Pular para o conteúdo principal
Blogs - Marcelo Alonso

10 apostas para 2019

Confira uma lista de nomes que podem roubar a cena este ano

Depois de fechar 2018 com a lista dos 10 melhores lutadores do UFC no ano, nada melhor que começar 2019 apostando em 10 talentos que tem tudo para roubar a cena neste ano que se inicia. E quando falo de 10 apostas, obviamente não me refiro a lutadores que já conquistaram seu espaço entre os Top 10 de suas divisões e estão a uma ou duas vitórias do cinturão, como Jéssica Andrade, Marlon Moraes, Ketlen Vieira, Tatiana Suarez, Renato Moicano, Alexander Volkanovski, Thiago Marreta, Deiveson Figueiredo, Paulo Borrachinha e Israel Adesanya. Estes já são realidades. A lista a seguir contempla talentos que impressionaram por suas atuações em 2018, mas ainda não conseguiram uma vaga junto à elite dos Top 10.

Zabit Magomedsharipov
Zabit Magomedsharipov
Peso pena

Depois de quatro shows no Octógono, finalmente Zabit Magomedsharipov entrou no ranking dos penas. Com uma envergadura privilegiada para a divisão (1,85m), o ex-campeão do ACB é o chamado “pacote completo”. Excelente kickboxing, boa defesa de quedas e um chão de altíssimo nível, que aliás já lhe garantiu três vitórias por finalização em quatro lutas no UFC, sendo a última, uma das mais bonitas do ano, na qual aplicou uma bela chave de joelho partindo das costas de Brandon Davis (esticada Suloev). No dia 2 de março Zabit terá mais um teste de fogo, enfrentando o 6º do ranking, Jeremy Stephens, no UFC 235. Com 43 lutas e 19 nocautes, Stephens vem de derrota para o maior campeão da história da divisão, José Aldo. Caso consiga vencê-lo, provavelmente Zabit estará a uma ou duas lutas da disputa do cinturão como previram os parceiros de treinos e ex-campeões do peso leve, Frankie Edgar e Eddie Alvarez, desde que o russo começou a treinar com eles em 2017.

Gregor Gillespie
Peso leve

Com cinco vitórias em cinco lutas no UFC, finalmente o wrestler Gregor Gillespie chegou ao Top 15 do peso leve. Quatro vezes All-American, Gillespie tem impressionado a todos pela sua rápida evolução no MMA desde suas estreia nos cages, em 2014. Mesclando belas quedas com um boxe de muito volume e explosão, além de ótimas transições no solo, o americano tem mostrado um jogo que mistura Cain Velásquez com Khabib Nurmagomedov, normalmente levando os oponentes a exaustão até o 2º round. Após dois nocautes e dois finalizações em cinco lutas no UFC, no dia 19 de janeiro Gillespie terá o teste mais duro de sua carreira contra havaiano Yancy Medeiros, que estranhamente decidiu voltar à divisão dos leves após uma boa sequência nos meio-médios (nocauteou Alex Cowboy e Erick Silva e foi nocauteado por Donald Cerrone).

Veja também: Os lutadores que mandam bem no surfe | As melhores lutas de janeiro no Octógono

Petr Yan
Peso galo

Outro ex-campeão do ACB, que acabou de conquistar o 14º lugar no ranking, após três impressionantes atuações em apenas oito meses de UFC. Com um excelente boxe, muita explosão e ótimas defesas de quedas, Yan estreou no maior evento do mundo em junho atropelando o resistente japonês Teruto Ishihara ainda no 1º round. Três meses depois, fez uma das melhores lutas do ano, contra Jin Soo Son, o melhor sparring do zumbi coreano. Em dezembro roubou do brasileiro Douglas D´Silva o 14º lugar do ranking após dominá-lo inteiramente durante dois rounds. A partir de agora o caldo engrossa e Yan terá pela frente a elite de uma das divisões mais dominadas por brasileiros, passando ser um oponente em potencial para Rani Yahya(15º), Thomas Almeida (13º ), Pedro Munhoz (9º) , John Lineker (6º), Raphael Assunção (3º) e Marlon Moraes (4º).

Raoni Barcelos
Raoni Barcelos
Peso galo

Outro “pacote completo” que em 2019 tem tudo para chegar ao topo da divisão dos galos. Filho do mestre faixa coral Laerte Barcelos, Raoni nasceu nos tatames. Aos oito anos de idade, já era campeão brasileiro de jiu-jítsu. Depois migrou para o wrestling e logo passou a fazer parte da seleção brasileira da modalidade. Em 2011 resolveu migrar para o MMA e passou a ter a ajuda de Pedro Rizzo e André Pederneiras. Os resultados vieram rápido. Em 2013 Raoni estreou no RFA e em 2016 se tornou campeão do evento. Este ano fez sua estreia no UFC na divisão dos penas nocauteando o duríssimo Kurt Holobaugh. Quatro meses depois teve a chance de estrear nos galos, onde finalizou Chris Gutierrez no 2º round. Se, assim como Petr Yan, conseguir um oponente ranqueado em sua terceira luta, Raoni tem tudo para se tornar o 7º brasileiro entre os Top 15 dos galos.

