Pular para o conteúdo principal

Adilson Fernandes, o 'Godzilla' dançarino de ballet clássico

 

Os esportes de combate costumam ser exclusivos para lutadores com características másculas, sem muito espaço para outras atividades que não envolvam socos ou imobilização. E quem vê o paulista Adilson Fernandes treinando no tatame tem certeza que ele é mais um personagem dentro deste mundo. Mas bastam dez minutos de conversar para perceber que o lutador de 25 anos tem um história muito maior que isso, e já foi modelo, ator e até bailarino - mas nunca sem perder sua masculinidade.

Nascido em São Paulo, ele foi para Olinda quando tinha apenas sete dias de vida. "Meu pai foi para Pernambuco tentar reconquistar minha mãe, deu certo e eles estão juntos até hoje", explica. Assim como várias crianças, ele começou lutando judô por influência do pai aos 10 anos, mas, mesmo sem entender direito do que se tratava, migrou para o kickboxing e muay thai. "É igual ao boxe, meu filho, mas você pode chutar", disse o pai na época. Foi o bastante para ele se apaixonar e alguns anos depois se arriscar no MMA.

Certo dia, quando ainda estava apenas no judô, Fernandes parou para observar algumas garotas que dançavam ballet clássico e a professora o convidou para fazer um teste. "Percebi que o ballet ajudava muito no meu alongamento, estava melhorando nos meus treinos de judô. Fui gostando, cheguei até a fazer algumas apresentações, mas parei para seguir treinando apenas MMA', lembra ele. Pode parecer estranho, mas lutadores famosos, como o ex-campeão de boxe Evander Holyfield, já declararam que o ballet é uma arma poderosa para a luta.

O MMA o tirou das aulas de dança, mas ele ainda não era profissional e precisava ganhar algum dinheiro. Como não queria trabalhar com o pai, que era ajudante de pedreiro, a solução foi aceitar um convite para ser modelo. "Eles me ofereceram 50 reais para subir na passarela e andar, era dinheiro fácil", diz ele dando risadas. O mesmo aconteceu quando foi convidado para atuar em peças, mas o cachê já estava mais alto, cerca 350 reais por mês. Mas a paixão pelas artes marciais falou mais alto. Fernandes largou tudo e voltou a se dedicar apenas ao MMA.

Apelido
Mas você pouco vai ouvir falar do Adilson Fernandes, isso porque seu apelido é Jack Godzilla. Pode parecer engraçado, mas ele é um dos poucos atletas que misturou dois apelidos de épocas diferentes. O Jack surgiu ainda no judô, quando ele tinha cabelo grande e olhos puxados, e era parecido com o ator Jackie Chan. O Godzilla foi quando começou a treinar MMA, pela sua agressividade para terminar logo as lutas, que lembrava o personagem de filmes de ficção. "Meus treinadores sempre falaram que eu sou um atleta muito agressivo, talvez porque eu goste muito de brigar".