Pular para o conteúdo principal
Entrevistas

Cinco perguntas para Raoni Barcelos

Conversamos com o peso-galo brasileiro que volta à ação no UFC 237, no Rio de Janeiro

Raoni Barcelos é mais um nome brasileiro que tem crescido rapidamente no Ultimate nos últimos meses.

Ele chegou à organização em 2018, vencendo Kurt Holobaugh por nocaute técnico em luta válida pelo peso-pena; em seguida, desceu para os pesos-galos e finalizou Chris Gutierrez em sua segunda luta no Octógono.

Seguindo nos 61kgs, o carioca de 31 anos volta à ação no UFC 237, dia 11 de maio em sua cidade natal. De olho em um lugar no ranking da divisão, ele mede forças com o russo Said Nurmagomedov.

Este foi um dos assuntos sobre os quais tratamos em conversa com o brasileiro que você confere abaixo.

Confira todas as informações e garanta seu ingresso para o UFC 237

(Photo By Chris Unger/Zuffa LLC)
(Photo By Chris Unger/Zuffa LLC)

UFC: Foi muito difícil para você descer para o peso-galo? Como se sentiu lutando uma divisão abaixo da qual você está acostumado?

Raoni: "A gente fez uma programação boa, eu já estava com um peso leve, então não sofri muito. Minha recuperação foi muito boa e lutei super bem; me senti muito bem, forte, e vi que realmente o peso-galo é minha categoria certa".

UFC: Como está a expectativa para voltar a lutar em sua cidade após seis anos?

Raoni: "Estou muito feliz por estar lutando novamente aqui no Brasil e principalmente no Rio. Tem muito tempo que não luto perto da minha família, dos meus amigos, parceiros de treinos. Fico muito feliz de estar representando todo mundo. Alguns já compraram ingresso, outros vão ficar por aqui mesmo onde moro, então estou realizado".

UFC: Existe alguma diferença, para você, na preparação para lutar em casa ou fora?

Raoni: "O treino é o mesmo, a cabeça é a mesma, o foco é o mesmo independente de lutar aqui ou fora. Vou entrar na luta como sempre entrei em todas as lutas, indo para cima o tempo todo. Lógico, respeitando meu adversário, mas procurando o nocaute ou a finalização. Mas a torcida com certeza ajuda, isso é fato. Vou sentir a ajuda de todo mundo, não só dos meus amigos e família, mas de todo o povo brasileiro, o povo carioca. Isso vai trazer uma energia muito grande".

UFC: Ficamos sabendo que você está com casamento marcado para outubro. Como está seu planejamento profissional para este ano, tendo isso em vista?

Raoni: "Pretendo fazer essa luta, mais uma antes do casamento e outra em dezembro. Quero fazer três lutas esse ano. Estou muito feliz por esse casamento. Rauane e eu vamos fazer 10 anos juntos, então já temos uma vida. Já estamos morando há dois, três anos juntos, então estava mais do que na hora. É uma pessoa que me ajudou muito, me ajuda até hoje, e tem que trabalhar né?! (risos). Tem que trabalhar para pagar as contas, mas, brincadeiras à parte, tenho foco de mandar bem, entrar para o ranking e, futuramente, ser o campeão da categoria. De pouco em pouco. É uma escada, como sempre digo. Subi dois degraus e estou tentando subir o terceiro para chegar onde quero".

UFC: Falando agora sobre seu próximo adversário, o Said. Que análise você faz desse oponente, e o que espera do duelo?

Raoni: "O Said é um atleta super completo: tem um bom wrestling, um bom chão, e é um striker, já nocauteou com chute rodado, com as mãos também, então estou vindo completo para essa luta. Tenho que impor meu jogo, não dar espaços para ele não pensar no que vai fazer. Vou procurar o nocaute ou a finalização, e se não der, vamos para a decisão; mas que eu faça uma boa luta com ele, porque quem vai ganhar é o público".

Assine o combate | Siga o UFC Brasil no Youtube