Reapresentando Nate Marquardt

"Posso enfrentar muito mais e estou mais dinâmico, e acho que verão isso. Então isto fará com que a luta seja muito mais interessante."  - Nate Marquardt
UFC welterweight Nate Marquardt
Antes da luta de Nate Marquardt este fim de semana contra Jake Ellenberger no UFC 158, ele foi derrotado por  Tarec Saffiedine pelo título  
meio-médio do Strikeforce. Disputa essa onde Marquardt sofreu uma série que parecia infinita de chutes nas pernas. A derrota veio quase seis meses após uma estreia espetacular nos 77 kgs de Marquardt, que nocauteou o então invicto Tyron Woodley para ganhar aquele cinturão.   
  
E apesar da derrota para Saffiedine arder - literalmente - quando Rory MacDonald foi forçado a sair da co-luta principal do UFC 158 contra Carlos Condit e Johny Hendricks foi movido para ocupar este lugar, deixando Jake Ellenberger sem um oponente, Marquardt recebeu uma ligação para entrar na vaga, e aceitou.  
  
"Acho que a única hesitação foi por não saber se seria a escolha certa aceitar uma luta contra um cara de alto nível em cima da hora", ele disse. "Era com isso que me preocupava mais, e sinto que fiz a escolha certa, especialmente agora que sinto que estou onde tenho que estar."  
  
É uma luta que pode muito bem roubar o show no Bell Centre em Montreal. Ellenberger tem o poder de nocaute nas mãos, e Marquardt pode dizer a mesma coisa. E sim, Marquardt está ciente que pode ver um chute nas pernas ou dois - ou 20 - no dia da luta.  
  
"Ah, definitivamente", ele disse. "Então não ficarei surpreso quando ele soltar alguns chutes fortes. Fugi deste estilo de treino por um tempo na minha carreira e não foi a melhor coisa a se fazer, especialmente lutando com um cara como Tarec."  
  
Depois do fim da conversa sobre chutes, Marquardt está ciente que Ellenberger tem muitas armas para trazer ao Octógono, seja em pé ou no chão.   
  
"Ele é um cara duro, forte, é poderoso, bate forte, é bem completo, e não existe um plano de jogo fácil contra ele, como se pudesse simplesmente levá-lo para o chão ou trocar com ele", ele disse. "Eu tenho que lutar com ele a cada segundo da luta, e tenho que encontrar meus pontos certos para vencê-lo."  
  
A luta será a primeira de Marquardt com 33 anos desde que venceu Dan Miller no UFC 128 em Março de 2011. Isto quando ele era um competidor da categoria peso médio que encarou os melhores da divisão, incluindo   
Anderson Silva, Chael Sonnen, Demian Maia, e Yushin Okami.  
Mas na luta contra Woodley, ele estava ainda melhor nos 77 kgs, e ele concorda, enquanto espera se reapresentar aos fãs do UFC como um Marquardt mais enxuto e mais maldoso.  
  
"Com certeza me sinto um melhor atleta nos 77 kgs", ele disse. "Acredito que as pessoas verão que ainda tenho o mesmo poder explosivo de nocaute, mas posso enfrentar muito mais e estou mais dinâmico, e acho que verão isso. Então isto fará com que a luta seja muito mais interessante."  


Watch Past Fights

Sábado, Setembro 3
12H30
BRST
Hamburgo, Alemanha

Midia

Recente
Confira como foi a pesagem e as entrevistas das principais estrelas do evento do UFC Vancouver. Assista o evento ao vivo e com exclusividade neste sábado (27), no Canal Combate, a partir das 16h50.
27/08/2016
UFC Fight Night Weigh-in at Rogers Arena on August 26, 2016 in Vancouver, British Columbia, Canada. (Photos by Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
26/08/2016
Brasileiro analisou a sua preparação e fez previsões para o duelo contra Anthony Pettis na segunda luta mais importante do UFC Vancouver, nesse sábado (27).
26/08/2016
Demian Maia fala um pouco da sua rotina fora do octógono, a relação com o jiu-jítsu, o sonho do cinturão e analisa o duelo contra o norte-americano Carlos Condit, nesse sábado (27), na luta principal do UFC Vancouver.
26/08/2016