Pular para o conteúdo principal
Atletas

Análise de momento: peso-pena feminino

Amanda Nunes ainda não defendeu seu cinturão desde conquistá-lo contra Cris Cyborg, mas Felicia Spencer e Megan Anderson estão na fila

Conforme o UFC continua a desenvolver o peso-pena feminino, a divisão até 66 Kg ainda não tem um ranking, e tem Megan Anderson e Felicia Spencer como as únicas reais representantes abaixo da campeã Amanda Nunes. A “Leoa” deixou claro que quer defender o título por algum tempo, e Spencer está na fila para encarar a brasileira no UFC 250.

Mais análises: Peso-galo feminino | Peso-mosca feminino | Peso-palha

Confira uma análise de momento da categoria.

Campeã: Amanda Nunes
(19-4, 13 nocautes, 3 finalizações)

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Germaine de Randamie (14/12/2019)

Próxima luta: Felicia Spencer no UFC 250

Panorama: já se passou quase um ano e meio desde que Amanda Nunes chocou o mundo e nocauteou Cris Cyborg no UFC 232, se tornando a terceira campeã dupla da organização. Pelos 51 segundos que pudemos ver Amanda nos 66 Kg, ela derrubou uma das lutadoras mais intimidantes que já pisaram no Octógono. Mas liquidar uma oponente temida não é território desconhecido para a brasileira. Sua outra vitória um minuto no Ultimate foi contra Ronda Rousey. Enquanto esperava um desfecho na divisão peso-pena, Amanda defendeu seu título do peso-galo contra Holly Holm e Germaine de Randamie, coincidentemente as duas mulheres que um dia se enfrentaram pelo cinturão dos 66 Kg. Agora, a Leoa vai colidir com Felicia Spencer, que deu trabalho para Cris Cyborg na última luta da curitibana no UFC. Caso Amanda mantenha o título, ela se tornará a 2ª campeã dupla a defender ambos títulos - e a 1ª a fazê-lo de forma simultânea.

No mix:
Felicia Spencer (8-1, 2 nocautes, 4 finalizações)

Última luta: vitória por nocaute técnico contra Zarah Fairn (29/2/2020)

Próxima luta: Amanda Nunes no UFC 250

Panorama: Felicia Spencer se apresentou como uma força na divisão ao finalizar Megan Anderson no 1º round de sua estreia, no último mês de maio. Desde então, ela foi com Cris Cyborg até a decisão dos jurados mostrando que aguenta a pressão. Foi uma performance impressionante, apesar da derrota, para a canadense. Voltando à ação em Norfolk, ela foi novamente dominante, conquistando vitória por nocaute técnico sobre Zarah Fairn e garantindo o direito de encarar Amanda Nunes. Vai ser interessante ver como Amanda lidará com o queixo duro e o chão apurado de Felicia, e como a canadense tentará impor seu jogo. Com credenciais em pé e no chão, essa pode ser uma divertida 1ª defesa de título para a Leoa, e uma chance para Spencer chocar o mundo.

Megan Anderson (11-4, 6 nocautes, 3 finalizações)

Última luta: vitória por nocaute sobre Norma Dumont (29/2/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: Quando Megan Anderson caiu diante de Felicia Spencer em maio de 2019, a ex-campeã peso-pena do Invicta FC fez algumas mudanças em seus treinos. De uma perspectiva diferente na preparação física a conversas com seus treinadores, ela se colocou em um lugar mental melhor e colheu os frutos dessas mudanças. Primeiro, ela finalizou Zarah Fairn no 1º round no UFC 243. Essa também foi a primeira luta de Anderson em casa, na Austrália, em cinco anos. Em seguida, o nocaute sobre Norma em Norfolk, fazendo dela a única lutadora com vitórias consecutivas na categoria. Mesmo assim, Spencer ganhou o title shot, mas Megan disse após sua última luta que gostaria de voltar ao Octógono caso o UFC desembarque na Austrália ou em Kansas City em um futuro próximo. Ela seria um confronto curioso com Amanda principalmente por seu poder de nocaute.

Outras:
Germaine de Randamie, Holly Holm, Yana Kunitskaya, Macy Chiasson
BROOKLYN, NEW YORK - FEBRUARY 11:  (R-L) Holly Holm kicks Germaine de Randamie of The Netherlands in their women's featherweight championship bout during the UFC 208 event inside Barclays Center on February 11, 2017 in Brooklyn, New York. (Photo by Jeff B

Panorama: com o ranking peso-pena vazio como está atualmente, a busca por outras desafiantes nos leva à lista do peso-galo. Germaine de Randamie e Holly Holm lutaram pelo cinturão inaugural dos 66 Kg em 2017, mas ambas caíram diante de Amanda Nunes na corrida pelo título dos 61 Kg, o que complica o caminho de ambas na divisão. Yana Kunitskaya já desafiou Cris Cyborg pelo ouro no peso-pena, então também é uma possibilidade. Macy Chiasson venceu o TUF 28 como pena antes de imediatamente descer para o peso-galo, mas ela poderia se ver em uma via rápida rumo ao title shot caso decida voltar a subir.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube