Pular para o conteúdo principal
Blogs - Marcelo Alonso

Como vencer Khabib? 11 treinadores brasileiros opinam

Nas 27 lutas que fez em seus 11 anos de carreira no MMA, o russo Khabib Nurmagomedov nunca sentiu o gosto amargo da derrota.

Numericamente analisando, o nível de dominância do atual campeão linear peso-leve do UFC é bem próximo a dois outros grandes gênios da história do esporte: Jon Jones, que nos mesmos 11 anos de carreira conseguiu 25 vitórias em 27 lutas; e seu compatriota Fedor Emelianenko, que também chegou a enfileirar 27 oponentes nos oito anos que permaneceu invicto.

Mas se levarmos em consideração o nível da concorrência e, principalmente, a sua superioridade absoluta nas últimas 11 lutas no UFC, não há como negar a Nurmagomedov o título de atleta mais dominante da história do esporte.

Mais UFC 242: Relembre eventos passados em Abu Dhabi | Khabib prega respeito a PoirierKhabib x Poirier: prévia em números | Raio-X: Barboza x Felder 1 | Três brasileiros em ação | Enquete: Khabib x Poirier | Como assistir | Card completo

No próximo sábado (7), a fera volta ao Octógono para colocar seu título em jogo contra o campeão interino, Dustin Poirier. Conversei com 11 treinadores brasileiros sobre a melhor tática para o atleta da American Top Team destronar o mais dominante lutador da história do esporte.

Rafael Cordeiro
Kings MMA

“Tive a oportunidade de treinar o Rafael dos Anjos quando ele lutou com o Khabib há muito tempo atrás, e aquela época já vinha forte, mas ele vinha dando uma ênfase nas fintas do boxe dele pra grudar. Depois da luta do Rafael, ele começou a dar mais ênfase no boxe, boxeando um pouco mais para grudar. Mas sem dúvida, ele tem o wrestling como uma arma muito forte. E ele vem melhorando cada vez mais o tempo pra entrar nas quedas. Por outro lado, o nível da defesa de quedas e do boxe dos caras com quem ele está lutando está melhorando cada vez mais, então eu acredito que tá cada vez mais perto de o Khabib pegar um cara com um boxe diferenciado, com muita movimentação e que não pare na frente dele. Era um princípio que o Michael Johnson estava fazendo muito bem e que estava sendo bem sucedido até começar a cair na luta agarrada, então se a gente conseguir achar esse meio termo, um cara com bom boxe e boa movimentação já se torna uma coisa mais difícil pro Khabib. Se o Dustin fosse meu aluno, eu faria ele movimentar muito rápido sem deixar de dar pressão no Khabib, fazendo o Khabib se expor no boxe e aproveitar esse momento para tentar nocautear”.

Pedro Rizzo
Rizzo RVT

“Acho que o pessoal faz a tática errada com o Khabib, buscando andar muito para não cair. Só que quando você está movimentando, o cara que está te conduzindo. Acho que tem que ser o contrário, tem que plantar e botar o Khabib para andar pra trás. Pressionar ele. O que atrapalha um wrestler a tentar te derrubar é colocar ele para andar para trás. Este tem que ser o foco do Poirier. Obviamente tem que ficar ligado na mão também porque o russo também soca e chuta, está cada dia mais completo, mas acho que o caminho é esse".

Marcelo Brigadeiro
Astra Fight Team

“O Khabib é a maior encrenca que a gente tem hoje, que tem o jogo mais difícil de você armar qualquer tipo de estratégia contra ele. Eu costumava dizer há sete ou oito anos que o Clay Guida era um pesadelo porque tinha um ótimo wrestling, um gás infinito e vinha pra cima o tempo todo, levando o cardio do oponente ao limite, e o Khabib é uma versão muito melhorada do Clay Guida em tudo, então é realmente um pesadelo. Na minha visão, o Poirier não tem as ferramentas que um atleta que um dia vai vencer o Khabib precisa ter, eu acho que para vencer o Khabib tem que ser um cara de um chão de excelência estilo Demian Maia ou alguém do gênero, porque ele vai botar a mão em você e vai te derrubar, então você tem que estar com um chão muito diferenciado para poder pegar esse moleque, porque se não tiver, não consegue ficar em pé muito tempo porque ele derruba.

Com as armas que o Poirier apresenta, eu acho que a melhor chance que ele tem é de pegar o Khabib num momento de entrada de queda, mais ou menos como o Masvidal fez com o Ben Askren, logicamente que ele teria que pressionar o Khabib, colocar um volume de golpes para fazer o Khabib entrar nas pernas dele tentar acertá-lo com um gancho ou com uma joelhada de encontro, mas eu vejo que a melhor chance que ele tem realmente é um golpe de definição na entrada do Khabib. Exceto isso, não vejo ele ganhando de nenhuma forma. Na real vejo ele sofrendo um monte de quedas, cansando e apanhando para caramba”.

Cristiano Marcello
CM System

“A maior possibilidade de vitória do Poirier é o boxe com muita movimentação, frustrando as quedas do Khabib e mantendo a luta em pé. Ele tem que evitar o jogo de clinch, quedas e o Ground and Pound do Khabib, imprimindo muita movimentação em pé, batendo e saindo, e chutando pouco. Não tem outro caminho. Porque botar pra baixo ele não vai conseguir e ele também não tem um chão para finalizar o Khabib por baixo”.

Jair Lourenço
Power MMA

“O básico contra o Khabib é treinar muita defesa de quedas. Uma das coisas que eu trabalharia seria tentar controlar a cabeça dele com a mão da frente para tentar jogar o uppercut ou o direto. Isso sempre jogando com o nível baixo. Também tentaria botá-lo contra a grade. Lembro que o Tibau fez isso na segunda luta dele no UFC e ele teve dificuldades. As pessoas vão sempre pensando em defender a queda, mas acho que vale usar uma tática surpresa tentando colocá-lo contra a grade jogando golpes curtos e buscando as quedas. Estas seriam algumas armas que eu usaria se treinasse o Dustin para esta luta”.

Vander Valverde
Team Nogueira

“Se eu fosse o treinador do Dustin, eu estaria preparando ele o máximo fisicamente e mentalmente, a luta do Khabib é um jogo mental e físico o tempo todo então eu acho que essa é a peça fundamental na luta. O Khabib joga a pressão o tempo todo, mas falando tecnicamente eu acho que com os russos a gente tem que andar pra frente, tem que bater nele e uma peça fundamental que eu acho que o Poirier não tem, mas deveria trabalhar mais é o jiu-jitsu. Nas lutas com o Khabib os lutadores são derrubados e ficam fazendo força para poder levantar e quando levantam, são derrubado de novo, o que acaba sendo um desgaste muito grande.

Em pé é essencial estar bem preparado fisicamente, mentalmente e andando para frente sem medo de tomar as quedas. A gente viu isso um pouquinho na luta com o McGregor que conseguiu andar pra frente, frustrar um pouco o Khabib que inclusive teve que mudar o jogo, jogou uma mão para poder derrubar porque na queda o McGregor tava até com uma defesa em dia. O Khabib gosta de levar as suas lutas para as decisões e faz um jogo pra consumir o oponente ao máximo. Não sei se o Dustin vai aguentar essa pressão do Khabib”.

André Dida
Evolução Thai

“Eu acho o Khabib muito fraco de trocação, a parte em pé dele é muito falha e esse é um grande caminho a ser explorado. Os caras são acuados pelo Khabib indo em direção a grade, facilitando mais ainda o caminho pra ele colocar o seu jogo.

