Pular para o conteúdo principal
Entrevistas

Cigano: “Eu sou o cara mais duro dessa categoria”

Ex-campeão falou sobre luta em Wichita e carreira no UFC

Ex-campeão dos pesados, Junior Cigano volta ao Octógono para mais uma luta principal. Desta vez, o brasileiro enfrenta Derrick Lewis em luta programada para cinco rounds no UFC Wichita, neste sábado (9).

Mas antes, o atleta reservou um tempo para conversar com a reportagem do UFC Brasil sobre sua trajetória, recordes, e vida pessoal. Confira!

UFC: Você completou 10 anos de UFC no fim de 2018. Parece que já faz tanto tempo que está com a organização?

JC: Na hora não tinha me ligado, mas depois percebi que haviam se passado 10 anos. Não parece que é tanto tempo. Passaram bem rápido esses anos todos, mas me sinto o mesmo menino que era no início. Claro que mais experiente, mais vivido, vamos dizer, mas ainda um menino.

Protagonista do UFC Wichita, Junior Cigano elege e analisa três de seus mais marcantes nocautes no UFC. 


UFC: Um nocaute neste sábado significa igualar o recorde de nocautes na categoria, que é de Cain Velasquez (10). Ser o detentor de alguns recordes no evento é um dos seus objetivos?

JC: Não é bem um objetivo. Esse tipo de coisa acaba acontecendo devido aos resultados que a gente vai conquistando, mas eu nem sabia disso. Legal saber. Vamos ver se sai o nocaute.

UFC: Sabemos que você teve problemas com lesões que te afastaram do Octógono no passado, mas nos últimos meses estamos te vendo com frequência. Qual o benefício em se manter ativo?

JC: Estou muito feliz com isso, e esse na verdade é o principal objetivo da minha carreira agora: me manter ativo. Nos últimos anos fiz poucas lutas, e a intenção agora é fazer no mínimo três por ano porque luta em si não é só questão de saber técnica ou ser agressivo. Você precisa ter o tempo de luta para saber aplicar suas técnicas, e o único jeito de ter tempo de luta é lutar. Então a minha intenção é me manter o mais ativo possível.

É óbvio que depois dessa vitória no sábado eu vou tirar uns dias para cuidar da minha esposa e da minha filha Maria, que está chegando em maio. Mas logo depois disso já pretendo lutar novamente, talvez no final de agosto.

Antes da luta principal do UFC Wichita contra Derrick Lewis, o ex-campeão dos pesos-pesados Junior Cigano responde perguntas sobre os mais variados temas.


UFC: Em uma entrevista com o site americano do UFC, você declarou que o Derrick Lewis vai “quebrar”. Pode explicar o que quis dizer com isso?

JC: Ele vai quebrar. Em algum momento ele não vai suportar a pressão, não vai suportar a quantidade de golpes, não vai suportar a movimentação que vou colocar para cima dele. Em algum momento ele vai quebrar. Em algum momento ele não vai conseguir acompanhar o ritmo e vai estar exposto a um nocaute ou finalização.

UFC: Você se considera o oponente mais duro que o Lewis já enfrentou?

JC: Eu me considero o oponente mais duro para qualquer peso-pesado. Eu sou o cara mais duro dessa categoria para lutar contra qualquer um. O Derrick Lewis sabe disso. Todos os outros pesos-pesados sabem disso. Não é à toa que negam bastante luta aí e administram suas carreiras para só lutarem comigo quando o prêmio é muito valioso. Eu sou um cara que é luta ruim para qualquer um deles.

Não perca o UFC Wichita a partir das 19h (horário de Brasília
Evento será transmitido pelo Combate neste sábado (9)