Pular para o conteúdo principal

Bethe Correia cogita mudança definitiva para os EUA e provoca Miesha Tate

Brasileira está treinando na AKA, equipe de Cormier e Rockhold


Os tempos são de mudança para Bethe Correia. Depois de ser derrotada por Ronda Rousey na luta principal do UFC 190, a brasileira decidiu apostar em um intercâmbio para aprimorar suas técnicas, então fez as malas e partiu para os Estados Unidos com destino à cidade de San Jose, na Califórnia.

Lá, a peso-galo participa de sessões de treinos na American Kickboxing Academy ao lado de grandes nomes do UFC na atualidade, como o campeão meio-pesado Daniel Cormier, o desafiante peso-médio Luke Rockhold e o peso-pesado Cain Velasquez. Apesar de os planos iniciais serem de passar apenas alguns dias na Terra do Tio Sam, Bethe confessou que a vontade é não voltar tão cedo para seu país.

Veja também: Renovada, Bethe quer disputar o cinturão novamente em 2016

"A qualidade de vida aqui é outra, totalmente diferente do Brasil", afirmou a lutadora ao portal Ag Fight. "O Brasil tem mil vantagens, amo o Brasil, os treinos lá também são show, mas aqui é primeiro mundo, e para o atleta isso é muito bom. Não tenho patrocínio, mas se tivesse um aqui nos EUA, pensaria nisso", declarou Bethe, exaltando a evolução que percebeu em seu jogo.

"Não sei quanto tempo vou ficar aqui, e não pretendo treinar em outra academia nos EUA que não seja a AKA. Ela é ótima e me adaptei super bem aos treinos e à galera. Aprendo todos os dias. O Javier (Mendez) tem uma visão de luta incrível e sabe exatamente onde encontrar os erros e apontar soluções. […] Tem gente do mundo todo aqui e com jogo de luta diferente, e isso me faz me conhecer melhor e entender meus erros", disse.

Bethe ainda não tem data nem adversária definidas para seu retorno ao octógono, mas ja recebeu desafios de diversas atletas da categoria, como Jéssica 'Bate-Estaca', que anunciou que mudaria de peso, e Amanda Nunes. Mas é na ex-desafiante Miesha Tate que a 'Pitbull' brasileira está de olho.

"Tenho um assunto inacabado com Miesha Tate. Com ela sim, eu entro na guerra. Ela passou meses me provocando e fazendo campanha no Twitter para lutar comigo, falou asneira depois da minha derrota com Ronda, riu de mim e me chamou de novata. Uma derrota não apaga o que construí, e ela debochou de mim pois achava que ia lutar com a Ronda, mas aí foi minha vez de rir da cara dela", provocou. 

Ingressos à venda para o UFC São Paulo 
Visite a UFC Store 
Baixe o aplicativo do UFC 
Assine o Canal Combate e não perca nenhum detalhe do UFC