Top 10: Melhores lutadores não rankeados no UFC

É difícil acreditar que estes nomes não estão entre os 15 melhores de suas divisões

Se você é como eu - e já que você está lendo um artigo meu no site do UFC, acho que temos algo em comum - você provavelmente já se pegou pensando em como um determinado lutador não está ranqueado em sua respectiva divisão.

Isso aconteceu comigo há duas semanas, quando Kevin Lee subiu ao octógono para enfrentar Francisco Massaranduba vindo de três vitórias consecutivas e de sete triunfos em suas oito lutas após a estreia no Ultimate com derrota para Al Iaquinta.

E é claro que pensar em um lutador é geralmente o começo de uma aventura para tentar desvendar porque um atleta está ranqueado e outro não, mesmo quando o primeiro venceu o segundo, como Leo Santos, que já superou Lee e está 5-0-1 no octógono, mas será apenas uma menção honrosa nesta lista dos maiores talentos não rankeados no plantel do UFC.

Veja também: Rankings completos de todas as divisões | Confira o calendário do UFC em 2017

Não, eu não vou citar nomes como Georges St-Pierre, Nick Diaz e Cris Cyborg aqui, apesar de, neste momento, nenhum deles estar listado nos rankings por diferentes motivos.

Mas lembre-se: exercícios como este são subjetivos e pessoais, então minha lista pode não parecer com a sua, simplesmente porque esta é a minha; deixe a sua na área de comentários para que possamos comparar depois.

Este é o Top 10: melhores lutadores não rankeados no UFC.

(Nota: os atletas estão listados por divisão e não por hierarquia)

Angela Hill

Às vezes as pessoas deixam que os resultados e os carteis tenham muita importância na sua opinião sobre os lutadores, e Hill não estar no ranking peso-palha é um caso desses.

Apesar de estar apenas 1-3 no octógono, suas duas primeiras derrotas vieram contra oponentes Top 5 enquanto ela fazia suas terceira e quarta lutas na carreira, enquanto o revés mais recente foi para a mulher que está escalada para disputar o cinturão da divisão no UFC 2011, Jessica Andrade. No meio do caminho, Angela venceu quatro lutas consecutivas, se tornou campeã do Invicta FC e defendeu o cinturão antes de ser chamada de volta para o Ultimate.

Devido à qualidade das oponentes que ela enfrentou, a ex-participante do TUF 20 deveria estar entre as 15 melhores atletas da categoria.

Lauren Murphy

Outra lutadora com cartel de 1-3 no octógono e um título do Invicta no currículo, Murphy poderia estar 4-0 no UFC sem muito esforço, já que cada uma de saus três derrotas foram em decisões de lutas muito apertadas para Sara McMann, Liz Carmouche e Katlyn Chookagian.

Em cada uma destas lutas um dos jurados pontuou 29-28, o que significa que um ponto de vista diferente ou um foco nos danos causados ao invés das posições conquistadas poderia virar a luta em favor de Lauren. Se isso tivesse acontecido, a situação de Murphy com os rankings seria completamente diferente.

No momento, ela está fora do Top 15, mas continua sendo uma adversária temida para qualquer uma na divisão, e capaz de entrar no ranking a qualquer momento.

Magomed Bibulatov

Apesar de eu não ter listado GSP, Diaz e Cyborg, a adição de Bibulatov a esta lista é uma pequena contradição já que o peso-mosca de 28 anos ainda não competiu no UFC.

Mas eis meu ponto: eu assisto muitas lutas e garanto que Bibulatov é um dos 15 melhores pesos-mosca no plantel. Confiem em mim.

O ex-campeão do World Series of Fighting vai estrear no UFC 210 contra Jenel Lausa e, apesar de não ser um confronto que fará alguém sentar e analisar, uma vitória aumenta para 14-0 o cartel de Bibulatov e, devido à situação da categoria peso-mosca, não deve demorar muito para que o “Gladiador” mostre que valeu a pena incluí-lo nesta lista.

Brett Johns

Primeiro galês a vencer no UFC, Johns está invicto em 13 lutas e deve ter um longo futuro na divisão peso-galo; ele apenas não teve a oportunidade de provar isso ainda.

Escalado para competir em Londres no último final de semana, o ex-campeão do Titan FC foi retirado do card no sábado de manhã devido a um problema de saúde com seu adversário Ian Entwistle. A luta contra o especialista em chaves de perna seria a segunda aparição de Johns no octógono, mas, com os planos frustrados, só resta esperar que ele volte à ação em um futuro breve.

Com bom tamanho para a divisão e muito forte na luta agarrada, Brett pode aparecer em breve no ranking dos galos.

Andre Fili

O talento da Team Alpha Male é uma vítima do excesso de talentos na divisão dos penas, porque após entrar de última hora e dominar Hacran Dias - que era o 11º no ranking na ocasião - Fili deveria ter sido incluído no Top 15, mas quem você tiraria?

