Pular para o conteúdo principal
Entrevistas

Ariane Lipski espera sua melhor versão após mudança na vida e nos treinos

Brasileira encara Montana De La Rosa em duelo pelo peso-mosca no UFC Vegas 28, dia 5 de junho

Em novembro de 2020, Ariane Lipski viu sua sequência de duas vitórias seguidas no Octógono chegar ao fim com uma derrota por nocaute técnico para Antonina Shevchenko. O resultado foi o estopim para que a peso-mosca brasileira tomasse uma importante decisão para sua vida e sua carreira.

Desde o combate, Ariane e seu treinador Renato Silva estão morando nos Estados Unidos e passaram a integrar a equipe da American Top Team, na Flórida, time conhecido por ser um dos que mais possui atletas no plantel do Ultimate.

Em entrevista exclusiva ao UFC Brasil, a curitibana de 27 anos contou que já havia treinado em outros lugares no país, como Las Vegas, Phoenix e Nova York, mas revelou que agora encontrou sua nova casa.

“No começo foi um pouco difícil, principalmente porque a gente ficou aqui em dezembro, bem na época de Natal, Ano Novo, que a gente passa com a família… a gente trabalhou o ano passado todo, então queria aproveitar um pouco o tempo com a família, mas não tinha como”, disse, “Depois que os treinos começaram, em janeiro, a gente viu que realmente era o que precisávamos”.

Inscreva-se para receber a Newsletter do UFC

Ariane Lipski posa com seu treinador Renato Silva após vitória sobre Luana Carolina.

Após morarem na casa de amigos e buscarem patrocínios para custear a vida nos Estados Unidos, Ariane conta que ela e Renato agora já estão estabelecidos e adaptados à nova vida. E com a ajuda dos treinadores Conan Silveira e Steve Mocco, a lutadora diz já enxergar sua melhora como atleta.

“A evolução é diária. Todos os dias consigo evoluir em alguma posição, não é preciso esperar a luta para uma determinada situação acontecer e então melhorar. Principalmente no wrestling”, disse, “No Brasil, a gente tinha bons parceiros de treino no muay thai, no jiu-jítsu, mas o wrestling é diferente. Ali na ATT, o wrestling é muito forte e é tudo voltado para o MMA. Tenho muitas parceiras de treino, cada uma com um estilo diferente, então você vai se adaptando ao estilo de cada uma. Tem sido muito bom”.

“E acredito que isso vai me dando mais confiança para mostrar meu striking, que é o que realmente quero”, continuou, “Sinto que ainda não consegui mostrar tudo, principalmente por essa questão de toda vez que entrava para dar uma sequência, as meninas me colocavam no chão e eu não estava sabendo mixar e mostrar minha trocação. Não estava confiante o suficiente”.

Ariane Lipski com parceiras de treino na American Top Team. Fonte: Instagram

Fonte: Reprodução/ Instagram

A próxima oportunidade de colocar seu trabalho à mostra será no dia 5 de junho, quando ela medirá forças com a norte-americana Montana De La Rosa no UFC Vegas 28.

Conhecida principalmente por seu grappling e tendo conquistado oito de suas 11 vitórias na carreira por finalização, Montana representa um desafio que Ariane enxerga com bons olhos neste momento.

“A gente sabe o jogo uma da outra, o que eu vou querer e o que ela vai querer”, disse a brasileira, “Mas as expectativas são as melhores, estou realmente muito confiante. Vou buscar o nocaute, que é o meu jogo, mas acima de tudo, a frieza. Não ficar desconfortável em nenhuma situação, confiando que eu estou preparada para tudo e acreditando na vitória do começo ao fim”.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube