Pular para o conteúdo principal

Condição de zebra não incomoda Holly Holm: "Ronda pode ser vencida"

Australiana encara a campeã do peso-galo no dia 14 de novembro, em Melbourne

Adversária de Ronda Rousey no UFC 193, em Melbourne, no dia 14 de novembro, Holly Holm está tranquila com a sua condição de zebra no combate. Ainda que ostente uma carreira invejável no boxe, com 18 títulos mundiais, a australiana sabe que todas as atenções estarão voltadas para a campeã do peso-galo do UFC.
"Eu já fui a zebra mais de uma vez e é normal para mim. Todo dia nos treinos, eu treino com grandes lutadores, sou a zebra, e não tenho problema com isso. A última vez que me senti como zebra foi há uns dois anos, eu tinha sido nocauteada pela campeã francesa, e 21 das 24 vitórias delas foram por nocaute. Ela estava invicta há 17 anos, me nocauteou, mas eu fiz a revanche porque acreditava que a venceria. Muita gente achou que eu fui louca por fazer isso, foi um grande desafio, mas fui, vinguei minha derrota e venci. Já encarei situações assim, tive de acreditar em mim para entrar lá. Nessas ocasiões, a vitória é melhor. Quanto mais desafio você tem, melhor é a vitória", declarou durante teleconferência com a imprensa internacional.

Confira o card do UFC 194 | Ingressos à venda para o UFC SP

Inicialmente, Holly Holm e Ronda Rousey se enfrentariam no dia 2 de janeiro, no UFC 195, em Las Vegas (EUA). No entanto, a organização optou por adiantar a luta para o dia 14 de novembro. Mudança essa que não tirou o sono da lutadora.
"Quando anteciparam a luta, fiquei quase aliviada, pois quatro meses é muito tempo, e eu começaria a treinar, mas não estaria me dedicando 100%, e isso já estaria na minha cabeça. Sei que é um grande desafio, que é cedo, que sou uma grande zebra, mas grandes zebras no esporte acontecem porque alguém entrou acreditando em si mesmo. Este é meu plano. Se eu sentasse e acreditasse em tudo de negativo que estão dizendo, isso me desgastaria. Quero aproveitar mesmo esta oportunidade. Quero entrar e dar meu todo, 100%", completou.

Assim como a campeã da categoria, a desafiante também está invicta no octógono. Enquanto Holm soma duas vitórias em 2015 (ano de estreia no UFC), Ronda é dona de uma invencibilidade de seis lutas no Ultimate, sendo cinco delas em defesa do cinturão. Mas essa pouca experiência no Ultimate não tira a confiança da australiana, que acredita que pode surpreender a campeã.
"Numa das minhas primeiras grandes lutas, um dos treinadores disse, ‘Holly, todo mundo está dizendo que você é a zebra e que ela vai te nocautear, mas ela é só mais uma mulher’, e isso me ajudou muito. Todo estilo é diferente, toda luta é diferente, acredito que consigo vencer. As pessoas às vezes colocam ela num pedestal tão alto que se esquecem que estão lá por um motivo também. Eu estou nessa luta por um motivo, é porque tenho capacidade de vencer. Acredito em mim mesma, treino duro para suceder nisso. Toda luta é diferente, todo estilo é diferente. Ela não foi vencida ainda, mas isso não significa que não possa acontecer", finalizou.

Visite a UFC Store 
Baixe o aplicativo do UFC