Brasil Soberano! Show no card principal do UFC 156

José Aldo assegura o cinturão diante de Frankie Edgar, enquanto Minotouro, Pezão e Demian Maia fazem bonito
 
LAS VEGAS - Nevada, uma noite para a torcida brasileira comemorar, não apenas a que assistia pela TV, no Brasil, mas os milhares de tupiniquins que ajudaram a lotar o Mandalay Bay Arena, em Las Vegas. O UFC 156, neste sábado, contou com cinco lutadores brasileiros em ação e desses apenas um saiu derrotado. O aproveitamento no card principal foi de 100%.

Na principal luta da noite, Jose Aldo teve pela frente o adversário mais duro de toda a carreira, Frankie Edgar, ex-campeão peso leve, que descera de categoria para tentar tomar o cinturão do brazuca. Nos três primeiros rounds, Aldo conectou bons socos em linha e usou bem os chutes. Os golpes minaram Edgar, que, sem encontrar a distância correta, teve o rosto e pernas castigados. Dono de um preparo físico invejável, Edgar buscou reverter o placar nas últimas duas etapas, quando conseguiu uma queda e partiu mais para cima. Porém o americano não teve êxito e a vitória foi por decisão unânime para José Aldo. O representante da Nova União, que não sabe o que é perder há sete anos, defendeu pela quarta vez seu título no UFC. É sua 15ª vitória seguida.
 
“O Edgar é um grande lutador e sabia que contra ele teria que trabalhar round a round. Ele tem o queixo duro, tinha que ter paciência. Sabia que ele esperava os meus chutes para me derrubar”, comentou Aldo, que dedicou a vitória a todas as vítimas do incêndio em Santa Maria. 

Na segunda luta principal, Rogério Minotouro parecia como azarão contra o ex-campeão meio-pesado Rashad Evans. Entretanto, depois do primeiro assalto parelho, o brasileiro passou a comandar as ações, com boas trocas de socos e abafando as tentativas de queda de Evans. Ao fim dos três assaltos, vitória para Minotouro por decisão unânime, a segunda seguida contra um ex-campeão – na anterior ele bateu Tito Ortiz por TKO no UFC 140. Já Rashad, que pedia uma luta contra Anderson Silva, chega ao segundo revés seguido. 

Se Minotouro era zebra contra Rashad, Antônio "Pezão" Silva também não era considerado favorito contra Alistair Overeem, que voltava após mais de um ano afastado, suspenso por doping. E a situação não vinha boa para o peso pesado brasileiro, que levou a pior nos dois primeiros rounds, seja na trocação ou nas quedas. Inflamado pelas provocações de Overeem, Pezão veio com tudo na terceira parcial e, depois de um chute alto e uma sequência de socos avassaladora, chegou ao surpreendente nocaute. É a segunda vitória consecutiva do Pé Grande Brasileiro por nocaute no UFC e, agora, o representante da Paraíba fica próximo da disputa pelo cinturão, hoje com Cain Velasquez. 

“Quero agradecer a todos no Brasil, na Paraíba. Ele falou muita coisa, mas luta se vence dentro do cage. Acreditei em mim e nos meus treinadores. Fiz ele me respeitar”, desabafou Pezão. 

Desde que descera para o peso meio-médio, Demian Maia já havia conseguido duas boas vitórias. Mas, dessa vez, Demian tinha o perigoso Jon Fitch pela frente, embalado por um triunfo contra Erick Silva, em batalha vencida na casa do adversário (UFC Rio 3). A moral de Fitch estava alta, mas Demian voltou a usar a sua principal habilidade: a luta agarrada. O brasileiro conseguiu boas quedas nos três rounds, sempre buscando estrangular das costas do oponente. A finalização não veio, mas o desempenho valeu a decisão unânime a favor do brasileiro. 

A única derrota verde e amarela em toda a noite ocorreu na última preliminar. Depois de começar bem, Gleison Tibau passou a ter problemas contra Evan Dunham, que foi melhor no segundo e terceiro assalto. A vitória de Dunham foi por decisão dividida em luta que o americano mostrou ser mais rápido.
 
“Achei que a luta estava para mim, estava relaxado, mas ele conseguiu me roubar essa vitória. Foi duro para um e para outro, mas ele foi melhor no último round”, lamentou Tibau, em entrevista ao canal Combate. 

Confira todos os resultados:  
José Aldo venceu Frankie Edgar por decisão unânime
Rogério Minotouro venceu Rashad Evans por decisão unânime
Antonio Pezão venceu Alistair Overeem por KO aos 25s do R3
Demian Maia venceu Jon Fitch por decisão unânime
Joseph Benavidez venceu Ian MacCall por decisão unânime
Evan Dunham venceu Gleison Tibau por decisão dividida
Tyron Woodley venceu Jay Hieron por KO aos 36s do R1
Bobby Green finalizou Jacob Volkmann com um mata-leão aos 4min25s do R2  
Isaac Vallie-Flagg venceu Yves Edwards por decisão dividida
Dustin Kimura finalizou Chico Camuscom um mata-leão a 1min50s do R1
Francisco Rivera venceu Edwin Figueroa por TKO aos 4min20s do R2

Midia

Recente
Não foi apenas um saldo positivo para os lutadores brasileiros no UFC 177, mas também atuações sólidas, com Diego Ferreira e Bethe Pitbull aplicando dois nocautes. Amanda Salvato conversou com os dois após as grandes vitórias no card principal.
30/08/2014
Ouça Danny Castillo e Tony Ferguson após a batalha no UFC 177 que terminou com uma decisão dividida.
30/08/2014
O campeão peso galo T.J. Dillashaw e o desafiante Joe Soto comentam seus desempenhos na luta principal do UFC 177 com o comentarista Joe Rogan.
30/08/2014
T.J. Dillashaw fala de sua primeira defesa de cinturão UFC, Bethe Correia expressa seu desejo de lutar pelo título, e o que Dana achou de Joe Soto.
30/08/2014