Se eu treinasse o Dustin montaria uma tática para neutralizar a entrada dele, não focaria em tentar matar o wrestling com defesa, mas com golpes, com joelho, algum uppercut, com frontal, boxe induzindo ele a descer. Se ele descer, ele encontraria um joelho e se ele ficar insistindo na mão, o joelho vai pegar também no rosto. Os dois são bem parecidos, e o MMA é o esporte que você sabe que em algum momento a pessoa vai perder, então se o Dustin tiver uma atitude agressiva e inteligente, chegar para desligar e não estiver pensando nos cinco rounds, ele vence, se ele botar dois rounds de pressão, também vence porque o Khabib aceita qualquer tipo de luta e a gente sabe que o final do Khabib é ele descer para o wrestling, então eu acredito que se ele meter um boxe pesado, forçando a entrada do Khabib, pode sair um nocaute”.

Eduardo Alonso
Vila da Luta

“É evidente que o Poirier tem o interesse em manter a luta em pé, sendo assim acho muito importante que ele consiga controlar o meio do Octógono. Eu faria grande parte do camp tentando trabalhar muito com ele golpes retos, sempre com sequências curtas de um a três golpes no máximo, quebrando a distância e voltando a ganhar o meio do Octógono, ou seja, não apenas saindo, afinal o Khabib é um cara de muita pressão, então se você só recuar para trás, acaba caindo no que ele quer e uma vez que ele consiga fazer aquele jogo de controle, de troca de força por cima na grade, no chão, as probabilidades do Poirier conseguir desenvolver uma luta em pé de qualidade vão diminuir bastante. É muito difícil, é um condicionamento muito específico no qual o Khabib tem um lastro de uma vida inteira. Então é muito importante ele evitar essa pressão, não lutar muito daquele desenho do Octógono para trás e não esticar as sequências de golpes para não ceder a um clinch no meio dessa troca de golpe e não dar uma abertura para uma queda. O Poirier também tem que evitar repetir o mesmo padrão de golpes e começar a colocar golpes quando o Khabib recuasse um ataque, sempre nessa hora que o Khabib desse uma parada e começasse a andar pra trás, começasse a cobrar o Khabib com golpes no corpo, na cabeça e já quebrar a movimentação. Nunca parar numa distância muito fixa e tentar pontuar dessa forma garantindo rounds de forma que o Khabib fique atrás da pontuação e comece a ter que se abrir mais e comece a se expor mais para golpes de encontro e aí as chances de nocaute aumentam. O fundamental é ele estar nesse controle de distância, saber cortar ângulo e encontrar espaço. Essa seria a melhor maneira do Dustin vencer essa luta. A chave é ele ter sucesso nos dois primeiros rounds, para que ele possa durar os outros três porque se ele não tiver sucesso nos dois primeiros rounds vai ser impossível aguentar os três rounds restantes”.

Giliard Paraná
PRVT

“O caminho para vencer o Khabib é defender as quedas e bater nele em pé. Se eu treinasse o Poirier para esta luta, focaria em treinar as defesas de quedas mais básicas e eficientes para o estilo de quedas do Khabib. Poucas técnicas, mas deixaria ele muito afiado. A Jéssica Andrade é quase um Khabib do feminino, eu sei quanto é difícil para evitar o jogo dele”.

Tatá Duarte
TFT

“Poirier tem muitas qualidades. Já o vi treinar várias vezes na ATT e fiquei bem impressionado. Ele é canhoto tem as mãos pesadas, o que sempre dificulta, e tem um wrestling muito bom. Primeiro passo é ganhar o centro do Octógono e sair de perto da grade, se movimentar muito, evitar chute a meia altura, chutar muito a ‘raiz’ do Khabib que é algo que o pessoal da ATT tem feito muito bem. Mas o mais importante é fazer o Khabib andar para trás, algo que ainda não vimos, mas se ele ganhar o centro do Octógono, frustrar as tentativas de queda e meter a mão dura, pode conseguir”.

Gile Ribeiro
Gile Ribeiro Team

“Um dos fatores que a gente faz para impedir uma pessoa que tem o volume de quedas do Khabib a não ter êxito é fazê-lo andar pra trás. Lógico estamos falando de um craque, um cara acima da média. Eu fortaleceria a parte de mão do Dustin e obrigaria o Khabib a andar pra trás, evitando chutá-lo para não ser derrubado”.