O que ficou do Fight Night Albuquerque

Fatos e destaques na noite de combates nos Estados Unidos


Boas lutas marcaram mais uma edição do Fight Night de sábado à noite, em Albuquerque, Estados Unidos. Como sempre, análise livre sobre principais fatos e considerações da noite a seguir.


Quem com ferro fere...

É redundante dizer que no MMA moderno qualquer detalhe faz a diferença. A luta Ben Henderson x Rustam Khabilov foi prova disso, e trouxe outra lição: qualquer detalhe faz a diferença, se você estiver sempre apto a usá-lo.

Vindo da escola russa e lapidado pelo renomado técnico Greg Jackson, Khabilov não foge à regra do jogo físico da maioria dos lutadores de seu país. E foi assim que partiu para cima do adversário desde o início do combate. Mestre em construir resultados, Henderson teve habilidade suficiente para redesenhar desvantagens e se manteve um iceberg frente ao ímpeto inicial de Khabilov.

Aos poucos, o norte-americano conduziu o adversário a cair nos perigos da tática longa, a armadilha que mais gosta de usar no octógono. No intervalo do segundo para o terceiro assalto, Khabilov estava com meio palmo de língua de fora. Bendo então capitalizou a performance em cima do cansaço do russo, o atraiu para o centro do octógono, acertou duas ‘bombas’ no queixo para em seguida  executar um mata-leão e conseguir a primeira finalização pelo UFC. O ‘Menino Lobo’ é um dos caras mais regulares do esporte nos últimos anos. E (sempre) merece respeito.

Azedo

Você não precisa ser um especialista em MMA para perceber que Ross Pearson acertou mais Diego Sanchez no combate ao melhor estilo ‘mão que vem, mão que vai’ da dupla em Albuquerque. Mais preciso e metódico no boxe, Pearson combateu de frente o estilo brigador e de pouca tática (de sempre) de Sanchez. O desafio teve alguns momentos que levantariam a margem de interpretação. Mas o domínio do europeu foi mais nítido.

Se você gosta de números, vamos lá: Pearson acertou 51 golpes significativos contra 33 do adversário. Mas quem teve o braço levantado após a decisão dividida foi Sanchez.  Mais uma vez, a polêmica massiva das decisões remexidas foi imediata. Eric Del Fierro, treinador do lutador britânico, afirmou que vai processar a Comissão Atlética do Novo México, entidade responsável pela arbitragem do Fight Night da vez. Teve árbitro que cravou 30-27 favorável a Sanchez.

Mosca explosiva

A categoria mosca geralmente causa estranheza em muitos pela falta de poder de nocaute dos atletas. Acho a divisão a que melhor traduz um dos pontos mais difíceis de serem dominados no MMA: o das transições da luta. 

Pois bem. John Dodson encarou John Moraga em Albuquerque. No fim do segundo assalto, Dodson mandou uma joelhada em cheio no nariz do adversário. A luta foi ao intervalo e Moraga não pôde mais continuar. 

Moral da história: Dodson segue como o mosca mais explosivo do Ultimate, e, pelo menos no merecimento, merece outra chance de cinturão imediata.

Se tudo correr dentro dos conformes, o norte-americano não deve esperar muito para saber o oponente. Campeão da categoria, Demetrious Jonhson coloca o título em jogo contra Ali Bagautinov no UFC 174 do próximo sábado.

Reaceso

Rafael dos Anjos mais uma vez mostrou que seu jogo evolui a passos largos. Antes conhecido pelo jiu-jitsu de alto nível, agregou habilidades sólidas em pé e se tornou um striker de respeito. Contra Jason High, mostrou o que faltou frente a Nurmagomedov:  um senso de equilíbrio coeso entre as habilidades.

O carioca, que treina na Kings MMA, engoliu duas quedas logo no primeiro assalto. No seguinte, aproveitou uma bobeira do adversário e mandou um diretaço de esquerda que garantiu o nocaute técnico. 

O resultado foi providencial para reacender Dos Anjos na categoria. Ele vinha de derrota para o russo Khabib Nurmagomedov, que brecou sequência de cinco seguidas. Resta saber agora se um ou dois combates contra oponentes com mais nome na divisão abreviarão passos e acabarão com a sina de ‘bater na trave’ quando a sonhada chance de cinturão parece mais próxima.

Quais outros destaques vocês gostariam de comentar? Opiniões abaixo!

Midia

Recente
Três disputas de cinturão, seis ex-campeões do UFC em ação, três vencedores do TUF e muito mais. O UFC 200 será o maior evento de todos os tempos e acontecerá no dia 9 de julho, em Las Vegas.
29/06/2016
Último campeão peso-pena do WEC, José Aldo estreou no octógono defendendo o título inédito do UFC contra Mark Hominick, em 2011. O brasileiro encara Frankie Edgar em duelo pelo cinturão interino no dia 9 de julho, no UFC 200.
20/01/2014
Em busca da segunda vitória consecutiva, Thiago Tavares encara o sul-coreano Doo Ho Choi no dia 8 de julho no TUF Finale: Team Joanna x Team Claudia, segundo evento da International Fight Week.
29/06/2016
Uma parceria entre o UFC e um dos mais famosos rappers brasileiros acabou em música. Confere aí o resultado...
29/06/2016