O lema de Browne, vencer no sábado e voltar projetar no domingo

"Mas aconteceu, e tenho que seguir em frente. Não existe nada que eu possa fazer sobre isso, e no próximo compromisso tenho que atuar como se nunca tivesse perdido antes." - Travis Browne
Peso pesado do UFC: Travis Browne
A última luta de Travis Browne foi sua primeira derrota na carreira, quando enfrentou Antonio "Pezão" Silva em outubro e sofreu um TKO. Naquela luta, Browne rompeu o seu tendão no início do primeiro round, e sem o uso de sua perna, ele tornou-se um alvo fácil para Pezão, que o despachou com socos na marca de 3:27. Seis meses depois, Browne é filosófico sobre a derrota.

"A vida não é justa o tempo todo", disse o nativo de Honolulu. "Talvez eu possa olhar para isto como uma ajuda que dei para Pezão manter seu emprego. E se eu tivesse vencido? Ele não teria conseguido lutar contra Alistair (Overeem) e não estaria lutando pelo título (em maio contra Cain Velasquez). Ele poderia ter sido cortado. Mas aconteceu, e tenho que seguir em frente. Não existe nada que eu possa fazer sobre isso, e no próximo compromisso tenho que atuar como se nunca tivesse perdido antes."    
  
É a mentalidade que ele está trazendo para luta de sábado contra o ex-desafiante pelo título mundial Gabriel "Napão" Gonzaga. Para Browne, uma grande vitória sobre o veterano brasileiro colocará a luta contra Pezão como parte do passado e vai posicioná-lo no caminho certo. Mas Napão, que venceu três seguidas, incluindo duas no UFC, também quer se estabelecer no topo, e Browne comenta que seu oponente está mostrando a melhor forma de sua carreira.    
  
"Eu vejo um Gabriel muito perigoso", disse ele. "Ele está de volta à antiga forma, e quando digo isso, não quero dizer um Gabriel unidimensional, onde é apenas um faixa-preta de Jiu-jitsu, ou quando ele só ficava tentando trocar com as pessoas. Ele veio com uma grande compreensão do jogo em pé, mas ele está voltando às suas raízes no jiu-jitsu e finalizando. Ele está usando sua trocação a fim de levar as pessoas para o chão. Ele faz com que os adversários respeitem sua trocação, depois leva para baixo e os finaliza. Isso é o que ele deveria estar fazendo há muito tempo. Essa é a graça do jogo; vai te forçando a buscar artimanhas e acho que ele é mais perigoso agora do que foi antes."    
  
Baseado nisso, Browne também está muito preparado para essa luta crucial, especialmente com a realização de muitas outras no peso pesado poderão impactar diretamente no vencedor deste sábado. "Hapa" admite ter olhado para todas as peças do quebra-cabeça antes de iniciar seu treinamento, mas, no momento, ele está focando na luta e vai retomar o jogo "E Se" na manhã de domingo.    
  
"Quando fiquei de molho, tentei jogar todos os 'E Se'", disse ele. "Mas agora, estou focado em Gabriel. Depois dessa luta, tudo isso depende de como jogam as cartas. Tem Pezão e (Cain) Velasquez; Overeem disse que vai estar pronto para lutar neste verão (nos EUA), por isso ele vai precisar de uma luta. Então você tem (Júnior) dos Santos contra (Mark) Hunt, e outras interessantes. Você tem (Cheick) Kongo contra Roy (Nelson) e (Rodrigo) Minotauro (Nogueira) contra (Fabrício) Werdum. Portanto, existem muitas lutas acontecendo em volta da minha, e acho que depende de como as coisas se desenrolam para determinar o meu próximo adversário."    



 

Watch Past Fights

Midia

Recente
Não foi apenas um saldo positivo para os lutadores brasileiros no UFC 177, mas também atuações sólidas, com Diego Ferreira e Bethe Pitbull aplicando dois nocautes. Amanda Salvato conversou com os dois após as grandes vitórias no card principal.
30/08/2014
Ouça Danny Castillo e Tony Ferguson após a batalha no UFC 177 que terminou com uma decisão dividida.
30/08/2014
O campeão peso galo T.J. Dillashaw e o desafiante Joe Soto comentam seus desempenhos na luta principal do UFC 177 com o comentarista Joe Rogan.
30/08/2014
T.J. Dillashaw fala de sua primeira defesa de cinturão UFC, Bethe Correia expressa seu desejo de lutar pelo título, e o que Dana achou de Joe Soto.
30/08/2014