Outro problema para Fili é  a natureza de “o que você tem feito ultimamente” dos rankings, onde as performances recentes tendem a pesar mais que o mérito geral quando os votos são contados.

Tendo dito isso, uma volta à ação contra um oponente consolidado e mais uma boa vitória devem dar ao atleta de 26 anos a chance de entrar na lista.

Will Brooks

Para ser sincero, eu poderia ter feito toda essa lista com pesos-leves, porque a divisão está repleta de talentos atualmente.

Brooks é um dos caras que estão batendo à porta e acaba de ser tirado do ranking já que outros atletas competiram mais recentemente. Depois de fraturar uma costela e ser derrotado por Alex Cowboy, Will volta à ação no próximo mês em Buffalo contra Charles do Bronx em outra luta que será um legítimo teste para o atleta da American Top Team.

Se ele conseguir uma vitória dominante contra o sempre duro Do Bronx, ele poderá voltar ao Top 15, a não ser que outros pesos-leves abaixo dele o superem.

Rustam Khabilov

Há cerca de dois anos, Khabilov estava no Top 10 e as pessoas já estavam se perguntando se ele seguiria o caminho de Khabib Nurmagomedov rumo ao topo dos rankings.

Ele lutou uma vez em 2014 e uma vez em 2015, perdendo ambas, o que o colocou na sombra em uma divisão muito competitiva. Entretanto, no ano passado, Khabilov voltou a aparecer regularmente no octógono e somou quatro vitórias, deixando-o ao lado de Brooks na porta do Top 15.

Eu diria que uma ou duas vitórias o colocam de volta nos rankings, mas Francisco Massaranduba precisou de sete triunfos seguidos para entrar na lista, então quem sabe? O que eu sei é que não me surpreenderia ver Khabilov atropelando mais alguns adversários em 2017 e deixando as pessoas pensarem “por que esquecemos dele?”.

Jim Miller

Para ser muito sincero, ver Jim Miller de fora dos rankings dos pesos-leves é de dar risada.

Este é um cara que está no UFC há mais de nove anos e lutou contra os caras mais duros do mundo, e apesar de ter sido derrotado algumas vezes, a totalidade de seu currículo deixa bem claro que ele é um dos melhores pesos-leves do mundo.

O engraçado é que mesmo se Miller não entrar pelo mérito de sua carreira no geral, sua campanha em 2016 terminou com uma sequência de três vitórias seguidas que foi parada apenas em equilibrada luta contra Dustin Poirier, o atual 9º colocado no ranking.

Alex Oliveira

O “Cowboy” brasileiro é um caso difícil de julgar porque ele tem transitado entre os pesos leve e meio-médio ao longo de sua carreira no UFC e isso dificulta achar um lugar para ele nos rankings.

Tendo dito isso, ele parece ter feito dos meio-médios seu lar, está 6-2 com uma luta sem resultado em nove aparições pelo UFC e, além da derrota em luta que ele pegou em cima da hora na sua estreia, o único homem que o parou foi Donald Cerrone.

Oliveira esteve magnífico contra Tim Means há duas semanas no Brasil e tem potencial para se tornar um nome relevante na divisão dos meio-médios. O confronto certo e uma boa performance podem colocar o Cowboy no Top 15 muito em breve.

Dan Kelly

Com um cartel de 6-1 no UFC e quatro vitórias consecutivas, não sei o que mais Kelly precisa para conquistar um lugar no Top 15.

Não há muita coisa que salte aos olhos no estilo do ex-judoca olímpico, e isso sendo generoso, mas é difícil discutir com seus resultados e, no fim das contas, os rankings deveriam ser um reflexo da performance, não da popularidade, e Kelly tem tido somente resultados positivos ultimamente.

Aqui vai uma pergunta: se Rashad Evans tivesse vencido o australiano no UFC 209, o ex-campeão meio-pesado não teria conquistado um lugar no Top 15 entre os médios?

Meu palpite é de que ele teria, e isso torna a exclusão de Kelly ainda mais triste.
Sábado, Abril 8
Buffalo, Nova York

Midia

Recente
Relembre a vitória de Georges St-Pierre sobre Dan Hardy no UFC 111, em 27 de março de 2010.
29/03/2017
Relembre a vitória de Gegard Mousasi sobre o brasileiro Thiago Marreta no UFC 200, em julho de 2016. O holandês volta ao octógono em 8 de abril para enfrentar o ex-campeão Chris Weidman no UFC 210.
27/03/2017
Relembre nocaute espetacular de Anthony Johnson em Ryan Bader no UFC New Jersey, em 2016. 'Rumble' encara o campeão dos meio-pesados Daniel Cormier na luta principal do UFC 210, no dia 8 de abril.
22/03/2017
Relembre vitória de Daniel Cormier sobre Dan Henderson no UFC 173, em maio de 2014. 'DC' defende o cinturão dos meio-pesados contra Anthony Johnson na luta principal do UFC 210, no dia 8 de abril.
27/03/2017