Bem vindo ao lar, Demian Maia

"O MMA no Brasil mudou muito desde aquela época.É incrível o nível em que o esporte chegou aqui." - Demian Maia  
UFC welterweight Demian MaiaNão existem lutas fáceis no UFC, o meio-médio Demian Maia vai ser o primeiro a concordar com esta afirmação, mas sem dúvidas quando ele encontrar Rick Story no card principal do UFC Rio 3 neste sábado á noite, vai ser bem mais fácil do que da última vez em que lutou no Brasil em 2006.  

Naquela noite, em 7 de Outubro de 2006, Maia não lutou somente uma vez. Ele lutou três, ganhando o torneio Super Challenge com vitórias sobre Katel Kubis, Gustavo "Ximú" Machado e Fabio Nascimento. É a velha guarda do MMA bem aqui.
 
"Eu me lembro muito bem, e foi um grande momento na minha carreira naquela época", disse Demian. O Super Challenge foi um torneio a moda antiga, com 8 dos melhores lutadores peso médio no Brasil, e eu era o grande azarão, tinha pouca experiência no MMA e tinha muitos veteranos com bom striking como "Ximu" Machado, Fabio, Katel, Alexandre "Cacareco" Ferreira e outros. Fiz meu trabalho de casa e consegui ganhar as três lutas e voltei como campeão. Foi muito importante, chamou a atenção dos promotores e deixou claro que eu levaria a carreira no MMA a sério."  

2-0 ao entrar o torneio, o faixa preta de jiu jitsu  saiu do Rio de Janeiro aquela noite com 5-0, e sete meses depois, ele estava fazendo sua estreia nos EUA, derrotado Ryan Stout em maio de 2007. Sua próxima parada, em outubro daquele ano, foi o UFC, e ele tem estado aqui desde então. Onde ele não esteve, pelo menos não em uma noite de luta, é no Brasil, algo que mudará este fim de semana.  
  
"É um prazer enorme e algo que quero muito, e sempre tentei não me preocupar muito porque sabia que aconteceria mais cedo ou mais tarde." Disse Maia. "Estou feliz que esteja acontecendo agora, mas tenho que me concentrar na luta, e perceber que, no fim, é mais uma luta como qualquer outra ao redor do mundo. Quando você entra na jaula, é você contra o seu oponente e os dois farão o seu melhor, então você não pode deixar o resto te afetar de maneira nenhuma."  
  
Isso que você espera que qualquer lutador fale, mas Demian sabe que esta não é só mais uma luta. E tendo estado na plateia do UFC Rio 1, ele presenciou  o que será a atmosfera mais intensa em que ele já lutou.  
  
"Eu tenho amigos que lutaram nos UFCs no Brasil e pessoas do meu time que tiveram atletas lutando no Brasil pelo UFC", ele disse. "O primeiro UFC Rio foi muito grande, e estava lá assistindo e apoiando os meus amigos, e lembro como foi louco. Todos os meus amigos que lutaram lá como Minotauro Nogueira e Shogun Rua me disseram que foi uma experiência incrível , e foi engraçado, mas no UFC 148 em Las Vegas tinha tantos brasileiros que já parecia diferente. (risos) Mas como eu disse, a realidade é que você não pode pensar muito porque luta é luta, e você tem que manter o foco no que realmente importa. Todo o resto é ótimo depois da luta."  
  
Muito justo, mas algo que Demian com certeza concordará é que nos seis anos desde que ele lutou no Brasil, o MMA está sendo bem diferente do que costumava ser.  

"O MMA no Brasil mudou muito desde aquela época", ele disse. "É incrível o nível em que o esporte chegou aqui. Naquela época, as pessoas viam o MMA como uma coisa ruim, pura violência e não consideravam um esporte de verdade. A mídia aberta ignorava isso ou simplesmente acobertava qualquer aspecto relacionado a isso. Nos últimos dois anos, com o UFC investindo no Brasil e trazendo o show para cá, o esporte disparou e se tornou um dos mais populares e mais assistidos no Brasil, somente atrás do futebol."
 
E uma das exportações tops do país tem sido Demian, um peso médio de longa data, que já foi a atração principal,  contra Anderson Silva, por cinco rounds pelo título em 2010. Mas depois desta luta, vitórias sobre  Mario Miranda, Kendall Grove, e Jorge Santiago foram quase igualadas por derrotas contra Mark Munoz e Chris Weidman, e Demian percebeu que estava abrindo mão de vantagens mais do que estava ganhando nas lutas, no quesito tamanho.  

