharam na sua época de PRIDE e DEEP sabem que ele mereceu seu espaço na história do MMA. O último homem a finalizar Anderson Silva, Chonan conseguiu tal feito em sua luta no PRIDE em 2004, com uma das maiores finalizações até hoje - uma 'tesoura voadora'. Chonan também venceu Carlos Newton e Hayato Sakurai, mas nunca acompanhou aquele ritmo em suas quatro lutas no UFC.    
    
Riki Fukuda - Gifu  
Competidor de longa data, Riki Fukuda finalmente chegou ao UFC em 2011, e ele teve pela frente o veterano do The Ultimate Fighter, Nick Ring, no UFC 127 na Austrália. E mesmo perdendo para Ring, a decisão foi tão controversa que o presidente Dana White deu o bônus da vitória para ele, amenizando um pouco a dor pelo resultado negativo. Desde então, ele detém 1-1 no Octógono, vencendo Steve Cantwell e perdendo uma decisão para Costa Philippou. Em 10 de novembro ele enfrenta Tom DeBlass de New Jersey.         
    
Akihiro Gono - Saitama  
O carismático, Akihiro Gono fez sua estreia no MMA em 1994, compilando umas 30 vitórias. No caminho, ele enfrentou um "quem é quem" dos meio-médios até os pesos leves (como os campeões do UFC Matt Hughes e Shogun Rua, o veterano do PRIDE e do UFC Yuki Kondo, e o campeão de duas categorias do PRIDE Dan Henderson) enquanto fazia o seu nome no PRIDE, Pancrase e Shooto pelo seu estilo agressivo e ataque bem completo, sem mencionar suas memoráveis entradas ao ringue. O cartel de Gono inclui uma vitória sobre Tamdan McCrory em sua estreia em novembro de 2007 e derrotas duras contra Dan Hardy e Jon Fitch por decisão.     
    
Sanae Kikuta - Tóquio   
Estrela de longa data do Pancrase, Kikuta é mais uma daquelas histórias "E Se", pois ele só competiu no Octógono uma vez, finalizando Eugene Jackson no UFC 25 em 2000. Um talento de alto nível, Kikuta fez seu nome ao lutar com todos que viessem, incluindo Renzo Gracie, Murilo Bustamante, Ikuhisa Minowa, Yuki Kondo, Elvis Sinosic, Minotauro Nogueira, e Hidehiko Yoshida.    
    
Naoyuki Kotani - Kanagawa  
Atualmente com sete vitórias consecutivas em organizações japonesas, Naoyuki Kotani parece finalmente estar acertando o passo depois de altos e baixos em sua carreira, que incluem derrotas para Thiago Tavares e Dennis Siver em suas duas lutas no UFC em 2007.     
    
Ikuhisa Minowa - Nagoya  
Um dos lutadores mais populares de MMA, um recorde com 54-34 de Minowa, 36 anos, deve dizer tudo. Um lutador que venceu Joe Slick no UFC 25 em 2000, "Minowaman" virou lenda no PRIDE, onde seu cartel inclui Wanderlei Silva, Rampage Jackson, Phil Baroni, Ryan Gracie, Gilbert Yvel, Kazushi Sakuraba, Murilo Bustamante, e Mirko Cro Cop.    
    
Dokonjonosuke Mishima - Osaka  
Carismático e talentoso, Dokonjonosuke Mishima não teve moleza em suas duas lutas no UFC, as derrotas para Joe Stevenson e Kenny Florian. Mas lutando contra competidores top no Japão como Yves Edwards, Marcus Aurelio, e Takanori Gomi, ninguém se impressionou com o nível da oposição que Mishima enfrentou no Octógono.          
    
Takeya Mizugaki - Kanagawa  
Takeya Mizugaki, um dos melhores do Japão no esporte, começou um novo capítulo na sua carreira de MMA na nova categoria dos galos em 2011, quando derrotou Reuben Duran e Cole Escovedo, mas talvez seja mais lembrado pela sua luta clássica - valendo o título do WEC - contra Miguel Torres em 2009, uma batalha de cinco rounds que entrou para a história e que serve quase como uma introdução para o lutador de 61 kgs. 2-2 no UFC, Mizugaki pode agarrar a vitória numero #3 na China, se vencer Jeff Hougland.    
        
Kazuhiro Nakamura - Hiroshima  
Faixa preta de judô, Nakamura estreou no PRIDE 25 em 2003 contra Rogerio "Minotouro" Nogueira. Foi um ótimo exemplo do tipo de competição que ele estava disposto a enfrentar, e Nakamura foi figura carimbada na organização por anos, lutando contra caras como Dan Henderson, Murilo Bustamante, Kevin Randleman, Wanderlei Silva, Igor Vovchanchyn, Josh Barnett, e Shogun Rua. 0-2 no Octógono, com derrotas para Lyoto Machida e Sokoudjou, Nakamura retornou ao Japão, onde continua um competidor ativo.     
    
Keita Nakamura - Tóquio  
Sem vencer em três lutas no UFC contra Brock Larson, Drew Fickett e Rob Emerson (todas por decisão), Keita Nakamura era duro, mas não conseguia se ajustar ao Octógono. Ainda compete na Ásia com sucesso, ganhou sete de suas últimas oito lutas.      
    
