Lombard promete retornar a velha forma na 2ª luta no UFC

"Vou te dizer uma coisa, se a luta for para decisão de novo, não quero ganhar a luta, vamos colocar deste jeito. Prefiro que tirem a vitória de mim se for para a decisão novamente." - Hector Lombard
UFC middleweight Hector LombardHector Lombard pode não estar pronto para ser listado como membro do Conselho de Turismo australiano, mas não há dúvidas que ele adora a terra que chama de lar há 12 anos e onde estará lutando pela primeira vez desde 2011 nesta noite contra Rousimar Toquinho.  

Então o que tem de bom na Austrália?  

"Você já esteve na Austrália antes?" Ele pergunta. "É legal né? Eu amo o país, e é por isto que fiquei."  

Nascido em Cuba, Lombard se orgulha em dizer que representa seu país adotivo, e vai precisar de todos os fãs o apoiando no Gold Coast Convention Centre para uma luta essencial que provavelmente determinará como 2013 vai se desenrolar para o ex-medalhista Olímpico de judô. Com uma vitória, ele entra direto em cena pelo título; uma derrota, e ficará com 0-2 no UFC, se questionando o que vem pela frente.
 
"Fiquei oito meses sem uma luta", disse Lombard, que teve problemas com seu contrato em outra organização antes de ser liberado para lutar no UFC. "Demorou muito tempo para eu voltar à jaula, fiquei ansioso para voltar. Era para eu ter lutado contra Brian Stann, então as coisas mudaram e lutei um mês antes. Mas a realidade é que gosto de lutar, não importa o que aconteça."  

E depois do sucesso que ele teve ao longo de sua carreira de 31 vitórias, duas derrotas, um empate e um 'No Contest', ele admite que parte do seu motivo em continuar com a luta tem a ver com a ideia de que não importa quem colocassem em sua frente, ele iria vencer.
  
"Fiquei meio arrogante e disse que não perderia, não importa o que acontecesse", comentou Lombard. "Mesmo que as coisas não estejam indo bem nos treinos, seria capaz de vencer Tim Boetsch. E paguei por isto. Paguei pela minha arrogância e percebi que você não pode subestimar ninguém."
  
Lombard perdeu uma decisão dividida após três rounds para Boetsch em Calgary, sua primeira derrota desde 2006. Mas enquanto uma decisão dividida às vezes abre espaço para dúvidas em lutas parelhas, este não foi o caso, fazendo o canhoto de 34 anos de idade se responsabilizar pela derrota e também por dar a voltar por cima depois disso. Então, enquanto ele ainda tem Ricardo Liborio da American Top Team em seu corner, uma viagem até a Austrália para treinar fez maravilhas para trazer seu estilo de volta.  

"Senti que tinha que fazer algumas mudanças nos treinos", disse Lombard. "Eu precisava fazer um treino mais amplo e não me concentrar somente em uma coisa. Tentei conseguir coisas de vários lugares, e esta viagem está me ajudando muito, treinando com pessoas diferentes e coisas assim, e tem sido uma benção para mim."  

Ele vai precisar estar com alta combustão em todos os cilindros contra Toquinho, o mestre brasileiro do leglock que está tentando reencontrar as vitórias depois de perder em maio para Alan Belcher

"Ele tem um jogo de chão escorregadio e vai tentar levar a luta para o chão."  

Então o que os fãs do UFC desiludidos pela primeira aparição de Lombard podem esperar em sua segunda viagem pelo Octógono?

"Um nocaute", ele disse. "Vou te dizer uma coisa, se a luta for para decisão de novo, não quero ganhar a luta, vamos colocar deste jeito. Prefiro que tirem a vitória de mim se for para a decisão novamente. Estou esperando um nocaute nesta luta e é isto que vai acontecer."   


Watch Past Fights

Midia

Recente
Assista a coletiva de imprensa pós-lutas, ao vivo, na sequência do evento.
02/09/2014
Assista à pesagem do UFC Fight Night: Jacare vs. Mousasiao vivo na quinta, 4 de setembro, às 19h.
02/09/2014
Ronaldo Jacaré sempre esteve determinado a entrar no UFC um dia. Descubra como ele conseguiu, e quais os obstáculos que enfrentou ao longo do caminho. Jacaré enfrenta Gegard Mousasi na luta principal do Fight Night Mashantucket.
02/09/2014
Não foi apenas um saldo positivo para os lutadores brasileiros no UFC 177, mas também atuações sólidas, com Diego Ferreira e Bethe Pitbull aplicando dois nocautes. Amanda Salvato conversou com os dois após as grandes vitórias no card principal.
30/08/2014