O único objetivo de Edgar – Retomar o cinturão

“Quando você sente o sabor da derrota, você quer uma chance de redenção.” - Frankie Edgar
UFC lightweight Frankie EdgarDois anos como campeão do UFC, e Frankie Edgar está acostumado a ter a constante presença de pessoas estranhas ao seu redor carregando equipamentos de áudio e vídeo. E entre o UFC Primetime, UFC Countdown e mais cobertura da mídia do MMA – nestes dias é mais raro quando não existem câmeras seguindo o fenômeno até 70 quilos. E ‘The Answer’ está acostumado com isso, como ele estava em ser o campeão.

“Quando você sente o gosto de ser campeão, você gosta de defendê-lo, não tentar de capturá-lo. Quando você tem pessoas o chamando de campeão, soa muito bem.”

E de fato, soa. Juntamente com o que alguns chamaram de uma derrota por decisão controversa para Bem Henderson no UFC 144 em Fevereiro no Japão, e o fato de o presidente do UFC Dana White também ter achado que Frankie ganhou a luta – Edgar gritou para quem quisesse ouvir que ele queria uma revanche imediata.

“Não tem nada pessoal para mim, é a natureza da competição”, diz Edgar. “Ele pegou o cinturão de mim e o quero de volta, é isto.”

Então o que Edgar fará de diferente desta vez?

“Eu não penso em fazer as coisas diferente, penso em fazer as coisas melhores”, ele diz.

E enquanto se prepara para outra revanche (ele lutou três seguidas: BJ Penn, Gray Maynard e agora Benson Henderson) – a grande questão agora é a discussão sobre baixar para o peso pena, que Edgar sabe que vai ter que enfrentar mais cedo ou mais tarde.

“Só porque você baixou de categoria não quer dizer que você vá ser bem sucedido”, ele diz. “Existem muitas variantes. Os caras são mais rápidos, mais atléticos. Só porque você perdeu peso não quer dizer que você vai dominar. A mídia fala sobre isso. Os fãs também. Até eu faço isso – brinco de ser matchmaker. Eu quero ver Georges (St-Pierre) lutar com Anderson (Silva) ou Anderson lutar com Jon (Jones). Posso descer até 66 quilos? Sim, posso, no futuro. Vou descer? Sim, me desafiei nos 70kgs e vou me desafiar nos 66kgs também.”

Mas agora Henderson tem o cinturão e antes de Edgar vagar a divisão, ele estava no topo há dois anos e teve três defesas bem sucedidas (uma foi empate, mas ele continuou com o cinturão), ele tem que decifrar o prodígio coreano-americano.

“Ben é casca-grossa, é difícil treinar para lutar com ele, um pouco não ortodoxo, um grande atleta e ele é grande para um atleta peso leve”, disse Edgar. “Ele tem muita habilidade e é por isso que a luta foi tão difícil na primeira vez. Para esta luta, preciso fazer alguns ajustes, sem dúvidas.”

Ajustes e melhoras são o que motivam a atitude obstinada de Edgar em relação a um esporte em que ele já está desde 2005, e o motivo de estar constantemente treinando.

“Este esporte é tão novo”, ele diz. “Existem tantas disciplinas diferentes, e você não for para a academia você fica para trás. Mas competir é o melhor jeito de aprender. Você pode sentar aqui na academia e você vai ficar melhor, mas se você se colocar no mundo competitivo, você vai chegar a outro nível.”

No sábado, Edgar vai testar sua teoria de que ficou melhor a cada luta. Ganhando ou perdendo, Frankie vai ser forçado a tomar uma decisão sobre descer para os 66 kgs, mas por agora ele só tem uma coisa em mente.

“Quando você sente o sabor da derrota, você quer uma chance de redenção.”  


Watch Past Fights

Sábado, Outubro 25
23h
BRT
Rio de Janeiro, Brazil

Midia

Recente
Os jornalistas Davi Correia (UFC.com.br), Guilherme Cruz (MMAFighting) , e Ivan Raupp (Combate.com), conversam sobre o card principal do UFC 179, no Rio de Janeiro. O brasileiro é favorito, mas precisa tomar cuidado com o jogo de wrestling de Chad Mendes.
23/10/2014
Fotos da pesagem do UFC 179 no Ginásio do Maracanãzinho em 24 de outubro, 2014 no Rio de Janeiro (Fotos de Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
24/10/2014
Confira os melhores momentos dos lutadores na balança. O campeão José Aldo garantiu que vencerá Chad Mendes, nos penas. "Esse cinturão vai continuar no Brasil.
24/10/2014
Enquanto Aldo e Chad treinavam no Rio para o UFC 179, Conor McGregor desembarcava na cidade com a língua afiada. Na saída do aeroporto, pediu se o motorista não o levaria até a favela do José e mandou dizer que irá tomar o cinturão do brasileiro.
24/10/2014