Chael Sonnen – Está na hora de lutar

"Eu não vou fazer reverencia a ninguém e não me escondo atrás de um personagem como ele e outros caras fazem ‘oh meu pai disse isso e isso.’ Meu pai me disse para vencer.” - Chael Sonnen
Number one UFC middleweight contender Chael Sonnen
Autor, narrador, vendedor, pára-raios para controvérsia. Todos são títulos aptos para Chael Sonnen, o concorrente número 1 dos pesos médios, e tudo isto passava longe de sua cabeça em 1997, quando ele estava fazendo sua estréia no MMA contra Ben Hailey, ou em 2006, quando ele perdeu para Jeremy Horn pela terceira vez, recebendo seus papéis de dispensa do UFC por quase 3 anos.

Agora, ele está a um dia da mais esperada revanche na história do MMA contra o campeão até 84 kgs, Anderson Silva e ele é o foco da mídia ao redor do mundo por suas declarações cada vez mais incendiárias. Ele admite que se sente diferente sendo destaque para esta luta no UFC 148 de quando estava se preparando para enfrentar Anderson no UFC 117 em Agosto de 2010.

“Sim, mas não sei te dizer por que”, ele disse. “E não tem a ver com o oponente, mas as coisas ficam diferentes com experiência, e eu tive três lutas desde então, então sim, é diferente.” 

Há quase dois anos, Sonnen estava a 1 minuto e 50 segundos de ser o campeão que ele tanto quis por anos. Anderson, o melhor de todos os tempos, não importa de que jeito você o veja, fez o que o melhor de todos os tempos tende a fazer cara a cara com a adversidade – ele achou um jeito de ganhar. É uma luta que Sonnen não tinha visto até recentemente, quando assistiu no Ultimate Insider Show da FUEL TV.

“Eu fui forçado a assistir quando John Anik veio aqui, e foi doloroso”, disse Sonnen. “Minha última luta foi com Michael Bisping, e eu tentei assistir aquela luta, e é muito difícil. Eu realmente me esforcei para assistir aquilo e acho que é uma falha. Eu acho que seria melhor se eu não tivesse assistido, ou se pelo menos tivesse assistido com meu treinador e dado pause, e voltado, para realmente estudar aquela luta. Acho que poderia ter aprendido com eles.”

Desde então, Sonnen tem lidado com comissão atlética e ações legais, enquanto ainda achava foco e tempo para vencer Brian Stann e Bisping. Anderson, depois de apresentar uma mágica volta contra alguém que estava dominando a luta, foi muito mais decisivo nas suas duas próximas lutas, nocauteando Vitor Belfort e o parceiro de treino de Sonnen, Yushin Okami.

“Eu assisti as suas duas lutas e achei que perderia as duas, e ele venceu dominantemente.” Diz Sonnen. “Então, na minha cabeça, ele é melhor do que eu achava. Não estou delirando, ele (Anderson) é um bom lutadorzinho. Eu sou um atleta de nível mundial e existe uma grande diferença. Anderson disse isso como um insulto, mas eu levei como um tremendo elogio. Ele falou sobre ele, ‘Eu sou um artista de artes marciais, este cara é um lutador.’ E ele está certo. Eu não sou um artista marcial, ele é. Eu não uso ternos e eu com certeza não me reverencio para as pessoas. Ele pode acreditar em respeito e em todas essas outras coisas bregas que ele diz só para ganhar seu pagamento. Mas no fim do dia, Eu sou um lutador de West Linn, Oregon, e é assim que vai ser. Eu não vou fazer reverencia a ninguém e não me escondo atrás de um personagem como ele e outros caras fazem ‘oh meu pai disse isso e isso.’ Meu pai me disse para vencer.”
 


Watch Past Fights

Midia

Recente
Mark Hunt se tornou o primeiro lutador a nocautear Roy Nelson no Octógono. O atleta neozelandês analisa a luta e diz que espera lutar em quatro semanas no card em Sidney, Australia. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Miesha Tate derrotou a até então invicta japonesa Rin Nakai, por decisão unânime, e falou na entrevista pós-lutas que sua estratégia era usar a envergadura e ser agressiva. Ative as legendas clicando em "cc".
20/09/2014
Melhores momentos da coletiva de imprensa pós-lutas do Fight Night Japão.
20/09/2014
Assista à coletiva de imprensa pós-lutas ao vivo na sequência do evento.
15/09/2014