Pular para o conteúdo principal

Bem mais vitórias que derrotas - a trajetória de Barão antes da revanche

Brasileiro vem de vitória por finalização contra Mitch Gagnon, em dezembro de 2014

A 'fera', fenómeno, futuro melhor lutador peso por peso... O potiguar Renan Barão já foi elogiado diversas vezes por Dana White e boa parte dos jornalistas que trabalham com MMA. Mesmo após a derrota para TJ Dillashaw, em 2014, o brasileiro continuou bem cotado, voltou ao octógono finalizando Michel Gagnon e neste sábado faz a revanche contra o norte-americano que tirou o título das suas mãos. Confira o caminho de Barão até o confronto deste sábado, que será transmitido com exclusividade pelo Canal Combate.

Barão x Faber UFC 149, julho de 2012
Renan Barão já estreou no UFC com a pompa de futuro desafiante ao cinturão. Depois de três boas vitórias, a chance pelo título interino apareceu contra Urijah Faber - já que Dominick Cruz estava lesionado. O brasileiro dominou os cinco rounds e ficou com o cinturão interino da categoria.  

Barão x McDonald - UFC Londres, fevereiro de 2013
O brasileiro tinha acabado de conquistar o cinturão interino, depois de vencer Urijah Faber por decisão dos juízes. Vindo de quatro vitórias, Michael McDonald parecia o rival ideal para testar o novo campeão. Barão seguiu bem a estratégia e conseguiu finalizar com um kata-gatame no quarto round - sua trigésima vitória.

Barão x Wineland - UFC 165, setembro de 2013
O próximo rival de Barão seria Eddie Wineland. Com o brasileiro já crescendo entre os melhores peso por peso do mundo, os fãs esperavam uma atuação devastadora do campeão. E isso aconteceu... Barão mostrou toda sua agressividade e conseguiu um nocaute no segundo round depois de aplicar um belíssimo chute rodado na cabeça do rival e partir para o ground and pound.

Barão x Faber - UFC 169, fevereiro de 2014
Sem mais adversários na categoria, o jeito foi aceitar uma nova luta contra Urijah Faber, que vinha de quatro boas vitórias. Ao contrário da primeira luta, que terminou por decisão, Barão conseguiu encaixar bons golpes e nocauteou o rival ainda no primeiro round, depois de uma saraivada de socos.

Barão x Dillashaw - UFC 173, maio de 2014
Barão parecia invencível entre os galos, com belas e convincente vitórias, mas o norte-americano TJ Dillashaw apareceu em seu caminho. Com uma movimentação diferente, parecida com a do ex-campeão Dominick Cruz, e um ritmo de luta nunca visto, o pupilo da Alpha Male castigou o rival por cinco rounds, conseguindo o nocaute no último assalto.

Barão x Gagnon - UFC Barueri, dezembro de 2014
Barão não sabia o que era perder há quase dez anos quando foi nocauteado por Dillashaw. O brasileiro voltou para academia, ajustou o que tinha feito de errado e ganhou a primeira chance de lutar pelo UFC no Brasil. Visivelmente ansioso, pela torcida e a volta ao octógono depois de perder, ele teve um desempenho abaixo do espero e finalizou o rival no terceiro round.
Veja também:
Já em Chicago, TJ Dillashaw diz como e em qual round vencerá Renan Barão
'Trouxe o punho direito e o esquerdo de presente', diz Barão
Renan Barão deixa superstição de lado e mostra o novo 'estilo samurai'