Ross Pearson - Mais do que motivado para Sotiropoulous e seu retorno aos 70.3kgs

UFC lightweight Ross Pearson
Bruce Banner, que tem Hulk como seu alter-ego, pode fazer jus à frase "não me deixe bravo, você não vai gostar de mim quando fico bravo", mas Ross Pearson pode botar a frase em prática para valer na sexta à noite, quando encontrar seu treinador rival do TUF Smashes - George Sotiropoulos - na luta principal do UFC na Golden Coast, Austrália.  
  
"Estou sentindo aquela energia para fazer uma grande apresentação", disse Pearson. "Acho que é porque é uma luta de verdade para mim, e não nos damos bem, isso fará com que a luta seja melhor para mim. Me sinto melhor quando sinto que é de verdade. Isto poderia ter acontecido em  qualquer lugar. Esta é uma grande luta e é quando eu brilho. Quando lutei contra Edson Barboza no Brasil (Em agosto de 2011), fiquei contra a parede contra o melhor novato brasileiro, e simplesmente fui lá e lutei. E é exatamente isto que pretendo fazer contra George quando estiver na sua terra."   
  
Provavelmente não é o que você esperava ouvir do "The Real Deal" quando foi anunciado que ele seria o treinador contra Sotiropoulos na primeira edição do TUF na Austrália, mas assim que o britânico e o australiano se encontraram, a coisa esquentou bem rápido.  
  
"Posso dizer que fiquei um pouco surpreso pelo jeito como George se comportou no reality. Nunca tive contato com ele antes. Nunca tive um relacionamento com ele ou algo assim, então estava indo lá de boa, sabendo somente o que havia visto em suas lutas do UFC. Então fui respeitoso. Sabia que George era um grande oponente e dei todo o respeito do mundo. Mas quanto mais passávamos tempo um com o outro, mais eu descobria quem o George é de verdade."  
  
A luta marca o regresso do britânico na divisão peso leve, uma que mudou um pouco desde a última vez que Pearson esteve lá, com Benson Henderson agora dominando a categoria depois de vencer Frankie Edgar em fevereiro. Mas uma coisa que não mudou foi o nível de talento até 70.3kg, e do modo que Pearson vê, nenhuma outra classe de peso se compara quando se trata de lutadores de nível top.  
  
"É uma divisão cheia, com muitos caras bons em todas as áreas e existem várias grandes lutas que posso me aproximar, e me encaixo bem em qualquer uma delas. Sempre estou disposto a lutar e sempre disposto a arriscar. Quero as grandes lutas, grandes nomes, grandes oponentes, e é a minha hora de perseguir isso."  
  
É um retorno bem vindo, ganhando ou perdendo, o cara de 28 anos de Sunderland sempre faz lutas com ação do jeito que os fãs gostam. E mesmo navegando entre um caminho difícil em sua sábia carreira, 2-3 em suas últimas cinco lutas, o retorno de Pearson para o TUF, desta vez como treinador (onde colocou três membros de seu time em quatro posições de finalistas) o impulsionou e mostrou aonde ele chegou desde que ingresso no UFC em 2009. Mas ele não para por aí ainda.  
  
"Quando eu estava treinando os caras e vendo como eles estavam, me lembrou de onde eu estava há alguns anos e onde estou agora, e vi o quanto progredi neste esporte e o quão longe eu ainda posso ir," ele disse. "Tudo que fiz neste esporte me trouxe até aqui, então trabalhei naquilo que irá me levar ainda mais longe, e isto me motivou ainda mais porque sei aonde posso ir neste esporte e o potencial que tenho."  



Watch Past Fights

Sábado, Outubro 25
23h
BRT
Rio de Janeiro, Brazil

Midia

Recente
Os jornalistas Davi Correia (UFC.com.br), Guilherme Cruz (MMAFighting) , e Ivan Raupp (Combate.com), conversam sobre o card principal do UFC 179, no Rio de Janeiro. O brasileiro é favorito, mas precisa tomar cuidado com o jogo de wrestling de Chad Mendes.
23/10/2014
Fotos da pesagem do UFC 179 no Ginásio do Maracanãzinho em 24 de outubro, 2014 no Rio de Janeiro (Fotos de Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
24/10/2014
Confira os melhores momentos dos lutadores na balança. O campeão José Aldo garantiu que vencerá Chad Mendes, nos penas. "Esse cinturão vai continuar no Brasil.
24/10/2014
Enquanto Aldo e Chad treinavam no Rio para o UFC 179, Conor McGregor desembarcava na cidade com a língua afiada. Na saída do aeroporto, pediu se o motorista não o levaria até a favela do José e mandou dizer que irá tomar o cinturão do brasileiro.
24/10/2014