Pular para o conteúdo principal

Conor McGregor irá intimidar, enfurecer e dominar - tudo ao mesmo tempo

Irlandês enfrenta Chad Mendes neste sábado (11) pelo título interino dos penas

Conor McGregor está em algum lugar, correndo no calor de 43 graus Celsius de Las Vegas e não se importando. Ele, na verdade, adora - adora suar e se esforçar em um ritmo que a maioria de nós nem imagina. O insuportável calor de verão não é nada mais que outro obstáculo para superar.
- Assine o Canal Combate e não perca nenhum detalhe do UFC
Quando chega à sua casa alugada com sete quartos e oito banheiros em Henderson - sua McMansão, como ele a chama - ele está pingando de suor, mas mal respira fundo. Ele corre 11 quilômetros, e para em um playground para fazer flexões e outros exercícios nas barras. Exaustivo com certeza, mas tudo faz parte de sua preparação. 
Os dias não passam rápido o bastante, mas McGregor os aproveita mesmo assim. Quando encarar Chad Mendes no UFC 189 no sábado à noite - dois desafiantes atrás do cinturão interino peso-pena do UFC - ele terá passado mais de dois meses vivendo e treinando em Nevada, sua casa longe de casa.

estou ansioso para voltar com o ouro, e fazer tudo valer a pena.

Não é Dublin. Nada irá substituir sua terra natal, mas está bom o bastante.
“Eu sinto falta de minha casa,” diz ele. “Eu sinto falta de Dublin. Sinto falta do meu cachorro, sinto falta da minha família, sinto falta dos meus amigos. Então estou ansioso para voltar com o ouro, e fazer tudo valer a pena. 
Essa viagem toda - de praticamente desconhecido nos EUA a sensação mundial de MMA - tem valido a pena para McGregor. Ele é como ninguém jamais visto no UFC, uma personalidade única com um dom para agitar adversários e criar dois campos distintos: aqueles que o amam e aquele que o desprezam.
Mas esse é quem ele é, aceite-o ou deixe-o.
“É muito natural com o Conor,” diz Tom Egan, seu amigo desde a infância e um confiado parceiro de treino de longa data. “Ele entende que para chegar à algum lugar, você precisa fazer barulho. Mas ele sempre entendeu. Vem muito naturalmente para ele.”
A personalidade McGregor - bruto, confiante, às vezes inusitadamente engraçado  - é a essência de quem ele é. Nada é planejado ou calculado. O que ele diz, o que ele faz - seja olhando para a câmera com olhos esbugalhados e boca aberta, ou roubando o cinturão de José Aldo, como fez durante a recente turnê mundial - é criado em um  fugaz momento brilhante.
“Conor segue como ele se sente naquele momento,” diz Dee Devlin, sua namorada há oito anos. “Ele se anima com a atmosfera em que está, então ele será mais explícito. Mas isso não é como dizer que ele é uma pessoa diferente. Ele é sempre a mesma pessoa que é.”
Da mesma forma que Muhammad Ali virou o mundo do boxe de cabeça para baixo com sua poesia e previsões ousadas, McGregor tomou o UFC pela garganta com sua personalidade “olha para mim” dentro e fora do octógono. Lutadores pretensiosos não são novidade no UFC - pense: Chael Sonnen - mas pode-se dizer que ninguém chega perto do estilo e substância de McGregor.
“Ele e Chael não estão nem próximos,” diz o presidente do UFC Dana White. “O Conor tem carisma e isso você não pode ensinar. Ou você tem ou não tem, e as pessoas são atraídas por isso.” 
É uma habilidade com a qual McGregor nasceu ou aprendeu muito cedo. Quando crianças, disse Egan, McGregor adorava intimidar jogadores do outro time no jogo de futebol da escola.
“Ele era o cara que fazia barulho,” lembra Egan. “Ele queria que você sentisse sua presença.”
Quando ouve isso, McGregor sorri. Mas é um tipo de sorriso sinistro.
“Antes do jogo começar,” lembra ele. “Eu ficava no lado onde a bola seria chutada para começar. E eu ficava de frente ao cara um pouco, tentando brincar com sua mente para que ele jogasse com medo.”
Leia também:
O caminho - perfeito - de Conor McGregor até a disputa de cinturão interino
Conor McGregor provoca Chad Mendes: 'é o substituto nível B'
McGregor segue provocando: 'Mendes estará inconsciente aos 4 minutos'
McGregor critica troca de mensagens entre os ex-rivais Aldo e Mendes