Elizeu Capoeira
Peso meio-médio

Outra aposta para 2019 é o atleta da CM System Elizeu “Capoeira” Zaleski. Com seis vitórias em sete lutas no UFC (só perdeu na estreia), Capoeira tem mostrado ser um lutador completo, usando muito bem o wrestling que vem aprendendo com Marcelo Zulu (seis vezes campeão brasileiro) para manter suas lutas em pé, onde tem dominado os oponentes. Mesclando seu ótimo kickboxing com movimentos plásticos de capoeira, Elizeu já conseguiu três bônus de Luta da Noite em suas seis vitórias. Destaques para os impressionantes nocautes sobre Sean Strickland e Omari Akhmedov, e para suas ótimas atuações contra os duríssimos Lyman Good e Max Griffin.

Weili Zhang
Peso palha

Uma das principais revelações do MMA asiático em 2018. Zhang estreou vencendo a dura Danielle Taylor e três meses depois finalizou a experiente atleta da ATT Jessica Aguilar com um armlock no 1º round, fechando o ano com impressionantes 19 lutas e 18 vitórias (nove nocautes e oito finalizações). Dia 2 de março, Zhang terá sua chance de entrar no Top 10 do ranking dos palhas, caso vença a duríssima Tecia Torres (7º), que vem de derrotas por decisão contra Joanna Jedrzejczyk e Jessica Bate-Estaca.

Vicente Luque
Peso meio-médio

Outro brasileiro que vem se destacando entre os meio-médios. Vicente Luque está vindo de uma sequência de sete vitórias (quatro nocautes e três finalizações) em oito lutas. Mesclando uma ótima técnica em pé com impressionantes finalizações, Luque é um dos atletas mais perigosos e versáteis da divisão. No dia 17 de fevereiro enfrenta Bryan Barbarena no Arizona. Em caso de vitória, não há razão para não desafiar um ranqueado em seu próximo combate.

Johnny Walker
Johnny Walker celebrates after defeating Khalil Rountree Jr. during the UFC Fight Night on November 17, 2018 in Buenos Aires, Argentina. (Photo by Alexandre Schneider/Zuffa LLC)

Johnny Walker
Peso meio-pesado

Dentre os lutadores brasileiros revelados na edição nacional do DWTCS, sem dúvida algum Johnny Walker foi o que mais impressionou. Depois de mostrar personalidade dominando inteiramente Henrique Frankenstein no programa, fez uma estreia espetacular no UFC nocauteando com uma cotovelada Khalil Rountree, que vinha da principal vitória de sua carreira (também por nocaute no 1º round) sobre a lenda do kickboxing Gokhan Saki. Com 1,98m, Walker é a maior esperança de renovação do Brasil na divisão onde já tivemos campeões como Vitor Belfort, Lyoto Machida e Mauricio Shogun. No dia 2 de fevereiro o carioca volta ao octógono em Fortaleza enfrentando o americano Justin Ledet, que já contabiliza quatro lutas e três vitórias no UFC.

Livinha Souza
Peso palha

Ex-campeã do Invicta, Lívia Renata Souza fez uma bela estreia no UFC finalizando Alex Chambers com uma guilhotina ainda no 1º round e mostrando que chegou para dar trabalho na divisão dos palhas. Livinha volta ao Octógono em Fortaleza no dia 2 de fevereiro enfrentando outra brasileira, que também foi uma das revelações da versão nacional do DWTCS, Sarah Frota. A vencedora deste confronto tem tudo para ganhar uma vaga entre os Top 15 dos palhas, uma divisão cuja próxima desafiante ao cinturão deverá ser a brasileira Jéssica Bate-Estaca.

Maycee Barber
Peso palha

Com apenas 20 anos de idade e 1 ano de MMA, Maycee “The Future” Barber teve uma atuação impressionante em sua estreia no UFC contra a bem mais experiente Hanna Cyfers. Bom striking, muita pressão nas quedas, um ground and pound incessante e raça de campeã. Barber venceu por TKO no 2º round completando três vitórias por nocaute técnico e duas por finalização e mostrando personalidade ao pedir uma luta com a 15ª do ranking, Mackenzie Dern. Atenção nela.

Assine o combate | Siga o UFC Brasil no Youtube