Então no começo do ano ele desceu de categoria para os meio-médios, e em menos de um minuto ele fez uma bela entrada, parando Dong Hyun Kim em 47 segundos no UFC 148 em julho.
 
"Aquela foi uma luta muito importante, como todas elas são no final", ele disse. "Não somente na luta em si, mas durante o treinamento também, senti que conseguia manter a mesma força que tinha, e me tornei mais ágil e mais rápido devido ao fato de estar mais leve. Me senti tão forte quanto meu oponente."   
  
E talvez mais importante do que vencer na sua estreia nos meio-médios foi a forma como ele venceu, marcando sua primeira interrupção desde Chael Sonnen no UFC 95 em fevereiro de 2009. Quando acabou,  a imagem do sorriso de Demian valia mais do que mil palavras.  
  
"Foi incrível", ele disse. "Tem tanta pressão envolvida em todos os aspectos quando você vai para uma grande luta como essa, então quando você consegue vencer a luta rapidamente, é incrível. Com tanto trabalho duro que fazemos nos treinos, você sente que o que planejou, fez sentido."  
  
Aquele sentimento foi tão bom que Demian admite que descer para os meio-médios foi uma escolha que talvez devesse ter sido feita a um bom tempo.  
  
"É difícil dizer, porque a vida é complicada e uma coisa o leva à outra. E no passado eu lutei pelo título nos 84 kgs e tive boas vitórias, então não parecia que era tão necessário. Porém quando você para para pensar, nas minhas primeiras lutas no UFC, eu batia o peso até 84 kgs e lutava na noite seguinte com 85 kgs no máximo, já que este era meu peso natural e eu estava me apresentando bem. Muitos dos caras tops até 84 kgs pesam 93 kgs ou mais em noite de luta, então, em teoria, eu estava dando muita vantagem no tamanho e força. Acho que com o alto nível que o esporte chegou, o meio-médio é a categoria certa para mim."  
  
A luta com Kim fez muito acreditarem nesta afirmação, e muitos mais acreditarão se ele marcar mais uma vitória contra Story neste fim de semana.  
É uma luta interessante, com Story parecido com Kim em relação a força, mais com mais poder nos socos. Demian de São Paulo sabe que este retorno ao Brasil não está vindo com um oponente embrulhado para presente, mas ele não gostaria que fosse diferente.  
  
"Rick Story apresenta todo tipo de dificuldade", ele disse. "Ele é um lutador duro, um cara que você claramente vê que adora lutar e competir, e tem boas habilidades em todas as áreas, e ele é muito agressivo. Ele provou o quanto é bom com vitórias sob lutadores top."  
  
Então se você está procurando algo que possa provar ser um fator decisivo nedta luta, pode ser o fato de que Demian não consegue entender o que é perder no Brasil. Nem no sábado, nem nunca. Mas ele vai guardar as palavras para quando entrar no Octógono.  
  
"O UFC se tornou um dos maiores shows no mundo, e não falo de lutas somente, mas em termo de esporte e entretenimento", disse o faixa-preta de Jiu-jitsu. "Este card tem muitos lutadores duros e talentosos, e estou enfrentando um oponente casca grossa, Rick Story. Treinei muito e tenho certeza que ele também, então será uma ótima luta e um ótimo show."   

Watch Past Fights

Midia

Recente
Pesagem do UFC 177 na Sleep Train Arena, no dia 29 de agosto, 2014 em Sacramento, Califórnia. (Fotos de Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
29/08/2014
Vencedor do The Ultimate Fighter season 13, o peso leve Tony "El Cucuy" Ferguson queria mostrar serviço contra Katsunori Kikuno no UFC 173. Veja Ferguson enfrentando Danny Castillo na luta co-principal do UFC 177.
29/08/2014
A correspondente do UFC Megan Olivi faz "um round" com o peso leve do Ramsey Nijem antes de sua luta no UFC 177 contra Diego Ferreira. Nijem fala sobre seu segundo compromisso seguinte diante de um lutador invicto e a influência de seu irmão nos treinos.
28/08/2014
Os protagonistas do UFC 177 T.J. Dillashaw e Renan Barão o restante dos astros do evento do fim de semana conversam sobre as lutas com a imprensa. Não perca o UFC 177 deste sábado, ao vivo no Combate.
28/08/2014