Pular para o conteúdo principal
/themes/custom/ufc/assets/img/default-hero.jpg

Cinco motivos para não perder o UFC Londres

Evento deste sábado terá Jimi Manuwa e Corey Anderson na luta principal

A última vez em que o UFC esteve em Londres foi com o histórico confronto entre Anderson Silva e o atual campeão peso-médio Michael Bisping.
Desta vez, o foco estará nos prospectos em ascensão nos rankings do UFC, especialmente nos europeus.
Estes são os principais motivos para não perder o UFC Londres.
Mais UFC Londres: Os brasileiros do evento | As promessas | Confira o card completo

1 - Nocauteador nato lidera evento em casa
O dono do soco mais perigoso do plantel do UFC é, provavelmente, Anthony Johnson, que luta pelo cinturão dos meio-pesados em revanche com Daniel Cormier no UFC 210. Mas não muito atrás está Jimi Manuwa, que enfrenta Corey Anderson na luta principal do UFC Londres.
O “Poster Boy” está vindo da vitória mais impressionante de sua carreira, quando nocauteou Ovince Saint Preux de forma devastadora. OSP há não muito tempo lutou cinco rounds contra o ex-campeão Jon Jones, o que mostra quão perigoso Manuwa pode ser.
Aos 37 anos, o londrino espera um novo triunfo contra Anderson para catapulta-lo para perto de uma disputa de cinturão bem a tempo do retorno de Jon Jones este ano. Manuwa disse que adoraria encarar Jones porque acredita que pode nocauteá-lo.
Contra Anderson, Manuwa terá que lidar contra um wrestler incansável com bom poder na luta em pé. Manuwa conecta 59,6% dos golpes significativos, uma marca quase 20% maior que a média do restante do UFC.
Manuwa espera encerrar esta luta com força e provavelmente terá que usar sua marca de 63% de sucesso nas defesas de queda para manter a luta em pé na tentativa de nocautear Anderson.

2 - Sensação islandesa subindo novamente
Em 2012, Gunnar Nelson parecia estar a caminho do estrelato como um dos principais jovens talentos do UFC. Mas seu parceiro de treinos Conor McGregor acabou dominando o mundo das lutas, colocando “Gunni” nas sombras.
Entretanto, após uma finalização sobre Albert Tumenov em sua única luta em 2016, Nelson está novamente prestes a explodir nos rankings e em popularidade, ocupando a vaga de luta co-principal.
Alan Jouban será o oponente de Nelson e será um teste formidável. Jouban vem de três vitórias seguidas, incluindo um triunfo maiúsculo sobre o promissor Mike Perry.

3 - London se despede de um dos seus
Já faz quase sete anos desde que Brad Pickett venceu Demetrious Johnson no WEC. Desde aquele momento marcante, Pickett amargou quase o mesmo número de vitórias e derrotas, mas esteve sempre entre os lutadores mais empolgantes de qualquer divisão em que lutou.
Pickett começou como peso-pena e já lutou até como peso-mosca em sua caminhada no UFC. Desde que pisou no octógono pela primeira vez, ele foi premiado quatro vezes pela “Luta da Noite”, além de uma vez pela performance. Seu apelido, “One Punch” (Um Soco) foi conquistado por seu estilo que combina agressividade e força.
Pickett enfrenta um substituto de última hora, Marlon Vera, que está 2-2 no UFC. A O2 Arena em Londres certamente vai empurrar muito Pickett em sua despedida.
4 - Promessas colidem no card principal
Makwan Amirkhani está 3-0 no UFC e Arnold Allen está 2-0. As duas promessas vêm do wrestling, e a disputa na luta agarrada entre eles deve ser de altíssimo nível.
Ambos representarão equipes de primeira linha quando se enfrentarem em Londres, já que Allen compete pela famosa academia Tristar de Montreal, enquanto Amirkhani recentemente se mudou para a SBG Ireland para treinar no lugar que construiu Conor McGregor.
O vencedor do combate terá uma chance de entrar no Top 15 dos pesos-pena.
5 - 11 lutadores britânicos no card
O UFC Londres será uma verdadeira oportunidade para atletas britânicos que querem se mostrar no grande palco.
Serão 13 combates no card, mas alguns deles são realmente imperdíveis.
O invicto inglês Marc Diakiese enfrenta Teemu Packalen. Tom Breese, que há muito tempo tem sido falado em Londres e, com um cartel 10-1, ainda busca se tornar um dos principais nomes do UFC no futuro, está subindo para o peso-médio para encarar Oluwale Bamgbose.
Leon Edwards e Vicente Luque, no card preliminar, é uma batalha que poderia estar em qualquer um dos melhores cards do Ultimate. Luque tem quatro vitórias seguidas - todas por nocaute ou finalização - e Edwards venceu as duas últimas, com uma finalização.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC