Frank Mir: A espera por Barnett chegou ao fim

“Nós dois vamos colidir e será um momento para ser comentado. Esta não será uma luta que será esquecida. Se você assistir, você será parte da história.” - Frank Mir
Peso pesado do UFC - Frank MirO maior vencedor dos pesos pesados da história do UFC achou a fonte da juventude... em Albuquerque.

Após 12 anos de sucesso dentro do Octógono, ganhando o cinturão e o cinturão interino do UFC, Frank Mir decidiu que era hora de trocar seu camp de sua cidade natal para a Meca do MMA no Novo México. Seguindo sua derrota para Junior Cigano no UFC 146, Mir se juntou a melhor academia de lutas do mundo, Jackson-Winklejohn. O primeiro resultado do primeiro treinamento do nativo de Las Vegas foram na pesagem em abril antes da luta contra Daniel Cormier, mas na luta não foi o bastante para vencer, coisa que Mir não deixará acontecer de novo.

“Eu realmente não entendi o novo físico que tive”, admite Mir. “É como um piloto de carros entrando em um carro novo. As primeiras duas voltas você vai conhecendo o que você tem e o quanto pode acelerar.  Era algo desconhecido para mim. Agora, vindo deste camp significou que eu estava apto para pisar fundo para realmente ver quais eram minhas limitações.”

Mesmo com a derrota para Cormier por decisão no UFC Bendo x Melendez, Mir não se sentiu cansado no terceiro round como teria sentido normalmente, e ele parecia mostrar uma ofensiva com chutes no corpo nos últimos cinco minutos. “Acho que no passado eu limitei minhas habilidades com meu condicionamento físico”, diz Mir, que não começou a ação de novo contra Cormier por causa de uma mentalidade que tinham sobre ele perder o gás. “Nos últimos 12 anos de minha carreira tenho tido uma mentalidade de controlar o ritmo, antes eu precisava controlar. Se fosse somente um round de um minuto então eu poderia mostrar um monte de coisas boas mas sabendo que era mais do que aquilo acho que sempre me segurei por ficar cansado. Agora estando em boa forma, posso pressionar.”

O próximo para Mir e sua nova forma física, uma batalha contra um rival que os fãs estavam esperando para ver por quase toda a sua carreira. No UFC 164, na luta co-principal entre dois ex-campeões dos pesos pesados, Mir enfrenta Josh Barnett. Os dois especialistas em finalizações primeiro agraciaram o mesmo Octógono em Novembro de 2001 e continuaram entre os nomes da elite da divisão desde então. Com apenas dois anos de diferença entre os dois, os grapplers destruíram seus oponentes enquanto amadureceram como lutadores completos, com fãs rezando para que seus caminhos um dia se cruzassem.

“Eu sempre quis lutar com Josh Barnett”, afirma Mir. “Acho que temos estilos diferentes. Quando as pessoas falam sobre ‘submission’, nossos nomes são citados na mesma frase o tempo todo. Acho que é uma ótima luta. Acho que se esta é uma luta que tem que acontecer. E sempre quis me testar contra Josh. Ele é um ótimo grappler, um ótimo lutador de MMA, acho que ele irá para a história como um dos melhores lutadores de MMA de todos os tempos. Eu gosto de ter este tipo de caras na lista de caras que enfrentei. Eu na verdade liguei para o UFC e pedi esta luta. Quis ter certeza de que Josh não havia ficado de lado.”

Neste sábado no UFC 164 em Milwaukee, Winsconsin, dois dos melhores pesos pesados do esporte finalmente se encontrarão dentro do Octógono, quando Mir enfrentar Barnett. “Acho que minha luta com Josh pode entrar para a história”, afirma Mir, que queria esta luta desde seus 20 e poucos anos e agora, ele é um lutador melhor e está em melhor forma para isto. “Nós dois vamos colidir e será um momento para ser comentado. Esta não será uma luta que será esquecida. Se você assistir, você será parte da história.”

Watch Past Fights

Midia

Recente
Gleison Tibau comenta a vitória sobre o polonês Piotr Mallmann no UFC Brasília e emenda: 'Dana White, eu quero mais lutas ainda esse ano'. Veja o vídeo!
14/09/2014
Lutador bielorusso comenta que sabia que enfrentaria uma torcida a favor de Pezão, mas que espera ter deixado alguns fãs no Brasil. Veja o vídeo.
14/09/2014
Brasileiro venceu Efrain Escudero com golpe de jiu-jitsu no final da luta. 'Eu tinha que ganhar. No primeiro round dominei, me enrolei no segundo e ganhei no terceiro'.
13/09/2014
Lutador argentino diz que estava 'consciente e soltando golpes' contra Wendell Oliveira. 'Em nenhum momento achei que ele estava nocauteado', disse o hermano, que só conseguir ver o que exatamente aconteceu assistindo o vídeo após a vitória.
13/09/2014