Koji Oishi - Tóquio   
Provavelmente mais lembrado por seu bizarro jogo em pé na derrota contra Nick Diaz no UFC 53, Koji Oishi (0-2 no UFC) foi mesmo assim um sólido competidor no Pancrase onde venceu o irmão de Nick, Nate Diaz, Chris Lytle e Naoyuki Kotani, e também lutou com Carlos Condit.    
    
Michihiro Omigawa - Ibaraki  
Um condecorado judoca de nível internacional e protegido do medalha de ouro Hidehiko Yoshida, nativo de Ibaraki, Michihiro Omigawa entrou para o MMA em 2005, e depois de um começo turbulento, o veterano do PRIDE voltou aos trilhos com três vitórias consecutivas e mereceu a primeira  ligação para atuar no UFC em 2007. Depois de um 0-2, ele foi para 8-2-1 no Japão, conseguindo um segundo convite. E mesmo tendo estado em várias lutas difíceis, ele conseguiu somente 1-4 na sua volta ao UFC.    
    
Genki Sudo - Hokkaido  
Um espírito livre no melhor uso da palavra, Genki Sudo construiu uma reputação estelar entre os fãs hardcore de todo o mundo como um verdadeiro showman que ainda conseguia impressionar depois do gongo soar. Ele até finalizou Butterbean em um show japonês em 2003. Apesar dquela vitória bizarra, Sudo conseguiu sua permanência no MMA não só porque sempre lutou para ganhar, mas também para entreter, algo inexistente em alguns lutadores. Seja um triângulo voador, seus movimentos peculiares, ou uma rajada de socos, Sudo sempre agradou, e com vitórias sobre Royler Gracie, Nate Marquardt, e Mike Brown, mostrou que o Neo Samurai sempre pode lutar em nível top dos pesos leves também.     
    
Daiju Takase - Tóquio  
Uma histórias de pouca sorte no UFC, lutador de jiu jitsu em Tóquio, Daiju Takase foi um competidor sólido que sofreu com um problema de má administração de carreira, levando ele luta após luta contra uma série de oponentes duríssimos. Mas ele terá sempre algo para lembrar, seu triângulo na futura estrela do UFC, Anderson Silva, em 2003 no PRIDE. Uma surpresa incrível e um mérito que ninguém pode tirar dele.    
    
Yasuhiro Urushitani - Ehime  
Como o primeiro lutador japonês a ajudar a inaugurar a divisão dos pesos mosca no UFC, Yasuhiro Urushitani foi a escolha perfeita, dado seu talento, experiência e status como um dos melhores até 57 kgs no planeta. Um veterano com 11 anos de experiência, Urushitani venceu cinco lutas,  consecutivas que o levaram até sua estreia no UFC em março de 2012, e mesmo tendo sido parado por Joseph Benavidez, ele tem a chance de igualar o placar em Macau contra John Lineker.    
    
Kenichi Yamamoto  
2-1 em três lutas do UFC, Yamamoto foi tecnicamente o primeiro japonês desafiante ao cinturão quando lutou contra Pat Miletich no UFC 29 (o compatriota  Kondo lutou contra Tito Ortiz pelo cinturão na luta principal daquela noite). Yamamoto foi finalizado no segundo round por Miletich, e voltou a competir no Japão, incluindo três lutas no PRIDE. Depois de uma aposentadoria de cinco anos, Yamamoto voltou em 2011, mas foi parado no primeiro round por Sanae Kikuta.    
   
Yoshiyuki Yoshida - Tóquio    
Dono de uma faixa preta de quarto grau no judô e inúmeros títulos na arte, Yoshiyuki Yoshida fez uma transição suave para o mundo do MMA. E mesmo sendo relativamente desconhecido nos Estados Unidos, quando entrou no Octógono pela primeira vez contra o lutador do TUF Jon Koppenhaver em maio de 2008, em menos de um minuto, a casa lotada em Las Vegas sabia quem ele era após a vitória impressionante por finalização. Derrotas em três de suas quatro lutas contra Josh Koscheck, Anthony Johnson, e Mike Guymon, o levaram a ser dispensado em 2010.     

Midia

Recente
UFC Minute host Lisa Foiles recaps this weekend's action in Austin and looks ahead to the highly-anticipated rematch between Johny Hendricks and Robbie Lawler at UFC 181 on December 6!
24/11/2014
O campeão Johny Hendricks enfrenta Robbie Lawaler, nos meio-médios, e Anthony Pettis coloca seu cinturão dos leves em jogo contra Gilbert Melendez. Confira os confrontos que definiram essas disputas, que acontecem em 6 de dezembro.
26/11/2014
Perdeu a joelhada de Fabrício Werdum em Mark Hunt? Confira alguns dos golpes mais bonitos do evento que deu o cinturão interinos dos pesados ao brasileiro. Assine o canal Combate: http://on.ufc.com/assinecombate
26/11/2014
O repórter Matt Parrino, do UFC.com, e o ex-lutador Forrest Griffin falam sobre a colocação do brasileiro no ranking, comentam a vitória de Frankie Edgar e respondem os fãs. Confira o Ranking Completo - www.ufc.com.br/rankings
25/11/2014