Nate Diaz não visualiza nada além de sábado à noite

"Eu não acho que a pessoa com o cinturão seja sempre o melhor do mundo. Há alguns caras na categoria que são melhores do mundo, e pode ser qualquer um de nós." - Nate Diaz
Number one lightweight contender Nate DiazNate Diaz está no ramo da luta tempo o suficiente para saber que você não conta o seu dinheiro antes dele estar na sua mão. Em outras palavras, ele não vai começar a pensar no quanto sua vida poderia mudar se fosse o campeão dos pesos leves do UFC até que ganhe o cinturão. Uma tarefa que ele terá contra Benson Henderson neste sábado na luta principal do UFC.  
  
"Tento não pensar muito nisso", disse Diaz. "Acho que o problema com muita gente é que eles usam a imaginação nas coisas e pensam apenas no lado positivo, tento visualizar as partes negativas para evitar que estas coisas aconteçam. Então não olho muito adiante."  
  
Particularmente, quando se trata do título, isso é algo que você nunca ouviu Diaz falar muito a respeito, pelo menos não comparado com os lutadores que fizeram disso uma obsessão, colocar o cinturão ao redor de sua cintura.  
  
"Eu não acho que a pessoa com o cinturão seja sempre o melhor do mundo", ele disse. "Há alguns caras na categoria que são melhores do mundo, e pode ser qualquer um de nós. Acho que timing tem muito a ver com quem está segurando o cinturão, e quem está tendo a melhor noite. Mas a parte mais importante de ter o cinturão seria que eu poderia promover muitas pessoas com quem treino, e mais pessoas iam ouvir se eu tivesse o cinturão. Então é algo importante ter o cinturão, mas ter o cinturão não te faz necessariamente o melhor do mundo."  
  
Outra coisa que deixa Diaz perplexo é que muitos dos seus colegas esquecem que quando a porta da jaula se fecha, é luta. Claro, tem regras, jurados e um árbitro, mas ainda é uma luta. Diaz nunca esqueceu isso, e gosta dessa atitude, que ele diz que vem depois que o contrato está assinado.  
  
"Eu sei que quando é hora de lutar, é hora de lutar desde que o contrato foi assinado", ele disse. "É uma luta, e para mim não é um evento esportivo, e não devia ser assim pra ninguém. Eles podem tentar fazer parecer como um evento esportivo o quanto quiserem, mas é uma luta. Então não vou fazer parecer que  seja um evento esportivo elegante; é uma luta e estamos em guerra, estou tentando vencê-lo como ele está tentando me vencer."  
  
Então quando o tempo passa e o treinamento acaba, cabe a Diaz trazer todos os seus anos de trabalho duro e conhecimento para fazer uma das melhores lutas de sua carreira. Pode ser sua primeira disputa pelo cinturão do UFC, mas ele não é nenhum novato quando se trata de grandes lutas. Tendo competido e também estado lado a lado quando seu irmão mais velho Nick fez as suas.  
  
"Já vi conselhos virem dele sem que ele estivesse tentando dar um, porque estive sempre ali com ele e já vi tudo acontecer", disse Diaz. "Já estive em grandes lutas, mas sim, ele já esteve em algumas lutas pelo cinturão e tenho conhecimento do que acontece por trás disso, então já sei o que me espera."  

Watch Past Fights

Midia

Recente
Confira como foi o desempenho dos brasileiros no UFC 184 e as notícias mais importantes da última semana, além de responder nosso quiz - quantas disputas de cinturão Ronda Rousey tem no UFC: três, oito ou cinco?
04/03/2015
Matt Parrino e Forrest Griffin analisam o que de melhor aconteceu no UFC 184, e comentam as mudanças nos rankings pós-evento.
O campeão dos leves do Ultimate escapou de uma guilhotina e obrigou seu adversário a dar os três tapinhas com um belíssimo triângulo, no extinto WEC. Pettis colocará seu cinturão em jogo contra o brasileiro Rafael dos Anjos no UFC 185, em 14 de março.
03/03/2015
O iraniano não deu chances ao seu adversário e encaixou uma finalização precisa no UFC Tulsa. Beneil Dariush volta ao octógono em 14 de março, quando mede forças com o norte-americano Daron Cruickshank.
03/03/2015