Roy Nelson - Um nocauteador em evolução

"Você nunca deve cutucar o urso. Você pode ser mordido." - Roy Nelson
UFC heavyweight Roy Nelson
O competidor peso pesado Roy Nelson é faixa preta de Jiu-jitsu de Renzo Gracie, mas seria difícil achar qualquer evidência disso olhando para o seu cartel no UFC: quatro vitórias, quatro nocautes.  
  
Mesmo em suas derrotas para Junior Cigano, Frank Mir e Fabrício Werdum, o jogo de chão ficou em segundo plano, talvez em terceiro para "Big Country", que não dá desculpas pelo seu desejo de ficar em pé e acabar a luta assim.  
  
"Todos adoram um nocaute, o negócio é que, nos pesos pesados, os fãs não gostam tanto do jogo de chão, e o UFC é com certeza um esporte de popularidade, então ser uma pessoa popular ajuda. O único momento em que permitem que você seja o cara que simplesmente venceu, é quando você tem o cinturão, todo mundo adora um vencedor."  
  
É difícil competir com esta lógica, e neste momento, ninguém está reclamando quando se trata de uma luta envolvendo Roy Nelson. Ele nocauteando caras como Dave Herman, Mirko Cro Cop, Stefan Struve, Brendan Schaub, ou exibindo seu queixo de granito que está começando a desenvolver proporções míticas contra o trio mencionado que o derrotou no Octógono, Nelson manteve as coisas interessantes para os seus fãs, mesmo que sua esperada luta esta noite contra seu treinador rival no The Ultimate Fighter 16, Shane Carwin, tenha caído devido a uma lesão. Entrou outro trocador - Matt Mitrione - para preencher o lugar na luta principal.  
  
"Tínhamos feito apostas sobre Shane sair da luta", disse Frank Nelson. "E definitivamente ganhei essa aposta."  
  
A troca forçou Nelson a fazer alguns ajustes no seu jogo, já que Carwin e Mittrione são lutadores diferentes em seus estilos, mas além das frases incendiárias, e o trio de barriga, barba e mullet, existe um lutador que parece gostar do enigma do MMA. E é este aspecto que o manteve relevante no esporte.  
  
"Acho que a coisa mais importante com meus colegas de categoria de peso é a evolução", disse Nelson, com oito anos de carreira profissional. "Acho que em cada luta fico melhor, enquanto muitos lutadores ficam estagnados. Uma derrota o fará melhor, às vezes uma vitória faz você andar para trás, dependendo de como você venceu."   
  
Nelson se tornou pai recentemente, e tem coisas que ocuparão sua mente e seus dias, mas apesar das responsabilidades extras, ele se mantém fiel a sua filosofia inicial sobre a parte de luta do esporte.  
  
"Uma coisa que sempre fui muito bom foi em me cercar de pessoas que ou sabem tanto quanto ou mais do que eu", ele disse. "Não me importo se você é um cara que acabou de começar, mas se vejo algo diferente e vejo que está funcionando, vou perguntar. É como Bruce Lee, pegue o que funciona, e jogue fora o que não funciona."  
  
Esta noite, ele verá o que funciona contra Matt Mittrione, um ex-colega na temporada do TUF 10, que ele diz "nem estava no meu radar, mas agora ele está porque ele pediu a luta. Se você vai pedir uma luta, é bom estar disposto a aceitar o desafio."  
  
São más notícias, hein?  
  
"Você nunca deve cutucar o urso", disse Nelson. "Você pode ser mordido."  

Watch Past Fights

Sábado, Agosto 27
16H50
BRST
Vancouver, Canadá

Midia

Recente
Confira como foi a pesagem e as entrevistas das principais estrelas do evento do UFC Vancouver. Assista o evento ao vivo e com exclusividade neste sábado (27), no Canal Combate, a partir das 16h50.
27/08/2016
UFC Fight Night Weigh-in at Rogers Arena on August 26, 2016 in Vancouver, British Columbia, Canada. (Photos by Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
26/08/2016
Brasileiro analisou a sua preparação e fez previsões para o duelo contra Anthony Pettis na segunda luta mais importante do UFC Vancouver, nesse sábado (27).
26/08/2016
Demian Maia fala um pouco da sua rotina fora do octógono, a relação com o jiu-jítsu, o sonho do cinturão e analisa o duelo contra o norte-americano Carlos Condit, nesse sábado (27), na luta principal do UFC Vancouver.
26/08/2016