Erick Silva quer provar que mudanças na carreira foram decisões corretas

Brasileiro entra em ação contra Yancy Medeiros no UFC 212, no Rio

Para alguns lutadores, sair da zona de conforto é um passo necessário para levar a carreira a outro patamar. Para Erick Silva, no entanto, foi o caminho inverso: a mudança que o capixaba precisava era voltar ao seu estado natal, o Espírito Santo.

“Eu vim para cá e consegui agregar tudo. Consegui ficar próximo da minha família, do meu filho e, na minha cidade, conheço muita gente, então consegui muitos parceiros para me ajudar a investir nos meus treinos”, contou Erick em conversa com a reportagem do UFC Brasil, “Trouxe uma equipe que está sendo de fundamental importância. Só vejo pontos positivos. Desde antes de entrar no UFC, eu já morava no Rio de Janeiro, agora vim para cá e acho que foi uma escolha muito boa”.

CLIQUE AQUI e garanta já seu ingresso para o UFC 212, no Rio de Janeiro

A mudança foi em 2016, pouco antes da última vitória do “Tigre”, sobre Luan Chagas e não foi a única que o lutador promoveu em sua preparação. Para o duelo do dia 3 de junho contra Yancy Medeiros, no UFC 212, Erick também foi treinar na Alemanha

“Foi uma experiência muito boa”, contou, “Fui treinar com um dos melhores treinadores de kickboxing, que é o Mohamed Ouali, e aprendi muito lá. Ele é um treinador muito detalhista e me passou muita coisa. Assim que passar essa luta pretendo voltar para lá para poder me aperfeiçoar ainda mais”.

Mais UFC 212: Conheça os estreantes | Garanta já o seu ingresso | Dúvidas frequentes | Todas as lutas da noite | Garanta o ingresso para a pesagem | Lendas falam da relação entre Rio e MMA

Tanta atenção à trocação se deu, também, pela expectativa de Erick sobre o duelo com Medeiros, que ele imagina se desenrolando majoritariamente em pé.

“O Yancy Medeiros é um atleta muito duro, tem uma envergadura ótima. Fiz bastante sparring, treinei bastante muay thai e estou bastante confiante para essa luta. Tenho certeza que vai ser uma boa vitória para mim, é um jogo que casa. Ele tem algumas finalizações na carreira, mas gosta muito da parte da trocação, então vai ser uma luta bastante interessante”, analisou o brasileiro.

Aos 32 anos de idade, Erick evita fazer promessas e traçar grandes planos. Preocupado apenas com a próxima luta, o lutador, que busca voltar ao Top 15 na divisão dos meio-médios quer simplesmente representar seu time e mostrar que encontrou o equilíbrio necessário na carreira para deslanchar.

“Já passei por tudo dentro do octógono”, ponderou, “Venho adquirindo experiência a cada luta e não tenho nada para provar para mim. Você quer colocar o que você treina em prática, e é isso que eu venho fazendo. Quero lutar, quero mostrar que minha decisão de ter vindo para o Espírito Santo foi a decisão correta e estou bastante tranquilo quanto ao que eu venho trabalhando. Estou bastante motivado e estou com uma equipe técnica muito boa. Muitos lutadores do mundo inteiro em equipes grandes não têm o que eu tenho aqui”.

Midia

Recente
Acompanhe a cerimônia de pesagem do UFC Estocolmo neste sábado (27), a partir das 10h (horário de Brasília).
27/05/2017
Confira as principais encaradas do Media Day do UFC Estocolmo, que reuniu as principais estrelas do evento que acontece nesse domingo (28).
26/05/2017
Próximo de enfrentar Max Holloway na luta principal do UFC 212, o campeão José Aldo relembra fantasmas do passado, fala sobre o duelo pela unificação dos cinturões dos penas e, claro, o retorno ao Rio de Janeiro no dia 3 de junho.
24/05/2017
Um dos duelos mais esperados do ano acontece em 3 de junho, no Rio de Janeiro, quando os pesos penas José Aldo e Max Holloway duelam pela unificação do cinturão da categoria.
24/05/2017